Viver depois de ti – Jojo Moyes (Opinião)

18634486Publicação: Maio de 2013
Editor: Porto Editora
ISBN: 9789720045775
Preço Editor: 17,70€
Minha classificação: 5 em 5 estrelas
Goodreads Review

Opinião: Neste livro é abordado um assunto, que é ao meu ver, sensível: tetraplegia. Mas a forma como a Jojo Moyes o escreveu foi incrível. Já tinha ouvido falar deste livro antes, mas só comprei-o depois de saber que haveria um filme baseado neste romance tal como só decidi lê-lo depois de ver o trailer, mas ao terminá-lo, perguntei-me “Como é que não li este livro antes?”, porque é realmente um livro fantástico! Não é um romance comum, não só pelo facto de um dos personagens ser tetraplégico, mas também porque há uma amizade antes de haver romance. Jojo Moyes apresenta-nos, neste livro, Louisa Clark, uma rapariga que acabou de perder o seu emprego e que para continuar a ajudar a sua “enorme” família, rapidamente procura por outro.
Após várias tentativas e procuras, Louisa vê-se “forçada” (não é exatamente o verbo ideal) a aceitar o emprego que lhe sugerem: Cuidar de um tetraplégico, como uma espécie de acompanhante. E é então que conhecemos Will Traynor, um homem de 30 e poucos anos, que foi atropelado há dois, e sofre de tetraplegia desde então. Inicialmente, as coisas entre Will e Louisa não funcionam bem, ao ponto de ela achar que ele a odeia, mas aos poucos e durante o livro, vemos uma “má” relação evoluir para uma relação de amizade e confiança entre estes dois personagens. Continuar a ler

Rebeldes – Anna Godbersen (Opinião)

25754631Publicação: 2009
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722341752
Preço Editor: 15,15€
Minha classificação: 3 em 5 estrelas.
Goodreads review 

Opinião: Sendo este livro o primeiro da coleção “Princesas de Nova Iorque”, neste livro Anna Godbersen conta-nos uma história passada em Nova Iorque, no final do século XIX, em que existe uma elite, na qual Elizabeth destaca-se desde o inicio, isto é, o livro começa com o funeral de uma das raparigas mais famosas da Elite de NY, porém a história passa-se pouco tempo antes desse funeral, acompanhando o que acontece entre vários personagens, principalmente Henry e Elizabeth, que por vários motivos, vêem-se obrigados a casar um com o outro. Continuar a ler

O Vestido Cor de Pêssego – R. A. Stival (Opinião)

25938537Publicação: 08/2014
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896575328
Preço Editor: 17,76€
Minha classificação: 5 em 5 estrelas

Opinião: R.A. Stival ou Rosania Stival é uma escritora brasileira, que vive em Portugal à 6 anos. Infelizmente, este livro (que eu saiba) não foi adaptado para inglês. “O Vestido Cor de Pêssego”, publicado em Portugal pela Planeta, foi o primeiro livro escrito e publicado oficialmente pela escritora e sendo praticamente uma escritora “nacional”, o que me surpreendeu bastante, pois quando comprei o livro, não fazia ideia disto. E confesso: Escritores brasileiros/nacionais não me atraem, mas esta escritora mudou totalmente a minha ideia de que um escritor de língua portuguesa (Portugal e Brasil) não tem capacidade de escrever um livro tão bom como um americano ou inglês.
O que mais me cativou desde o inicio foi, sem dúvida, a lindíssima capa deste livro! A editora Planeta nunca me desilude: As capas dos livros publicados, por eles, são sempre fantásticas. E há que julgar o livro pela capa, pois a sinopse e a história são ainda mais lindas que a capa!

Continuar a ler

Género literário favorito (e Top 5 escritores)

Como qualquer pessoa, tenho o meu género literário favorito, que é Fantasia.
Desde criança que este género têm vindo a ser aquele que mais me cativa, e com fantasia quero dizer.. livros distópicos, livros com vampiros, livros que têm lugar num mundo/tempo que não existe/existiu.. Um mundo de fantasia.
Lembro-me que o primeiro livro que li, oficialmente, sem ser obrigatório na escola, foi Harry Potter e a Pedra Filosofal ou então Crepúsculo. Sei que foi um destes! Não importa qual foi, na verdade, pois lembro-me que ambos foram livros que me fizeram abrir mais a minha mente a este mundo literário, e até hoje já li cerca de 140 livros!

Mas ainda falando deste género…
Foi realmente o género que me abriu as portas à literatura e é até hoje o género que mais gosto, sem dúvida! Digo isto, pois pelo menos 40%, ou arrisco-me até a dizer que metade, dos livros que tenho são de fantasia. Além disso, sempre que leio livros de fantasia, vejo-me muito mais agarrada, viciada neste tipo de livros do que nos outros (romance, policial, etc).
Continuar a ler

Cidades de Papel – John Green (Opinião)

25938537Publicação: 2013
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722352925
Preço Editor: 15,90€
Minha classificação: 2,5 em 5 estrelas
Goodreads review 

Opinião: Quentin e Margo conhecem-se desde crianças, sendo vizinhos, mas à medida que vão crescendo, estes afastam-se, até que um dia, numa noite para ser mais precisa, Margo aparece à janela do quarto dele, como costumava fazer em criança. Nessa noite, Margo aparece para pedir a Quentin que a acompanhe, como motorista, a vários lugares, tendo como objetivo resolver “11 problemas”. Pode-se dizer que a história começa realmente depois dessa noite, e da resolução dos problema (e consequentes vinganças e partidas), em que passam-se vários dias, sem que Quentin veja Margo, até que esta é dada como desaparecida. A História gira em torno de Quentin, e os seus amigos, que juntos irão viver uma aventura em busca de pistas sobre Margo e o seu desaparecimento. Continuar a ler

Um acordo muito sedutor – Maggie Robison [Opinião]

25754631Publicação: 2015
Editor: Planeta
ISBN: 9789896575922
Preço Editor: 18,85€
Minha classificação: 4,5 em 5 estrelas
Goodreads Review

Opinião: Em “Um Acordo Muito Sedutor”, escrito por Maggie Robinson, a personagem principal é Louisa, a Herdeira de Rosemont, decide regressar à sua casa de férias. Porém esta vê-se perante um problema: Junto com ela, deve ir o Maximillian, o marido perfeito. No entanto, sabendo que este é apenas uma invenção sua, a herdeira procura pelos serviços de uma antiga “madame” (dona de uma casa de prostitutas), de modo a arranjar um homem que esteja disposto a fazer-se passar pelo seu falso marido.
Este é daqueles livros que chama à atenção só pela capa (que é lindíssima). Mas o que realmente me chamou à atenção foi o tema abordado. Porém, não alcançou as minhas expectativas, pois imaginei que este livro tivesse mais ação, mais perigo, por Louisa contratar um marido falso.
Mesmo assim, gostei da história. É cativante, faz-nos ficar curiosos ao virar de cada página. A única coisa que não gostei tanto foi o pouco desenvolvimento dos personagens, principalmente do Capitão Charles Cooper (o homem contratado para fazer-se passar por marido da Louisa) que tinha bastante potencial ao meu ver! Não me apaixonei por ele, como geralmente acontece com os livros que já li idênticos a este livro.
Apesar disto, é um livro bom e agradável de se ler, viciante até em certas partes, pois senti-me agarrada à história, com uma imensa curiosidade em descobrir quem era o misterioso “quase-assassino” do Capitão/Maximillian.
O Final não é dos melhores, mas mesmo assim foi em certo ponto surpreendente e interessante.

Sinopse: “A herdeira Louisa Stratton está de regresso a casa em Rosemont de férias, e, a pedido da família, leva o marido, Maximillian Norwich, conhecedor de arte e amante astuto, o homem que lhes descreveu como deslumbrante. Só que há um problema: ele não existe. Louisa precisa de um falso marido para causar uma boa impressão.
Charles Cooper, capitão da Guerra Bóer, tem um passado de origem humilde e fica desconcertado com o acordo que Louisa lhe propõe. Mas são só trinta dias e não até que a morte os separe. Onde está a dificuldade em personificar um marido, mesmo que não saiba nada sobre Rembrandt?
A verdadeira dificuldade é manter as mãos longe de Louisa, acrescido ao pequeno problema que alguém em Rosemont o tenta matar. Tentando manter a sanidade e ao mesmo tempo proteger Louisa, recupera a honra que pensara perdida no campo de batalha. Mas quando Louisa o tenta proteger, Charles descobre que encontrou uma maneira de enfrentar o seu futuro, nos braços da sua herdeira.”

Deadpool – Filme (Opinião)

Título original: DeadPool
Título no brasil: DeadPool
Atores principais: Ryan Reynolds, Morena Baccarin, Ed Skrein, e mais.
Género: Ação, Aventura, Comédia
Ano de produção: 2016

Desde há muito tempo que decidi que iria apenas ao cinema ver aqueles filmes que quero mesmo ver, ou no máximo um filme por mês. Mas neste mês (Fevereiro) não resisti a ir ao cinema duas vezes. A primeira vez, como já disse antes, foi para ver “Uma escolha por amor” (podem ler a opinião aqui), e a segunda vez foi este sábado (13/02), em que fui ver o filme “DeadPool”, um filme de um dos personagens, cujo o nome é o título do filme, da Marvel.

Ao inicio, por não conhecer a personagem, torci um pouco o nariz, isto é, não achei que fosse muito interessante este filme, mas também porque soube que era do género comédia.

Até agora, todos os filmes da Marvel sempre foram mais baseados em ação, drama. E eis que apareceu este filme “DeadPool”. Quando vi o trailer, rapidamente fiquei ansiosa para ver o filme, ou seja, acabei por mudar de ideias.
E “Hilariante” é talvez a melhor palavra que descreve este filme. Só a introdução (com a apresentação de nomes dos produtores, dos atores, etc) foi engraçada! Imaginem o resto do filme. Lembro-me que ri desde o primeiro minuto.
Não sou muito fã de comédias, como já disse anteriormente, mas esta comédia, misturada com ação, fez de “DeadPool” o meu filme favorito da Marvel (o que não quer dizer que o personagem em si é o meu favorito. Gosto e sempre gostarei do Iron Man acima de todos os outros).
Até mesmo para quem não gosta de filmes de heróis, da Marvel e destas coisas, não pode perder este filme, pois é mesmo de “morrer de rir”.

ENGLISH VERSION:

Since a long time ago that I decided that “I’ll only go to cinema to see a movie that I really, really want to see” or at least, go to the cinema watch one movie per month (12 movies per year in maxium). But this month, I couldn’t resist of going to cinema two times. In the first time (11/02), I went to watch “The Choice” (you can read my opinion here), and the second time, that took place in the saturday (13/02), to watch “DeadPool”, a movie about one of the Marvel’s characters, which his name is the same as the movie’s title.

At the beginning, this movie didn’t catch my attention, because I didn’t know the character and also because I knew that this was going to be a comedy’s movie. Until now, all the Marvel’s movie were based on action, drama, and that stuff. And last year, was announced that a comedy movie based on a Marvel’s character would be produced. When I watched the trailer, for the first time, I quickly changed my thoughts about seeing a comedy movie.. I can say that I started to get curious about this movie.
And “hilarious” is probably the best word to describe “DeadPool”. From the first minute till the last, I laughed! The Introduction (with the producers’ names, actors, etc) was so funny, so you can imagine the rest of the movie..
I’m not a comedy movie’s fan, as I told before, but this movie, combined with action, made this movie be something fantastic, hilarious, and also made this movie be my favorite Marvel’s movie until now (this doesn’t mean that the character is my favorite, because that “place” belongs to the Iron Man, of course).
Even if you’re not a Marvel’s fan, or heroes’ lover, you’ll like this movie and laugh a lot with it! Don’t miss it!

Uma escolha por amor – Filme (Opinião)

Título original: The Choice
Título no brasil: A Escolha
Baseado no livro “Uma escolha por amor” de Nicholas Sparks.
Atores principais: Teresa Palmer, Benjamin Walker, Alexandra Daddario, Maggie Grace, etc.
Gênero: Comédia romântica (classificação para Portugal)
Ano de produção: 2015

Na passada quinta-feira (11/02), fui ao cinema ver o novo filme baseado num dos romances do escritor Nicholas Sparks, “Uma Escolha por amor”. Não li o livro, confesso, mas tenho intenções de lê-lo, apesar de não ser algo que goste de fazer: Ver o filme e ler o livro depois.

Sobre o filme..

Continuar a ler

Fangirl – Rainbow Rowell [Opinião]

26632196Título Original: Fangirl
Publicação: 2015
Editor:
Edições Chá das Cinco

ISBN: 9789897102097
PVP: 17,76€
A minha classificação: 4,5/5 estrelas

Sinopse: Cath ama os seus livros e a sua família. Haverá espaço para mais alguém? Todo o mundo é fã dos livros de Simon Snow. Mas Cath vai mais longe: ser fã desses livros tornou-se a sua vida. Ela e a sua irmã gémea, Wren, refugiaram-se na obra de Simon Snow quando eram miúdas, e na verdade foi isso que as salvou da ruína emocional que foi a perda da mãe. Ler. Reler. Interagir em fóruns, escrever ficção baseada na obra de Simon Snow, vestir-se como as personagens dos livros. Mas essas fantasias deixam de fazer sentido quando se cresce, e enquanto Wren facilmente abandona esse refúgio, Cath não consegue fazê-lo. Na verdade, nem quer. Agora que vão para a universidade, Wren não quer ficar no mesmo quarto de Cath. E esta fica sozinha e fora da sua zona de conforto. Partilha o quarto com uma miúda arrogante; tem um professor que despreza os seus gostos; um colega atraente mas que apenas fala sobre a beleza das palavras… e, ainda por cima, Cath não consegue parar de se preocupar com o seu pai, tão querido, frágil e solitário. A pergunta paira no ar: será que ela consegue triunfar sem que Wren lhe dê a mão? Estará preparada para viver a vida em seu nome? Escrever as suas próprias histórias? E se isso significar deixar Simon Snow para trás?

Opinião: Fangirl é um livro sobre uma rapariga, Cath, que, juntamente com a irmã gémea, inicia o seu primeiro ano de universidade. Algo a distingue das outras raparigas: O seu vicio pelo Simon Snow e o mundo deste. E é nisto que o livro se baseia: No vicio dela em querer terminar a sua fan fiction sobre Simon Snow antes da própria escritora publicar o oitavo e último livro. Mas ao entrar na vida da universidade, Cath vê-se dividida entre “socializar” mais com outras pessoas, como Levi, o namorado da sua colega de quarto, e com um dos seus colegas de “Escrita criativa”, Nick, e tentar terminar a sua fan fiction.

Adorei imenso a forma como a história se foi desenvolvendo. Achei a escrita leve, e diferente de muitos outros escritores de livro juvenis e de YA (young-adult), o que despertou em mim uma enorme curiosidade sobre o que iria acontecer com a personagem principal, Cath, uma rapariga fechada no seu mundo, onde o personagem principal é Simon Snow. E de certo modo, acabei por me identificar com ela.
Gostei principalmente do Levi, que é apresentado como sendo um personagem extrovertido, com sorrisos para “dar e para vender”, que contagia tudo e todos com a sua constante boa disposição. Sinceramente, eu adoraria ter o Levi como um melhor amigo! Quem não gostaria? E foi por isto que adorei este livro. Apesar de não ser o personagem principal da história, ele consegue fazer um leitor apaixonar-se e viciar-se pelo livro.
Sem dúvida, este é o livro ideal para os fãs de John Green!

Os 100, 21 dias depois – Kass Morgan (Opinião)

28493543Publicação: Janeiro de 2016
Editor: Topseller
ISBN: 9789898831606
Preço Editor: 16,99€
Minha classificação: 5 em 5 estrelas
Goodreads review

Opinião: Sendo este o segundo livro da saga escrita por Kass Morgan, neste livro, continuamos a seguir as aventuras dos cem (agora menos alguns) na terra, ao mesmo tempo que acompanhamos o desfecho da nave, onde várias estações foram fechadas, de modo a poupar o pouco oxigénio que resta. O Livro é narrado na “visão” dos mesmos personagens do livro anterior, isto é, é escrito na terceira pessoa mas acompanha cada personagem no seu capítulo.

Continuar a ler