Cidades de Papel – John Green (Opinião)

25938537Publicação: 2013
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722352925
Preço Editor: 15,90€
Minha classificação: 2,5 em 5 estrelas
Goodreads review 

Opinião: Quentin e Margo conhecem-se desde crianças, sendo vizinhos, mas à medida que vão crescendo, estes afastam-se, até que um dia, numa noite para ser mais precisa, Margo aparece à janela do quarto dele, como costumava fazer em criança. Nessa noite, Margo aparece para pedir a Quentin que a acompanhe, como motorista, a vários lugares, tendo como objetivo resolver “11 problemas”. Pode-se dizer que a história começa realmente depois dessa noite, e da resolução dos problema (e consequentes vinganças e partidas), em que passam-se vários dias, sem que Quentin veja Margo, até que esta é dada como desaparecida. A História gira em torno de Quentin, e os seus amigos, que juntos irão viver uma aventura em busca de pistas sobre Margo e o seu desaparecimento.

Talvez o facto de ter visto o filme antes ajudou-me a ler este livro, sem desistir. Não que seja um mau livro, porque não o é. Apenas considero algumas partes do livro um pouco lentas e muito demoradas. Tirando isto, achei bastante divertidas as aventuras entre Margo e Quentin, tal como a viagem que ele faz com Radar, Ben e Lacey à procura de alguma coisa (se disser o que é essa coisa, seria “spoiler”, por isso não revelarei mais nada).
Mas quanto ao final, considerei-o confuso em parte. Mesmo assim, não desgostei dele, pois adoro todos os momentos entre o Quentin e a Margo.
Apesar do final, e de certas partes um pouco aborrecidas ou muito descritivas, e mesmo não sendo tão bom quanto “A Culpa é das estrelas” (do mesmo escritor), gostei do livro, tendo achado-o bastante divertido!

Sinopse: “Quentin Jacobsen e Margo Roth Spiegelman são vizinhos e amigos de infância, mas há vários anos que não convivem de perto. Agora que se reencontraram, as velhas cumplicidades são reavivadas, e Margo consegue convencer Quentin a segui-la num engenhoso esquema de vingança.
Mas Margo, sempre misteriosa, desaparece inesperadamente, deixando a Quentin uma série de elaboradas pistas que ele terá de descodificar se quiser alguma vez voltar a vê-la. Mas quanto mais perto Quentin está de a encontrar, mais se apercebe de que desconhece quem é verdadeiramente a enigmática Margo.”

Para quem não sabe, o livro foi adaptado para filme, e estreou (cá em Portugal) em Junho de 2015. Fica o trailer mais em baixo:
https://www.youtube.com/watch?v=V3cgWH10bCU

Anúncios

2 thoughts on “Cidades de Papel – John Green (Opinião)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s