Cinema | “O Grande Showman” (2017) — Opinião

Resultado de imagem para o grande showmanTítulo original: The Greatest Showman
Gênero: Musical, Drama, Biografia
Data de lançamento: 28 de Dezembro de 2017 (Portugal)
Elenco Principal: Hugh Jackamn, Michelle Williams, Zac Efron, Zendaya, Rebecca Ferguson, Lettie Lutz
A minha classificação: 10 em 10 estrelas

Opinião: O melhor filme de 2017, sem dúvida! Se não fosse uma amiga minha apresentar-me o trailer e este filme lembrar-me uma das minhas leituras favoritas deste ano (Caraval), provavelmente não teria visto este filme. Mas vi e foi tão bom, ainda melhor do que eu esperava!

Por incrível que pareça, fiquei surpresa ao descobrir que este filme tratava-se nada mais, nada menos do que um musical, pois pouco sabia deste, para além do que tinha visto no trailer. Não é propriamente o meu género favorito, tendo em conta que tentei ver filmes como “La, la, land” e simplesmente não me senti cativada, mas “The Greatest Showman” (o título em português é cómicamente tolo, diga-se de passagem) é algo lindíssimo e bem desenvolvido, chegando a ser melhor que musicais como “Os Miseráveis” e “Mama mia”, no que toca ao soundtrack.
Hugh Jackman surge mais uma vez a cantar de forma impecável e entusiasmante e não poderia ter havido melhor escolha para este papel. O mesmo se aplica a todos os atores, que estiveram impecáveis, sobretudo Zac Efron, que evoluiu imenso a nível de canto, para não falar de beleza (haha). Rebecca é outra atriz que adorei encontrar neste filme e que, embora não seja ela quem canta originalmente a música, esteve fantástica, como seria de esperar. Em suma, este filme apresenta um elenco fenomenal e um conjunto de músicas poderosas e viciantes, que nos ficam no ouvido desde os primeiros segundos. Posso indicar como minhas favoritas a música “This is Me“, “Never Enough“, “The Greatest Show” e “Rewrite the Stars“. Sim, eu sei… são muitas favoritas mas são todas tão belas e marcantes.

Resultado de imagem para the greatest showman

É um filme, sobretudo, emocionante e magnifico, genial, bem pensado, que voltarei a ver logo que esteja disponível fora dos cinemas, pois o que aqui encontramos é uma versão mágica e musical do mundo do circo. Não consigo apontar um único defeito neste filme, sinceramente. É uma obra criada para qualquer pessoa, de qualquer idade, que aborda temas já conhecidos mas que são explorados de uma forma surpreendente e original.
Espero que este filme seja nomeado para algum Óscar, porque de facto, este merece tal prémio, pelo quão excepcional e brilhante é.

É, para mim, o melhor filme deste ano, e acho que estas palavras resumem muito bem o quão adorei “The Greatest Showman” certo? Mesmo que não sejam os maiores fãs de musicais, assim como eu, não deixem de ver Hugh Jackman e companhia nos cinemas, pois tenho a certeza que não se irão arrepender!

Trailer e sinopse
Inspirado pela ambição e imaginação de PT Barnum, “O Grande Showman” conta a história de um visionário que surgiu do nada para criar um espetáculo fascinante que se tornou uma sensação mundial.

 

Anúncios

Literatura | “Amor com Trago Agridoce” de Pippa James — Opinião

9789898869500Título Original: The Secret Life of Lucy Lovecake 
Publicação: 13 de Novembro de 2017
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869500
PVP: 17,69€ — Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Um coração conquista-se com comida deliciosa, uma língua afiada e renda provocante!
A sonhadora Daisy Delaney é especialista em lingerie e tem um dom para a doçaria, mas não percebe como acabou por ficar sozinha e completamente falida. Farta da sua vida desinteressante, decide procurar a sua verdadeira vocação.
Michel Amiel é um chef francês tão genial quanto arrogante. Conheceu a fama cedo, mas com os escândalos em que se mete, a sua carreira já viu melhores dias. Principalmente agora, que as vendas dos seus livros estão a cair a pique com a chegada de uma tal Lucy Lovecake e do seu Fantasias Francesas — um livro que envolve não só receitas, mas também dicas amorosas e sugestões de lingerie para apimentar a relação.
A forte ligação que Michel e Daisy têm com a cozinha leva a que os seus caminhos se cruzem. E embora saiba que Michel a tira do sério, Daisy admite que o charme dele é como a sua comida: impossível de resistir!
Mas quanto mais Daisy se envolve na vida do chef francês, mais difícil será admitir-lhe a verdade. Sim, porque Daisy é também Lucy Lovecake!
E assim, estão reunidos todos os ingredientes para o desastre!

Um romance sexy e doce para devorar num piscar de olhos.

Opinião: “Amor com travo agridoce” é o livro ideal para vos acompanhar nas férias ou em qualquer altura em que o possam desfrutar lentamente, pois este é um daqueles livros que sabe a pouco se lido muito depressa, tal como um doce sabe a pouco se o devorarmos de uma só vez, certo? Acabamos por querer sempre mais e mais hehe. Pippa James apresenta-nos uma história doce e viciante, que recomendo ler com calma, pelo motivo mencionado anteriormente, não vá alguém acabar a ansiar por mais (hehe). Demorei alguns dias a lê-lo mas, mesmo assim, ao terminar de lê-lo, fiquei com vontade de ler mais deste romance divertidíssimo e único.

Foi um livro que me surpreendeu bastante, por não me ter cativado logo desde o inicio, mas assim que vemos Daisy “florescer” no mundo literário, é impossível não adorar esta história! Daisy é uma personagem simples, da qual facilmente gostamos. O mesmo acontece com os restantes personagens, excepto com Michel, que para mim foi um personagem complicado, embora acabasse por gostar também dele, pois a escrita de Pippa James envolve-nos de tal forma, que damos por nós no lugar da protagonista, a sentir o mesmo que ela.

Apenas senti que o final foi demasiado apressado, quando podia ter sido maior, pois não me importava de todo de seguir Daisy e Michel por mais páginas. Um segundo livro seria muito bem-vindo, claro, pois fiquei rendida a estes personagens e à história de Lucy Lovecake!
Atenção: não leiam este livro de estômago vazio, pois se adoram bolos, irão certamente ficar com vontade de comer uns quantos depois de lerem este livrito hehe

Literatura | “SAGA: Volume 2” (Saga #2) de Brian K. Vaughan e Fiona Staples — Opinião

Saga 2 PT Cover_frenteTítulo Original: Saga, Volume Two
Publicação: Abril de 2015
Editora: G Floy Studio Portugal
ISBN: 9788791630897
PVP: 10,99€ — Compra-o em www.wook.pt ou na editora por e-mail (gfloy.portugal@gmail.com)
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Com o lançamento do segundo volume de SAGA, regressamos ao universo de ficção-científica e fantasia de Brian K. Vaughan, uma das séries de banda desenhada de maior sucesso comercial e crítico da actualidade, a que a Entertaiment Weekly chamou “o tipo de comic que só aparece quando se dá a um par de criadores superstars liberdade total para produzir o comic dos seus sonhos”.

Marko e Alana continuam em fuga, com a sua filha bebé, Hazel, perseguidos pelas muitas facções de um vasto conflito interestelar. O seu crime? Ameaçar a “narrativa” que é a única justificação para esta guerra que assola a galáxia. Hazel já sobreviveu a assassinos letais, Príncipes Robots, exércitos e monstros alienígenas, mas terá agora de enfrentar o seu maior desafio… os seus avós! Neste volume descobriremos mais sobre o romance entre Alana e Marko antes de Hazel nascer, bem como a história dos pais de Marko. Seguiremos também o percurso do assassino conhecido como A Vontade, e o seu encontro com… Gwendolyne, a ex-noiva de Marko! E quem é Oswald Heist? Fique a saber tudo em SAGA Volume 2.

SAGA foi lançado em Portugal em Novembro de 2014, durante o Festival da Amadora BD. Esteve em grande destaque no Comic-Con no Porto, em que a presença de Brian K. Vaughan foi muito notada e gerou as maiores filas de autógrafos de qualquer autor de BD neste festivaL “Quando comecei a escrever Y: The Last Man e a ir a convenções deste género, eram sempre homens a vir ter comigo. Agora, em Saga, diria que 60% dos leitores são mulheres. Na última década, o mundo dos comics tornou-se num meio igualitário e mais feminista. Bem mais do que o cinema e a televisão.” Brian K. Vaughan

Opinião: Ainda melhor que o primeiro comic! Adorei ainda mais este segundo volume, que dá continuação à fuga de Marko e Alana, assim como à perseguição destes por A Vontade, com a sua gata mentirosa.

Gostei mais deste por várias razões, entre elas, está o facto da história abrandar um pouco. Acontecem menos coisas mas o que acontece acaba por decorrer de forma mais extensiva, em comparação ao primeiro volume, e adorei isso, pois permitiu-me conhecer melhor cada personagem e a sua história.
Novamente, existem vários pontos que me deixaram completamente surpresa ou chocada e é isso que adoro nesta série, para além das ilustrações incríveis. Talvez o que me deixou, sem dúvida, assustada foi a quase-morte de um personagem. Dava por mim a lamentar várias vezes “Não este personagem!”. Mas, ufa (haha), não foi desta e espero que seja nunca. Quem já leu estes livros, sabe de que personagem falo de certeza, personagem esse que é um dos meus favoritos, até agora.

As minhas expectativas para o próximo volume são bastante altas, assim como o meu entusiasmo é enorme para conhecer o que se segue, sobretudo por termos a introdução de novos elementos na história!

Uma leitura com o apoio deGFloy

Literatura | “Mais Negro” (50 Sombras contadas por Christian Grey #2) de E.L. James — Opinião

fTítulo Original: Darker
Publicação: Dezembro de 2017
Editora: Lua de Papel
ISBN: 9789892340807
PVP: 18,80€ — Compra-o em www.wook.pt ou em www.leyaonline.com/pt 
A minha classificação: 3,5 em 5 estrelas

Sinopse: Volte a viver a paixão de As Cinquenta Sombras Mais Negras pelos olhos e Christian Grey, contada pelas suas próprias palavras e através dos seus atormentados pensamentos, reflexões e sonhos.
E L James revisita o universo de As Cinquenta Sombras, regressando à história de amor que apaixonou milhões de leitores em todo o mundo, numa perspetiva ainda mais negra e mais profunda.

Apesar de a sua relação escaldante e sensual ter terminado em desgosto e recriminações, Christian Grey não consegue libertar-se de Anastasia Steele, ainda a sente na pele e em cada pensamento. Determinado a reconquistá-la, tenta reprimir os seus desejos mais negros e a sua necessidade de controlo absoluto, para finalmente poder amar Ana nos termos que ela própria ditar. Porém os horrores da sua infância ainda o perseguem, e Jack Hyde, o maquiavélico chefe de Ana, também a quer conquistar. Será que Dr. Flynn, o terapeuta e confidente de Christian, vai conseguir ajudá-lo a enfrentar os seus demónios? Ou será que a sempre possessiva Elena, a mulher que pela primeira vez o seduziu, ou a desvairada devoção de Leila, a sua antiga submissa, vão arrastar Christian de novo para o seu passado? E se Christian realmente conseguir reconquistar Ana, até que ponto um homem tão sombrio e atormentado pode ter esperanças em mantê-la ao seu lado?

Opinião: Apesar de não ter lido o livro anterior, na versão de Christian, quis muito ler este segundo livro na versão dele, pois pouco ou nada me lembrava do livro, mesmo tendo visto o filme há pouco tempo, ao contrário do que acontece com o primeiro livro, do qual me lembro bem.

Não faço ideia se o primeiro livro na versão dele é melhor ou não que a versão de Anastasia, mas este segundo é definitivamente melhor do que o original. Anastasia é uma daquelas protagonistas que não suporto, pela sua descrição/visão infantil e cansativa das coisas. “Darker”, título original, acaba por ser uma versão melhorada da versão de Anastasia, sem dúvida.
Algo que esperava muito deste livro eram as explicações melhoradas do porquê de Christian ser quem é e como é. Mesmo tendo algumas lacunas sido resolvidas, como a cena do helicóptero, sinto que ainda houve alguma coisa que faltou contar. Terminei o livro com a sensação de que isto acaba por ser quase uma cópia do original, com pequenas alterações do feminino para o masculino, porque realmente esperava conhecer melhor Christian, ver mais dele sozinho e não com Ana, porque todas essas cenas são já conhecidas.

Gostei, sim, deste livro. Acho que teria apreciado-o mais se o tivesse lido antes da versão feminina. E por isso, recomendo, a quem pense iniciar esta trilogia, que comece a ler pela versão masculina, pois acaba por ser trabalhada de forma diferente e melhor do que a sua antecedente.

Uma leitura com o apoio deluadepapel

Literatura | Grandes apostas Editorial Planeta para o 1º trimestre de 2018

Janeiro
— “O Homem de Giz” por C.J. Tudor (Thriller)
“Catarina de Aragão” por Philippa Gregory (Romance Histórico)
“O Fruto Proibido” por Jodi Malpas (Romance Feminino)
“As Provações de Apolo: A profecia negra” por Rick Riordan (Infantil-Juvenil)
“Adoro Yoga” por Lorena Pajalunga (Infantil-Juvenil)

Fevereiro
— “Não sou um monstro” por Carme Chaparro (Thriller)
“Deixarás a Terra” por Renato Cisneros (Romance Literário)
“Gente Séria” por Hugo Mezena (Romance Literário)
“Sempre te Encontrarei” por Megan Maxwell (Romance Feminino)
“O Filho das Sombras” por Juliet Marillier (Romance Fantástico)
— “Ej Girl Hero” por Susannah McFarlane (Infantil-Juvenil)
— “Star Wars – O Livro do Filme” (Infantil-Juvenil)
— “Star Wars – Chewie e os Porgs” (Infantil-Juvenil)
— “O Curioso Jogo do Dr.Alberto” por Rita Vilela (Infantil-Juvenil)
— “Os Heróis de Andósia: 1º Volume” por Rita Vilela (Infantil-Juvenil)

Março
— “Tenho de Saber” por Karen Cleveland (Thriller)
— “Todos os Dias são Meus” por Ana Saragoça (Romance Literário)
— “Conquistar um Duque” por Leonora Bell (Romance Histórico)
“Beren and Lúthien” (título original) por J.R.R. Tolkien e Christopher Tolkien, com ilustrações de Alan Lee (Romance Fantástico)
“Histórias de Mocho: 1º e 2º volume” por Margarida Fonseca Santos (Infantil-Juvenil)
— “Encanto: a Magia das Recordações” por Tea Stilton (Infantil-Juvenil)
“Tranças, coques e apanhados” por Joel Benjamin (Infantil-Juvenil)
“Zach King: 1º Volume” (Infantil-Juvenil)

 

Fonte: Editorial Planeta (Capas não oficiais, na sua maioria)

Literatura | “Uma Vida Muito Boa” de J.K. Rowling — Opinião

36671425Título Original: Very Good Lives: The Fringe Benefits of Failure and the Importance of Imagination
Publicação: 6 de Dezembro de 2017
Editora: Editorial Presença
ISBN: 9789722361354
PVP: 9,99€ — Compra-o em www.wook.pt ou no site da editora em www.presenca.pt
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Em 2008, J.K. Rowling proferiu um discurso profundamente marcante na Universidade de Harvard perante uma audiência de jovens recém-formados. Uma Vida Muito Boa, agora publicado pela primeira vez em língua portuguesa, contém palavras sábias de J.K. Rowling, proporcionando orientações a todos os leitores que se encontrem num momento de viragem decisivo das suas vidas, colocando questões profundas e estimulantes: como aceitar o fracasso? Como podemos usar a nossa imaginação em benefício não só de nós próprios mas também dos outros?
Partindo das suas vivências enquanto jovem recém-formada, a mundialmente famosa escritora trata neste pequeno livro de algumas das questões mais importantes da vida com inteligência e força emocional. Abordando temas como o fracasso, as adversidades, a imaginação e a inspiração, este livro permanece tão relevante hoje como da primeira vez que J.K. Rowling proferiu estas palavras, há 9 anos.
A Presidente da Universidade de Harvard, Drew Gilpin Faust, afirmou: «O percurso de J.K. Rowling constitui um poderoso exemplo. O discurso que a autora de Harry Potter proferiu constitui uma dádiva extraordinária para todos nós que tivemos o privilégio de a ouvir e agora de a ler.»
J.K. Rowling doará as receitas provenientes das vendas deste livro à Lumos Foundation, instituição de solidariedade a que preside. Esta iniciativa insere-se no seu compromisso de financiar os custos operacionais da referida instituição, permitindo assim que todas as doações possam ser encaminhadas diretamente para os projetos no terreno.

Opinião: Apesar de não ter sido um discurso que me apaixonassem, como esperava, fiquei, sim, encantada com a forma J.K. Rowling escreve/fala, com o modo como ela partilha a sua vida e experiências de uma forma única e tão típica dela. Para quem leu Harry Potter, sabe que o que não faltam, na sua escrita, são frases lindíssimas sobre a vida, que surgem ao longo da saga. E é exatamente por isso que adoro esta autora e porque queria tanto ler este discurso que Rowling fez na Universidade de Harvard.

Para mim, J.K. Rowling torna-se facilmente num modelo para qualquer mulher. Enfrentou tanto, sobreviveu a tanto, lutou pelos seus sonhos e conseguiu alcançar imenso. A determinação que esta demonstra ter dentro de si, acaba por ser algo que inspira, tal como o fazem as suas palavras neste discurso, acerca do fracasso e da imaginação. É um livro belo, tanto a nível de design, como a nível de palavras. É um livrinho pequenino mas que adoraria que fosse maior, pois adoro conhecer mais desta mulher incrível que é Joanne Rowling.

A autora começa por dizer que é uma honra ter estado naquele evento, porém, no meu ponto vista, a honra pertence a quem a pode ouvir. Eu, certamente, que teria sentido-me bastante feliz por poder ouvir Rowling a discursar na minha universadade (hehe) e vocês? 😉
Não percam este livrinho, que mesmo pequenino, é tão grande pela força das palavras presentes no seu interior.

Para mais informações sobre o livro “Uma Vida Muito Boa”, clica aqui!

Uma leitura com o apoio depresença

Literatura | “Saga” (Volume #1) de Brian K. Vaughan e Fiona Staples — Opinião

Resultado de imagem para saga volume 1 g floyTítulo Original: Saga, Volume One
Publicação: 2014
Editora: G Floy Studio Portugal
ISBN: 9788791630828
PVP: 10,99€ — Compra-o em www.wook.pt ou na editora por e-mail (gfloy.portugal@gmail.com)
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Quando dois soldados de lados opostos de um imenso conflito galáctico sem fim se apaixonam, terão de arriscar tudo para proteger uma nova vida num universo terrível e perigoso. Um universo sem limites, povoado de possibilidades infinitas. E um planeta, Fenda, onde nascerá a ideia que irá expandir-se e crescer para conquistar todo um cosmos, símbolo de esperança para dois povos desavindos.
SAGA é a história de dois jovens soldados de lados opostos de um vasto conflito inter-galáctico sem fim, que se apaixonam e arriscam tudo para protegerem a vida que criaram e que terá de crescer num universo hostil e perigoso. Alana e Marko querem apenas poder viver a sua vida em paz com a sua jovem filha Hazel – considerada uma abominação por todas as potências envolvidas na guerra – e, entre serem perseguidos por um príncipe robot com cabeça de TV, assassinos profissionais dos mais diversos planetas e serem assombrados pelos fantasmas de vítimas de batalhas passadas, a sua história irá mudar a galáxia. Fantasia e ficção-científica juntam-se como nunca antes no primeiro volume deste épico subversivo e provocante, obra de dois dos mais aclamados nomes da banda desenhada actual: o escritor Brian K. Vaughan e a artista Fiona Staples.

Opinião: Era enorme o receio do que viria a encontrar nesta tão conhecida e falada série: SAGA. Se por um lado, estranhava a arte de Fiona Staples, por outro lado sentia-me imensamente entusiasmada e curiosa por conhecer este mundo que conquistou tantos fãs.
De facto, sem conhecer a história, os personagens parecem meio estranhos mas à medida que a história vai nos prendendo e que nos vamos sentindo cada vez mais envolvidos nesta, tudo vai-se tornando normal e belo aos nossos olhos, de uma forma estranha-genial.

Continuo a estranhar um pouco personagens com “cabeça de televisão”, como o Príncipe Robot IV, por exemplo, mas tal ideia deixa-me curiosa para saber o porquê destes serem assim. Marko e Alana são personagens dos quais é impossível não gostar. São corajosos, lutadores, engraçados também e o facto da história destes ser narrada pela filha, Hazel, faz com que a minha vontade de segui-los seja maior, por querer saber como terminará esta perseguição ao casal e a guerra entre os povos destes.

Outro personagem que adorei foi A Vontade, que é um personagem no qual vejo bastante potencial, podendo vir a tornar-se o meu favorito da série, quem sabe. Ao meu ver, este acaba por demonstrar que nem todos os monstros perderam a humanidade. E, claro, a sua gata é deveras engraçada, com a sua mania de dizer “mentira” sempre que alguém mente.

Em suma, “Saga volume 1” corresponde a todo o hype que tem. O mundo deverá ser mais desenvolvido no próximo volume, e explicado, assim o espero, mas por agora posso dizer que a minha parte favorita desta graphic novel são, indubitavelmente, os personagens, por serem tão únicos e especiais!

Uma leitura com o apoio deGFloy

Literatura | “The Wicked + The Divine — volume 1: o Acto de Fausto” de Kieron Gillen e Jamie Mckelvie — Opinião

21317463_1398363146879228_9190870390335801989_nTítulo Original: The Wicked + The Divine, Vol. 1: The Faust Act 
Publicação: Novembro de 2017
Editora: G. Floy Studio Portugal 
ISBN: 9788416510481 
PVP: 13,99€ — Compra-o em www.wook.pt ou na editora por e-mail (gfloy.portugal@gmail.com)
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: “Não é por seres imortal que vais viver para sempre…”

A cada noventa anos, doze deuses aceitam reencarnar em forma humana. São carismáticos, amados e odiados. Arrastam multidões e levam-nas ao êxtase, falam em línguas estranhas, e os rumores afirmam que são capazes de milagres. Salvam vidas, de maneira metafórica e real. E morrem passados dois anos.

Bem-vindos ao mundo de The Wicked + The Divine, onde os deuses são estrelas pop estranhamente semelhantes às do nosso mundo, uma metáfora fascinante da juventude dos nossos dias e da glória efémera transformada em valor supremo de uma sociedade.”

Opinião: As imagens, que é para mim o factor mais importante de uma banda desenhada, são simplesmente lindíssimas. Se já achava isto antes, apenas por ter visto algumas imagens que a editora disponibilizou no seu facebook, depois de ler este livro, fiquei completamente rendida à arte de Jamie Mckelvie. Acho que mesmo que a história não fosse nada de cativante, as imagens seriam o suficiente para me prenderem à leitura desta banda desenhada.

Todavia, a história é, sim, bastante cativante. Toda esta ideia de deuses que reencarnam em forma humana, com vidas curtas, é excelente, principalmente para quem, como eu, adora mitologia e todo este tema de deuses.
Falando dos personagens em si: adorei Luci. É a minha personagem favorita, sem dúvida. Está extremamente bem caracterizada e destaca-se de entre os outros deuses, pela personalidade. Faz-me lembrar um pouco de Lúcifer, da série (Fox), por isso é difícil não gostar ao menos um pouco dela (haha). Mas também todos os outros deuses têm algo de peculiar e interessante, assim como a protagonista, que tenta ajudar Luci a sair da prisão. Estou bastante curiosa em saber o que se seguirá para estes personagens.

O final, confesso, que chocou-me um pouco. Não estava nada à espera que se desse aquela reviravolta, mas o facto deste primeiro volume terminar assim, aumenta a minha vontade de ler o próximo volume, pela curiosidade e esperança de uma solução ao que aconteceu.

É um inicio de série fantástico, a qual continuarei a seguir, com bastante entusiasmo. 🙂

Uma leitura com o apoio deGFloy

Literatura | “Saído de um Conto de Fadas” (Entre as linhas #2) de Jodi Picoult e Samantha Van Leer — Opinião

Resultado de imagem para saído de um conto de fadasTítulo Original: Off the Page 
Publicação: 6 de Outubro de 2017  
Editora: Bertrand Editora
ISBN: 9789722532143 
PVP: 16,60€ — Compra-o em www.bertrand.pt ou em www.wook.pt
A minha classificação: 3,5 em 5 estrelas

Sinopse: Um príncipe encantado saído de um conto de fadas para o mundo real.
Uma leitora que quis que o príncipe ganhasse vida e fosse seu.
Unidos pelo destino. Mas será que este amor pode sobreviver à realidade?
A princípio parece um milagre perfeito: Delilah quis que o príncipe do conto de fadas ganhasse vida e se tornasse seu. E assim foi, Oliver saiu, literalmente, das páginas do livro. Mas depois as coisas começam a complicar-se. Para existir no mundo de Delilah, Oliver tem de ocupar o lugar de um rapaz normal. É aqui que entra Edgar, que concorda em desempenhar o papel de Oliver nas páginas do livro preferido de Delilah. Mas justamente quando tudo parece encaixar na perfeição, eis que se dá uma reviravolta… e fica tudo de pernas para o ar.

Neste universo múltiplo, a fronteira entre o que está na página e aquilo que é possível é muito ténue. Será que vão conseguir viver todos felizes para sempre?

Opinião: Apesar de sentir que esta história de amor, entre Delilah e Oliver, poderia ter ficado concluída no primeiro livro, pois adorei de facto a forma como tudo aconteceu e acabou, não posso negar que gostei deste segundo livro. Foi um livro mais divertido, em parte, cujos acontecimentos prenderam-me a este, sobretudo quando se dão as trocas constantes de personagens e pessoas entre o conto e o mundo real.

O primeiro livro é, sem dúvida, bastante melhor, principalmente por este segundo ter muitas mais páginas e tornar-se um pouco cansativo mais para meio e não ter toda aquela magia e vicio de “Entre as Linhas“. Mas por outro lado, senti um desenvolvimento a nível de escrita e de facto isso fez-me gostar um pouco mais deste volume final, por ser menor a diferença entre as escritas, que é mais notável no primeiro livro.

O melhor do livro foi o destaque dado a outros personagens, como Seraphima, Edgar, Jessamyn e até mesmo ao cão-melhor amigo de Oliver. Gostei mesmo de os conhecer melhor a todos.
Como já mencionei antes, este livro foi deveras divertido. Oliver, um principe a adaptar-se ao mundo real, foi extremamente hilariante, assim como Seraphima e a cena do centro comercial. Não me lembro de ter-me rido tanto, nos últimos tempos, com personagens literários!

Torno a dizer, que apenas o primeiro livro é “suficiente” para contar esta história, porém garanto-vos que irão sentir-se entretidos até à última página com esta pequena aventura de personagens de um conto de fadas a viverem no mundo real. 😉

Literatura | “O Sol também é uma Estrela” de Nicola Yoon — Opinião

Título Original: The Sun is Also a Star 
Publicação: 15 de Novembro de 2017
Editora: Editorial Presença
ISBN: 9789722361286
PVP: 15,90€ — Compra-o em www.presenca.pt ou em www.wook.pt
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: A história de uma rapariga, um rapaz e o universo.

Natasha: Sou uma rapariga que acredita na ciência e nos factos. Não acredito no destino. Não sou de todo aquele tipo de rapariga que encontra um rapaz simpático numa rua nova-iorquina cheia de gente e se apaixona por ele. Não quando a minha família está a doze horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não será a minha história.

Daniel: Sou o bom filho, o bom estudante, correspondendo sempre às elevadas expectativas dos meus pais. Nunca fui o poeta. Ou o sonhador. Mas quando a vejo, esqueço tudo isso. Algo em Natasha faz-me pensar que o destino nos reserva, a ambos, alguma coisa muito mais extraordinária.

O universo: Cada momento das nossas vidas conduziu-nos a este momento único. Há um milhão de futuros perante nós. Qual deles se tornará realidade?

Opinião: Penso ser a primeira vez que leio uma história como esta, em vários sentidos. A principal característica que, para mim, torna este livro ainda mais único e incrível é o facto da história decorrer apenas num dia. Parece chato, dito assim, não? Mas não é, acreditem. Nicola Yoon conseguiu escrever algo genial por isso mesmo. Ao meu ver, não é fácil escrever 300 e poucas páginas cuja história decorra apenas num só dia.
Outro ponto que poderia não ter gostado mas que dei por mim a adorar imenso para surpresa minha foi todo este tema de amor instantâneo, ou amor à primeira vista. “Fofo” é o melhor adjetivo para os romances desta autora. Este foi ainda melhor e mais apaixonante que “Tudo, tudo e nós“, sobretudo por Nicola Yoon conseguir agarrar em dois pontos como o tempo e o tema e transformá-los em algo surpreendente.
Mais uma vez, a leitura de um livro desta autora pôs-me a sorrir e a rir por várias vezes com os seus personagens simplesmente divertidos.

O que mais gosto na escrita de Yoon (e, assim, na sua imaginação) é a forma como ela mistura uma história fofa com um tema real. Se por um lado temos um romance entre adolescentes, factor que tornaria este livro mais direccionado a um público mais novo, por outro, temos a abordagem de uma realidade — que neste caso trata-se da imigração —, que faz com que este livro seja ideal para qualquer idade.

Se adoraram “Tudo, tudo e nós”, tenho a certeza que irão adorar mais este novo livro editado pela Editorial Presença! 😉

Para mais informações do livro “O Sol também é uma Estrela“, clica aqui!