A Court of Wings and Ruin (ACOTAR #3) – Sarah J. Maas [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_Publicação: Maio-2017
Editor: Bloosbury
ISBN: 9781619634480
PVP: NA – variável de site para site – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: A nightmare, I’d told Tamlin. I was the nightmare.
Feyre has returned to the Spring Court, determined to gather information on Tamlin’s maneuverings and the invading king threatening to bring Prythian to its knees. But to do so she must play a deadly game of deceit—and one slip may spell doom not only for Feyre, but for her world as well. As war bears down upon them all, Feyre must decide who to trust amongst the dazzling and lethal High Lords—and hunt for allies in unexpected places.

Opinião: Após meses de muita espera (e puro desespero), chegou então o último livro que seguirá o casal que todos adoram: Feysand aka Feyre e Rhysand. Tinha prometido a mim mesma que iria esperar receber o meu exemplar físico deste livro e que depois iniciaria então a minha leitura dele, mas tendo eu as amigas que tenho, não resisti a ler o ebook que elas arranjaram na véspera de lançamento do livro (que mázinhas haha). E não me arrependi nada de o ter feito, excepto pela parte das marcações… Nem quero imaginar o trabalho que vai ser passá-las para o livro físico!

A escrita de Sarah J. Maas, para quem só leu as traduções portuguesas/brasileiras, é “sofisticada”. É complexa às vezes, pois a autora decide usar palavras mais caras em vez de simples. Algo que recomendo: se não se sentem 100% à vontade com inglês, optem por ler SJM em português/br, pois uma pessoa por vezes perde-se na história ou fica sem perceber algo por uma simples palavra lhe ser desconhecida. FELIZMENTE, lá consegui aguentar bem estes momentos e ao fim de algum tempo, habituei-me, pois ao ler os livros anteriores dela (ACOTAR e TOG), ia alternando entre o inglês e as traduções brasileiras. Mas a escrita da autora é também excelente, tem um toque poético, único. Do pouco que li nos outros livros, principalmente nos dois anteriores a este, noto que Maas evoluiu de livro para livro. Não vale a pena dizer que esta é uma narrativa que agarra o leitor ao longo das páginas, porque Sarah J. Maas é conhecida por isso mesmo. Este livro tem um total de 705 páginas que li em 3 dias.

Neste livro, há imensa coisa que acontece. Não temos apenas uma guerra. Temos várias. Temos também a presença dos restantes High Lords que não conheciamos ainda e foi sem dúvida espectacular conhecê-los a todos, principalmente o Helion! Existem também imensas surpresas, como personagens que pensávamos serem maus mas no fim revelam-se o contrário. Depois da revelação da outra face de Rhysand, sinto que eram de esperar estas revelações também por parte de outros personagens. Há um personagem em especial que vem revelar algo… chocante para a maioria das pessoas. Para mim, foi uma surpresa, apenas. Deixou-me bastante triste ao inicio mas acabei por compreender essa revelação, algo que parece que poucas pessoas parecem também compreender, já que passaram de adorá-la a odiá-la. O que tenho a dizer a cerca disso é que NINGUÉM É PERFEITO. Ok, o Rhysand é… Mas parece que os fãs desta série querem à força que aquele grupo de personagens em específico seja perfeito e isso deixa-me um pouco… chateada.
Existem também personagens que se envolvem na história de uma maneira fantástica. Personagens que não imaginava que poderiam vir a desempenhar um papel importante na história, depois de serem temporários nos livros anteriores. Existem mortes, como esperado: umas que satisfarão qualquer leitor e outras que nos deixarão tristes, com lágrimas até. ACOWAR vence definitivamente Clockwork Princess (Princesa Mecânica) a nível emocional, por várias razões.
“A Court of Wings and Ruin” é um livro fantástico, que superou as minhas expectativas. Deixou-me num turbilhão de emoções! São tantas as coisas das quais quero falar, pois ainda tenho muito a digerir por ter visto tanta coisa a acontecer em apenas 705. Sinto que esta opinião não está completa, mas afinal é SJM, é A Court of Wings and Ruin… é complicado pôr na escrita o que realmente sinto e penso. Tenho apenas a apontar como negativo o final que senti que foi apressado. Este livro tinha potencial para ser maior e ser dividido num segundo volume até. Mas pelo menos teremos os próximos livros (que infelizmente já não acompanharão Feysand, mas sim outros casais) que espero que venham desenvolver melhor certas partes que ficaram em aberto.

Num geral, ACOMAF (o livro anterior) é o meu favorito, sendo agora este o meu segundo favorito. Mas como disse, o inglês não é tão fácil quanto o da maioria dos autores que leio, então irei esperar pela tradução brasileira para o reler e então definirei o meu favorito da trilogia.

Advertisements

4 thoughts on “A Court of Wings and Ruin (ACOTAR #3) – Sarah J. Maas [Opinião]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s