Um Marquês Irresistível – Sarah MacLean (Opinião)

25781644Publicação: 2015
Editor: Topseller
ISBN: 9789897070082
Preço Editor: 18,79€
Minha classificação: 5 em 5 estrelas

Opinião: Li o livro hoje (1 de Maio). Num só dia! Há meses que não me acontecia ler um livro num só dia. Apesar da sensação de “enjoou” que uma pessoa sente ao terminar o livro, quando lido num só dia, é agradável passar um dia inteiro a ler, principalmente quando nos sentimos agarrados ao livro, à história, aos personagens, tal como eu me senti.

Neste livro, Penelope, uma solteirona, que após um escandâlo que arruinou quaisquer chances de encontrar um bom casamento para si, descobre, que para conseguir então nem que seja um visconde, o pai lhe acrescentou ao dote Falconwell. Porém esta lembra-se então do seu amigo, o Marquês de Bourne, há muito que perdeu esta terra, apesar desta pretencer-lhe, segundo ele. O que Penelope não sabe é que, após vários anos de estar desaparecido, o marquês regressa, com a intenção de recuperar o que é seu, mesmo que para isso tenha que forçar a rapariga a casar-se.

No meio disto tudo, e sendo um romance (histórico), é óbvio que existirá mesmo um ambiente tenso e com várias emoções à mistura entre ambos.
O Livro é mesmo muito bom. Viciante! Adoro usar esta palavra, e é verdade que a uso para a muitos livros, mas este é talvez o romance histórico mais viciante que já li até hoje, pois assim que comecei a ler, não consegui parar. Terminava um capítulo, a pensar “O que será que acontecerá?” e assim começava outro, e quando dei por mim, tinha terminado o livro.
Para quem já leu livros num dia, compreende-me quando digo que chegamos ao final do livro, enjoados dele, mas somente por termos lido tanto, e acumulado tanta “informação” de uma vez, porque obviamente que esse “enjoou” nada tem a ver com a história.

Como disse, a história é envolvente, tal como os personagens. Achei a história deveras intrigante, viciante, e original, o que é algo que eu acho que falta por vezes em livros deste género, a não ser que abordem histórias que decorreram em tempos reais (por exemplo, misturar um romance durante a revolução francesa).
Os personagens, então, são fantásticos! Penelope é uma “heroina” na minha opinião. É uma personagem forte, uma mulher que luta e é inteligente acima de tudo. E gostei muito de conhecê-la.
Quanto a Michael, o marquês de Bourne, é impossível não gostar dele, mesmo apesar de todo aquele mau feitio e frieza. Mas no fundo, é também um homem gentil, que vai mudando, conforme a história entre ele e a, então, marquesa se desenvolve. É misterioso, acima de tudo, e por vezes fez-me desesperar, fez-me sentir alguma raiva, mas apenas por a escrita da escritora nos envolver tanto ao ponto de nos sentirmos empáticos com a Penelope. Posso até afirmar que é possível sofrermos com esta personagem, porque é mesmo uma ótima personagem como disse.

Quanto ao final, isto é, o Epílogo, este sim, é talvez uma das partes mais surpreendentes do livro, e que me agradou, pois traz-nos uma pequena introdução, do que julgo tratar-se da história do próximo livro. Ou seja.. Inicialmente, pensei que estes livros fossem independentementes, que não fosse preciso lê-los por uma ordem, mas após isto, aviso-vos também, que as histórias estão interligadas.
E vale mesmo a pena ler este livro, principalmente se gostam de romances históricos misturados com um pouco de erotismo!

Sinopse: “O Michael, Marquês de Bourne, perdeu tudo o que tinha, com uma só carta: um oito de ouros. Apostou e perdeu toda a sua fortuna e terras numa só jogada e, com elas, a sua reputação. Bourne, nome pelo qual todos agora o conhecem, passou a ser um exilado da sociedade, transformando-se no frio e implacável dono do Anjo Caído, o clube de jogo mais famoso de Londres. Mas ele tudo fará para recuperar o que foi seu.
As terras de Bourne acabam por ir parar à posse de Penelope, uma sua paixão de infância. Penelope sofreu a humilhação de um noivado rompido, tendo sido trocada por outra mulher. Por isso deseja agora um casamento que não seja igual a todos os outros: um compromisso por conveniência.
Quando Bourne a rapta e a força a casar- se com ele para poder reaver as suas terras, Penelope aceita sem grandes dramas o desafio, pois sente-se atraída para uma relação diferente, que lhe permita aceder a prazeres inexplorados. Bourne é a senha de acesso aos prazeres desconhecidos por que Penelope anseia. Mas ao mesmo tempo o seu coração deseja que Bourne a ame, tal como ela o ama, secretamente, a ele. Será que Bourne vai conseguir ultrapassar as marcas e os fantasmas do passado e revelar a Penelope o que realmente sente? E estará Penelope à altura do submundo do vício e do pecado em que Bourne agora vive?”

Anúncios

2 pensamentos sobre “Um Marquês Irresistível – Sarah MacLean (Opinião)

  1. Pingback: 9 Regras a Quebrar para o Conquistar (Love by numbers #1) – Sarah MacLean [Opinião] – The Girl Who Reads Books

  2. Pingback: 1º Semestre de 2016 – 50/50 livros lidos – The Girl Who Reads Books

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s