Rainha Vermelha – Victoria Aveyard (Opinião)

26141249Publicação: Setembro 2015
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896378486
Preço Editor: 18,50€
Minha classificação: 5 em 5 estrelas

Opinião: “Rainha Vermelha” é o primeiro livro de uma série de quatro livros já confirmados, 2 deles ainda por lançar nos EUA, escrita por Victoria Aveyard. Neste primeiro livro, narrado por Mareena, ou Mare, acompanhamos a jornada desta, desde uma simples tentativa de salvar um amigo do recrutamento até à sua entrada na corte dos Prateados, em que ela, uma Vermelha, irá servir o rei. Mas nesse mesmo dia, durante a apresentação de Prateadas para se casarem com o príncipe mais velho, Mare vê-se numa situação de perigo, porém é salva por poderes vindos de si, que nem mesmo ela sabia existirem, pois apenas os Prateados possuem talentos e tais poderes. Com isto, tendo sido vista por várias pessoas, os réis não têm outra opção se não mentir e declará-la Prateada e também noiva de Maven, o príncipe mais novo.
E será disto que o livro falará. Do percurso da Vermelha-Prateada durante os próximos dias, enfrentando perigos, dentro e fora do castelo.

Se pudesse, daria infinitas estrelas a este livro, pois desde “A Seleção” que não encontrava um livro tão viciante. Só não o li num dia, por razões normais: escola, etc, etc. Mas acreditem quando vos digo que este livro vale todo o falatório que tem gerado pelo mundo inteiro! Os personagens são mesmo muito intensos, tal como a história, cheia de reviravoltas, principalmente nas últimas páginas, que foram talvez as mais intensa de todo o livro.

Adorei conhecer Mare. Adorei o Cal. Adorei o Lucas. Mesmo os mais detestáveis personagens são ótimos personagens, muito bem construídos.
O Livro lembra, de facto, “A Seleção” pela parte dos “Vermelhos e Prateados” (que corresponde ás castas), tal como de “Divergente” pela inserção de figuras que, tal como no livro de Veronica Roth, serão a salvação de um “sistema”.
Quanto ao final, é talvez o final, de entre imensos livros deste género que já li, que mais me chocou, e que me deixou mesmo muito curiosa para o próximo livro, que só foi lançado nos EUA este ano, pelo que deverá demorar algum tempo a ser publicado cá em Portugal.
Volto a mencionar o quanto o livro é viciante! O inicio não nos vicia logo, como é óbvio, como acontece em qualquer livro, mas não são precisos mais de três capítulos para ficarmos viciados e curiosos sobre o que virá dai em diante. Talvez o facto de ser narrado na primeira pessoa do singular ajude, pois acabamos por entrar na pele desta, e ficamos a conhecer a história de um ponto de vista, ficamos a conhecer os seus pensamentos, e sem dúvida, que as várias revelações, chocantes ou mesmo as que são meras surpresas positivas, nos fazem sorrir, sentir raiva. Resumindo e concluindo: Damos por nós a viver a história, e a “sermos” a Mare, o que nem sempre acontece mesmo em livros narrados desta forma, pois tudo depende da forma como a escritora escreve. E esta escritora é sem dúvida fantástica e já tem um lugar guardado entre as minhas favoritas!

Não consigo dizer que este é a minha leitura favorita de 2016, pois sou mesmo muito agarrada aos livros que leio, e adoro cada livro de uma forma única, mas é sem dúvida um dos que mais gostei até agora, e que me fará contar os dias até poder ler o próximo, traduzido claro, apesar do meu nível de inglês.

Uma pequena curiosidade: Como disse, esta série será composta por 4 livros, porém só dois foram publicados “Red Queen” (Rainha Vermelha, publicado já em Portugal) e “Glass Sword” (A Espada de Vidro, título do livro lançado no Brasil). Quanto aos restantes dois, estão previstos os seus lançamentos, penso que para 2017 e 2018 (o 3 e o 4, respetivamente), cujos os títulos ainda não foram revelados.
Por isso, do que estão à espera? Não hesitem como eu, e vão ler já este fantástico e viciante livro!

Sinopse: “O mundo de Mare, uma rapariga de dezassete anos, divide-se pelo sangue: os plebeus de sangue vermelho e a elite de sangue prateado, dotados de capacidades sobrenaturais. Mare faz parte da plebe, os Vermelhos, sobrevivendo como ladra numa aldeia pobre, até que o destino a atraiçoa na própria corte Prateada. Perante o rei, os príncipes e nobres, Mare descobre que tem um poder impensável, somente acessível aos Prateados. Para não avivar os ânimos e desencadear revoltas, o rei força-a a desempenhar o papel de uma princesa Prateada perdida pelo destino, prometendo-a como noiva a um dos seus filhos. À medida que Mare vai mergulhando no mundo inacessível dos Prateados, arrisca tudo e usa a sua nova posição para auxiliar a Guarda Escarlate – uma rebelião dos Vermelhos – mesmo que o seu coração dite um rumo diferente. A sua morte está sempre ao virar da esquina, mas neste perigoso jogo, a única certeza é a traição num palácio cheio de intrigas. Será que o poder de Mare a salva… ou condena?”

Advertisements

4 thoughts on “Rainha Vermelha – Victoria Aveyard (Opinião)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s