The Assassin’s Blade (Throne of Glass #0.5) – Sarah J. Maas [Opinião]

18594430Publicação: Março-2014
Editor: Bloomsbury
ISBN: 9781619633612
PVP: N/A – Variável de site para site – Compra-o em www.wook.pt  
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse (versão pt-br aqui): Discover where Celaena Sardothien’s thrilling saga began
Celaena Sardothien is her kingdom’s most feared assassin. Though she works for the powerful and ruthless Assassin’s Guild, Celaena yields to no one and trusts only her fellow killer-for-hire, Sam.
When Celaena’s scheming master, Arobynn Hamel, dispatches her on missions that take her from remote islands to hostile deserts, she finds herself acting independently of his wishes—and questioning her own allegiance. Along the way, she makes friends and enemies alike, and discovers that she feels far more for Sam than just friendship. But by defying Arobynn’s orders, Celaena risks unimaginable punishment, and with Sam by her side, he is in danger, too. They will have to risk it all if they hope to escape Arobynn’s clutches—and if they fail, they’ll lose not just a chance at freedom, but their lives…
A prequel to Throne of Glass, this collection of five novellas offers listeners a deeper look into the history of this cunning assassin and her enthralling—and deadly—world.
Included in this volume: The Assassin and the Pirate Lord; The Assassin and the Healer; The Assassin and the Desert; The Assassin and the Underworld; The Assassin and the Empire

Opinião: Não sei por onde começar, sinceramente… A seguir a ACOMAF, este é o meu livro favorito da autora e, assim, da série Throne of Glass (ainda me falta ler o 5º livro, Empire of Storms). Se estão a ler esta opinião, não a leiam caso não tenham lido Throne of Glass pois contém spoilers que são conhecidos no primeiro livro da série! Apesar de tratar-se de uma prequela e de ter sido publicado antes de Heir of Fire, por recomendação de uma amiga minha, decidi lê-lo após este último e antes de Queen of Shadows (irão entender porquê na minha opinião de QoS). Mas este livro pode ser lido no momento em que quiserem, no entanto devem lê-lo antes de QoS. Mas agora falando do livro em si…

Não era isto que esperava. Esperava que fosse uma história “corrida”, apenas focada na Celaena e na sua vida antes de ser presa, onde teríamos em destaque o seu romance com o Sam Cortland, outro assassino. Mas então soube que este livro era dividido em 5 contos, pelo que esperei que as histórias fossem mesmo isso… contos, individuais, sem ligações propriamente. Porém, após mil e uma ideias que tive deste livro, ao lê-lo, dei por mim a adorá-lo mil vezes mais do que esperava gostar. Os “contos” acabam todos por ter alguma ligação entre si, uns mais que outros. Posso desde já dizer que os meus favoritos são os últimos dois contos “The Assassin and the Underworld” e “The Assassin and the Empire”, mas os outros três anteriores, apesar de não serem tão bons, foram divertidos e adorei-os também. Há vezes em que sentimos que x momento de um livro ou x conto é desnecessário, que não precisava de estar ali… e, bom, em “The Assassin’s Blade” é impossível pensar isto seja de qual conto for, porque considerei-os todos importantes de alguma forma.

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3

Um ponto que é muito importante para mim, e que na minha opinião foi o ponto alto deste livro, são os personagens. Arobynn, Sam Cortland, Celaena (óbvio) e os vários personagens que vão aparecendo ao longo da história são todos fantásticos, tão bem desenvolvidos, que fiquem um tanto triste de não puder ter conhecidos alguns. Mas sobre os três primeiros que mencionei… São sem dúvida os principais deste livro. Arobynn… um personagem muito MUITO bem criado, que adoro, sinceramente, e odeio ao mesmo tempo… É possível odiar e adorar? Bom, quem leu este livro ou a série, deve estranhar eu adorá-lo. Não adoro a pessoa. Odeio a pessoa. Mas em termos de adorar… É o personagem, a personalidade, a criação em si, que achei genial, e para mim ele é um ótimo vilão, que mereceria um livro só dele. Passemos ao Sam Cortland… Como é possível conhecer um personagem durante tão pouco tempo e adorá-lo com esta força? A morte dele destroçou o meu coração de fã. Sou e serei sempre #Samlaena. É um personagem que nos agarra, que é impossível não adorar. Mas a dona Sarah J. Maas decidiu que não faria mal matá-lo e assim deixar centenas de fãs a chorar. MY HEART STILL HURTS. A Celaena é e sempre será a minha personagem favorita da série, mas o Sam Cortland ocupa um lugar muito idêntico para mim… Apesar de ele ter aparecido pouco ao longo do livro, ao contrário do que pensei que aconteceria, o personagem marca presença na história e na vida de qualquer fã da série, sem dúvida.51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_5

Talvez este não seja o melhor livro da série, mas é o meu favorito pelos personagens que apresenta, principalmente pelo Sam Cortland. Após escrever esta opinião, chego a esta conclusão, afinal um livro favorito não tem que ser favorito apenas ou pela qualidade! Para mim, basta que haja um personagem ou um leque deles que me agarrem, como o Sam e o Arobynn me cativaram, para tornar esse livro o meu favorito. 

Advertisements

3 thoughts on “The Assassin’s Blade (Throne of Glass #0.5) – Sarah J. Maas [Opinião]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s