Literatura | O que ando a ler…

Há algum tempo que não escrevia um post sobre o que ando ou planeeio ler, por isso eis-me aqui.

Uma das razões para não andar a publicar tanto é que comecei a ler um “calhamaçozinho” chamado “Uma Mulher em Fuga”, o novo livro da Lesley Pearse publicado em Portugal. São 600 e poucas páginas e dado que estou mais habituada a ler livros de 300 e poucas páginas no máximo, acaba por ser normal demorar mais tempo a ler livros maiores.
Outro livro que ando a ler é Outlander (o quarto livro aka 1000 e tal páginas), embora a leitura esteja parada enquanto não termino o da Lesley Pearse.

Mas falando do que estou a achar de…

Resultado de imagem para outlander tambores de outono “Outlander – Os Tambores do Outono” de Diana Gabaldon: Já li cerca de quase 300 páginas, o que é um grande avanço se tivermos em conta que este é mesmo um calhamaço de 1000 e poucas páginas, cuja fonte tem um tamanho menor do que o padrão. Embora esteja a adorar, porque Outlander é Outlander e eu adoro o mundo e os seus personagens, estou a achar um pouco enrolativo, no sentido em que não há muita ação, os acontecimentos prolongam-se demasiado e muito do que acontece poderia facilmente ser descartado do livro. Mas sendo Diana Gabaldon, tenho a certeza que muito do que está a acontecer agora, por mais enrolativo que seja, poderá vir a ter a sua importância mais para a frente. Se tivesse que classificar estas primeiras 300 páginas, daria 4 estrelas, porque comparado ao livro anterior, este tem uma certa fluência ao contrário de narrativa meio confusa.

“Uma Mulher em Fuga” de Lesley Pearse: Já perdi a conta de quantos livros desta11.1 autora li. Foram praticamente todos e adorei-os, uns mais que outros, claro. Só deixei em “stand by” o “Confia em mim”, que com 200 e poucas páginas tornou-se cansativo na sua narrativa de acontecimentos. Mas este novo livrinho está a ser simplesmente fantástico! Tento ler 100 e poucas páginas por dia no mínimo, para que não fique muito tempo a ler o mesmo livro (sou daquelas pessoas que enjoa se tiver a ler o mesmo livro durante muito tempo!), mas acabo sempre por ler mais do que a meta. Até ao momento em que estou a escrever este post, já li 200 e poucas páginas e estou completamente viciada. A história, os personagens, a escrita: tudo está no ponto. Já sentia saudades de ler Lesley Pearse e este tipo de histórias mais fortes.

12.2 “A Ilha das Quatro Estações” de Marta Coelho: Quem conheço que leu esta novidade do Clube do Autor, diz ter adorado esta ilha, pelo que senti curiosidade e lá peguei nele. Comecei a ler e, embora até agora não ter me sentido agarrada ao livro, estou aos poucos a ganhar uma curiosidade sobre o que ai vem. Já li umas 70 páginas, no total, pois ando mesmo concentrada em Lesley Pearse hehehehe Mas o pouco que li, agradou-me e intrigou-me mesmo sobre o que poderá acontecer mais para a frente. A escrita é bastante simples, o que é bom. A isto, junta-se o pormenor dos capítulos serem divididos em dois pontos de vistas, sendo cada capítulo composto por poucas páginas, o que dá certa fluência ao livro. Num geral, ainda não senti aquele “agarrar”, mas estou a gostar e espero adorar este livro tanto quanto as outras pessoas adoraram.

Embora não os esteja a ler ao mesmo tempo, são leituras que iniciei e que estou a gostar. Por agora, o meu objetivo é terminar de ler o da Lesley Pearse enquanto estiver no Porto. Sim, estou no Porto! A visita à Lello é garantida, pois uma fã de Harry Potter não pode deixar de ir à Lello certo? hehehehe

O que andam a ler desse lado? Terminam sempre os livros que iniciam ou às vezes dão por vocês com vários livros em stand by/a ler vários livros ao mesmo tempo? 😉

Literatura | “Antes de Ires” de Clare Swatman — Opinião

5.6Título Original: Before you go
Publicação: Julho de 2017
Editora: Editorial Planeta
ISBN: 9789896579258
PVP: 17,70€ – Compra-o em www.wook.pt  
A minha classificação: 3,8 em 5 estrelas

Sinopse: Um romance para todos aqueles que acreditam no poder do amor, e que acreditam que nunca é tarde de mais para mudar as coisas.

ENCONTRA A SUA ALMA GÉMEA…
Há pessoas que passam anos a ver o amor à sua frente antes de o descobrirem. Zoe e Ed fizeram, com mais ou menos tropeções, o seu caminho até à idade adulta, cada qual pelo seu trilho… mas sempre na mesma direção. Anos mais tarde, depois de terem navegado por empregos que não levavam a parte nehuma e caóticas partilhas de apartamentos, o amor floresce finalmente. O futuro juntos parece ponto assente…

ENTÃO ACONTECE O IMPENSÁVEL.
Uma manhã, a caminho do trabalho, Ed é derrubado da sua bicicleta e morre. E Zoe tem de arranjar maneira de sobreviver. Mas não está preparada para abrir mão das suas recordações. Como pode esquecer os tempos felizes, o primeiro beijo, tudo o que construíram juntos? Zoe decide que tem de dizer a Ed todas as coisas que nunca disse.

SÓ QUE AGORA É DEMASIADO TARDE. OU NÃO SERÁ?

Opinião: Mais uma novidade deste verão lida! Quando li a opinião de umas quantas sobre este livro, não resisti e decidi pegar nele. O tema de segundas oportunidades, de voltar atrás e tentar corrigir o passado e alterar os acontecimentos futuros-presentes é extremamente interessante e só por ai a minha curiosidade era enorme. Para além disso, a capa portuguesa é lindíssima! Lembra-me um pouco das capas brasileiras de Nicholas Sparks, mas adorei-a e despertou ainda mais a minha curiosidade.

Algo que adorei neste livro foi a escolha da autora em não prolongar-se muito na descrição de acontecimentos até à morte de Ed, o marido de Zoe. Foi direta “ao assunto”, como se costuma dizer, e adorei tal coisa pelo simples facto de que muitas vezes encontro o contrário em vários livros. Não foram nem 50, nem 200 páginas para alcançar a ação principal. Foram apenas umas 20 e poucas.

Mas num geral, acho que o livro ficaria excelente se tivesse umas quantas páginas a menos, pois senti que às vezes, na viagem ao passado, a história acabava por arrastar-se um pouco com um ou outro momento não muito relevante para história. Excepto isto, adorei conhecer o passado deste casal e gostei sobretudo de ver a força de vontade de Zoe em tentar mudar e melhorar as coisas, de forma a evitar que no fim o Ned morra de novo.
A escrita não é das que agarra por completo, mas o mistério em si e a curiosidade de saber como terminará tudo, leva a que o leitor fique preso à história. J.K. Rowling é um exemplo. Não sou a maior fã da escrita mas adoro o mundo. O mesmo acontece com este livro.

O final, e sem dar spoilers, deixou-me um pouco surpresa. Por um lado, esperava que tudo terminasse daquela forma, mas por outro lado… fiquei surpresa e acho que teria “amado” este livro se de facto o final tivesse sido diferente do que a autora escreveu. Mas é um livro que adorei imenso e que recomendo, sobretudo a fãs de Nicholas Sparks ou de Jojo Moyes, que são os autores cujo tipo de história sinto que se aproxima mais do deste livro.

Uma leitura com o apoio dePlaneta

Séries | Orphan Black, 1ª e 2ª temporada (2013) — Opinião

Orphan-Black-Season-1-Promo-PosterData de lançamento: 30 de Março de 2013
Elenco Principal: Tatiana Maslany, Jordan Gavaris, Kristian Bruun, Dylan Bruce, Maria Doyle Kennedy, Ari Millen, Kevin Hanchard, Évelyne Brochu
Gênero: Ficção Científica, Thriller, Ação, Drama
Produtores executivos: Ivan Schneeberg, David Fortier, Graeme Manson, John Fawcett
Emissora original: BBC America, Space
País: Canadá
Idioma: Inglês
A minha classificação (classificação das 2 temporadas vistas): 8,5 em 10 estrelas

Opinião: Estava eu sem fazer nada, quando decidi experimentar uma série nova. Após ter ponderado um pouco, decidi ver então o pilot de Orphan Black. A ideia era ver um ou dois episódios, e depois passar o resto da noite a ler. Mas o vicio foi total e não consegui parar de ver a série. Há imenso tempo que não sentia tamanho vicio como este que “Orphan Black” me faz sentir. Ultimamente, parece que nada me agarrava o suficiente. Vejo o pilot e um ou outro episódio de uma série, mas parece que não sinto muito entusiasmo suficiente para continuá-la, mesmo gostando dela. Tal não aconteceu com Orphan Black, que adorei sem dúvida. Das duas temporadas que vi até agora, a primeira foi sem dúvida a minha preferida.

1ª temporada: Toda esta história de clones era extremamente intrigante mas o que mais gostei de ver nesta temporada foi a “atuação” de Sarah Manning enquanto Beth Childs (ambas clones uma da outra). Prendeu a minha atenção à série desde os primeiros momentos em que esta rouba a identidade da detetive. Adorei também o desenvolver da relação entre Sarah e Paul. Adorei a química entre ambos, assim como adorei Paul que além da Sarah (a agir como Beth) foi o meu personagem favorito. A maioria dos episódios foram mesmo ótimos, sem nenhum ponto negativo. O final da temporada foi ótimo também, mas senti que faltou algo nele. Mas esta primeira temporada foi, sem dúvida, a minha favorita até agora, por toda a ação e mistério. Adorei toda esta história do “clube de clones”!

orphan-black-season-2-felix-alison-donnie.jpg

2ª temporada (contém spoilers, para quem não viu a primeira temporada): Começo por mencionar o que me deixou um pouco desanimada, que neste caso foi a ligação que vemos desenvolver, na primeira temporada, entre Paul e Sarah, que nesta nova temporada parece desaparecer do nada. Senti falta de os ver juntos. Senti também falta de todo o mistério que houve na primeira temporada. Mas foi uma temporada que adorei, de um modo geral, embora tivesse achado ligeiramente mais “fraquinha” quando comparada à anterior. Na primeira temporada, os maiores destaques, para mim, foram Paul e Sarah mas nesta segunda Helena conquistou-me por completo. Tornou-se a minha clone favorita de todas as que surgiram. Considero-a uma personagem extremamente fascinante e peculiar. Alison Hendrix foi outra clone que evoluiu imenso ao longo destes 20 episódios, enquanto que Sarah e Cosima permaneceram neutras. A ausência do meu casal favorito foi compensada pela presença de um outro (Cosima e Delphine), que simples adoro.

Em termos de argumento, a 1ª temporada contém um ingrediente extra que vicia, enquanto que esta 2ª temporada pareceu-me mais lenta em certos momentos.
Num geral, a série é bastante boa. Tatiana Maslany é uma excelente atriz, com um talento único, na minha opinião, pois eu, como espectadora, chego a acreditar que estou a ver várias atrizes iguais na série em vez de uma só. São tantas personalidades diferentes, tantas manias, tantas formas de agir, que uma pessoa dificilmente acredita que é tudo obra de uma só atriz hahahaha “Orphan Black” é daquelas séries que faz-nos questionar “Como é que eu esperei tanto tempo para a ver?”. O bom de tê-la começado a ver agora é que esta teve o seu último episódio exibido ontem (12/Agosto/2017), pelo que não terei que passar por todo aquele tormento que é esperar meses por uma nova temporada.
Irei começar hoje a terceira temporada e, mesmo já sabendo de algumas coisas que acontecem e que não são do meu agrado, espero gostar tanto dela como gostei das antecedentes.

Trailer (legendado)

 

Literatura | “Guarda-me para Sempre” de Brigid Kemmerer — Opinião

9789898869258Título Original: Letters to the Lost
Publicação: 26 de Julho de 2017
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869258
PVP: 17,69€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Duas vidas que se cruzam por acaso.
Um grande amor que nasce nas entrelinhas.
Juliet ainda não conseguiu aceitar a morte da mãe. Quatro meses depois, continua a escrever-lhe cartas, deixando-as junto à campa, numa tentativa desesperada de manter a mãe viva e bem perto de si.

Declan é o tipo de rapaz que todos temem. Depois de se meter novamente em sarilhos, é obrigado a prestar serviço comunitário no cemitério local. Além da sua má reputação, ele enfrenta também os demónios do passado.
Quando Declan lê uma das cartas que Juliet deixou no cemitério, decide também ele lhe escrever. Nasce assim uma relação magnética e inexplicável. As palavras que trocam por carta, dia após dia, são libertadoras e reconfortantes, e o amor vai nascendo nas entrelinhas do acaso.
Até ao dia em que a vida real ameaça quebrar todo o encanto.

Juliet e Declan estão prestes a descobrir coincidências terríveis que os mudarão para sempre.
Muito mais do que uma história de amor!
Uma viagem apaixonada pela magia dos acasos, que nos mostra que o destino pode ser, simultaneamente, cruel e fantástico.

Opinião: Acho que nunca me senti tão indecisa sobre qual classificação dar a um livro. Tal indecisão aconteceu ao terminar de ler “Letters to the Lost”. Mas após alguma reflexão, senti que as 5 estrelas eram merecidas. Apenas pelo facto de ser uma leitura fácil e cativante desde o início, este livro tinha as 4 estrelas garantidas. E o que representa essa estrela que falta para ser uma classificação máxima, perguntam-se vocês.

Essa estrela representa exatamente a minha “relação” com o romance e a forma como este se desenvolve. Esta história não tem uma apresentação muito extensa do típico drama final de um romance, o que ao início me deixou no meio desta indecisão toda. Porém, após pensar um pouco, vejo que o ponto central desta história era a forma como um rapaz e uma rapariga iriam enfrentar e superar os seus “demónios”. E eu adorei que a autora se tivesse focado mais nisso do que no romance em si, sinceramente. Foi diferente do que estou acostumada a encontrar neste género. Diferente de uma forma extremamente positiva. E por isso as 5 estrelas são merecidas. Este livro conquistou-me de uma forma inexplicável, pelos seus personagens, quer pelos protagonistas como pelos secundários, como Rev por exemplo.

O romance não é o ponto mais importante neste livro, ao meu ver, mas é algo bonito e que traz um equilíbrio ao que podia ter sido uma história mais “negra” pelos passados dos seus personagens e pelo que estes enfrentam. “Guarda-me para sempre” está no ponto, como gosto de dizer. Tem a dose certa de romance, para o que este livro pretende abordar na realidade. Gostei imenso de ler as conversas entre os protagonistas e a forma como tais conversas foram como um “empurrãozinho” para ambos conseguirem lidar, passo a passo, com tais “demónios”.

Adoraria que a autora escrevesse um livro sobre o Rev e, quem sabe, um romance envolvendo-o. Seria extremamente interessante. Mas por enquanto, ficamos com a história da Juliet e do Declan, que é uma história que recomendo a todos a ler. Tenho a certeza que a devorarão em horas, assim como eu o fiz!

Uma leitura com o apoio delogo_topseller_lema

Passatempo | 1 marcador “A Vampira” de Martina Romero + 1 marcador fandom

Como comemoração de o blogue ter atingido 500 seguidores na página de facebook e em parceria com o blogue Nerd e Chique, trago-vos um mini-passatempo.

Passatempo

O que ganhará o vencedor do passatempo?
1 marcador “A Vampira” de Martina Romero + 1 marcador de um fandom à escolha do vencedor, editado por mim.

O que têm que fazer para participarem?
Seguir o blogue (por e-mail ou não).
Dar gosto na página de facebook do blogue, aqui
Dar gosto na página do facebook do livro da autora, aqui
Dar gosto na pagina do facebook da escritora, aqui.
Seguir o blogue “Nerd e Chique”, aqui.
Dar gosto na pagina do facebook do blogue “Nerd e Chique”, aqui.
Partilhar o passatempo no facebook, em modo público.
Preencher o formulário abaixo com todos os dados pedidos.

Alguns avisos:
É permitida uma participação por pessoa, por dia, pelo que cada pessoa pode participar até 14 vezes .
Caso um dos requisitos não seja cumprido ou haja falta de dados no formulário, essa participação é considerada inválida.
Qualquer dúvida acerca do passatempo, não hesitem em contactar-me.
O passatempo é válido apenas para Portugal continental e ilhas, terminando dia 24 de Agosto de 2017, às 23h. O sorteiro será feito via random.org. O vencedor será contactado por e-mail e anunciado no facebook logo que responda ao e-mail. Caso não o faça num prazo de 24 horas, será sorteado um novo vencedor.
Nem o blogue ou os restantes parceiros do passatempo, se responsabilizam por possíveis extravios.

Literatura | Leituras de Junho e Julho — 2017

Ressaca literária e verão são dois elementos que têm vindo a combinar “muito bem” ao longo dos meus anos enquanto leitora. Chega o verão, chega a ressaca literária. Não falha nenhum ano! E como já esperava e receava, quase não li livros nenhuns. Geralmente leio uns 10/11 livros por mês mas estes dois últimos meses foram uma desgraça. Pensei mesmo que este ano ia conseguir ultrapassar esta “preguiça” de verão, também… 😦

Tal como com as aquisições, trago-vos as minhas leituras destes dois meses que passaram:

 

Revolta (0s 100 #4) – Kiera Cass 
Nimona – Noelle Stevenson 
Romeu e Julieta (Os livros estão loucos) – William Shakespeare, adaptação de Ana Almeida 
A Sereia – Kiera Cass 

 

A Química dos Nossos Corações – Krystal Sutherland
Alice no País das Maravilhas (Os livros estão loucos) – Lewis Carroll, adaptação de Elisabete Agostinho
Monstress, Despertar (vol. 1, #1-6) – Marjorie Liu, Sana Takeda
The Call (The Call #1) – Peadar O’Guilin

 

Follow Me Back (Follow Me Back #1) – A.V. Geiger
Reencontro com o Amor – Melissa Pimentel
Quando a Amizade me Seguiu até Casa – Paul Griffin
O Boss – Vi Keeland

 

O Milésimo Andar (O Milésimo Andar #1) – Katharine McGee
Angélica e Lorenzo (Linhas do destino #1) – Lettie S.J.
Leite e Mel – Rupi Kaur

E vosso verão, está a ser como a nível de leituras? A ressaca literária e típica preguiça de verão andam de mãos dadas por esse lado? 😉

Literatura | Novidades de 1 a 16 de Agosto — 2017

Dia 2

Dia 4

Dia 16

20620824_1557059874317123_2857072533084780972_n

Literatura | “Leite e Mel” de Rupi Kaur – Opinião

500_9789892338125_leite_e_melTítulo Original: Milk and Honey
Publicação: Março de 2017
Editora: Lua de Papel
ISBN: 9789892338125
PVP: 14,90€ – Compra-o em www.wook.pt ou no site da editora 
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Leite e Mel é um conjunto de poesias sobre o amor, a perda, o abuso infantil e, finalmente, a cura. Transporta os leitores para momentos difíceis da vida, mas leva-os a descobrir neles a doçura e a fragilidade da vida, porque a doçura está em todo o lado, se estivermos abertos a recebê-la.

Leite e Mel é uma história de sobrevivência através da poesia. Para a autora, é o sangue, suor e lágrimas dos seus vinte e um anos.

Lançado originalmente pela própria autora na Amazon, o livro tornou-se tão famoso que não passou despercebido no mundo editorial e os seus direitos foram adquiridos.

Opinião: Não sou uma pessoa de poesia, talvez porque sempre a considerei chata (obrigada escola!). Mas o conteúdo que encontrei neste livro é simplesmente fantástico e arrebatador. É um livro lindíssimo, único e que me conquistou desde o primeiro poema.

Acho que quanto mais experiência de vida temos, mais facilmente nos apaixonamos por este livro, porque muitas coisas acabam por retratar algo porque já passamos, seja na dor, no amor ou noutro tipo de fase da nossa vida. É por isto que adorei tanto este livro. Muitos dos poemas que li lembraram-me momentos da minha vida. Outros são extremamente lindos (mesmo que alguns sejam tristes) pelo simples facto de serem simples mas de ao mesmo tempo dizerem muito.
Sendo um pouco mais “lamechas” (romântica, talvez), este livro tocou-me de uma forma inexplicável. Apaixonei-me pela maioria dos poemas e ainda hoje, dou por mim a reler alguns dos meus favoritos.

Provavelmente, por esta altura já todas as pessoas leram este livro de Rupi Kaur, mas a quem não o leu: do que estão à espera? Além de ser um livro de leitura fácil e rápida, é um livro com uma beleza e profundidade enorme, que tenho a certeza que vos vais conquistar da mesma forma apaixonante com que me conquistou.

Literatura | Aquisições de Junho e Julho – 2017

Não sei quanto a vocês, mas eu sinto que este verão está a passar a correr! Com várias coisas acontecer que me têm mantido um pouco ocupada e também com este calor insuportável, aos poucos estou a reorganizar-me. 

Como não fiz nenhum book haul de Junho e tendo perdido já a noção de quais livros adquiri realmente nesse mês, decidi juntar todos os livrinhos recebidos e comprados nestes dois últimos meses! Alguns foram ofertas de editoras, outros foram compras feitas na feira do livro de Lisboa e os restantes foram comprinhas que fui fazendo na internet e que foram chegando cá a casa aos poucos.

Quase 30 livros. Isto, se não me esqueci de nenhum, o que deve ser o caso! haha

Como está a ser o vosso verão em termos de aquisições para a vossa biblioteca? Visitaram a feira do livro de Lisboa deste ano? Se não, é visita obrigatória no próximo ano!