Cinema | “Liga da Justiça” (2017) — Opinião

jlTítulo original: Justice League
Gênero: Ação, Ficção Científica
Data de lançamento: 16 de Novembro de 2017
Elenco Principal: Ben Affleck, Henry Cavill, Gal Gadot, Ezra Miller, Jason Momoa, Ray Fisher, Amy Adams, Jeremy Irons.
A minha classificação: 10 em 10 estrelas

Opinião: Foi há poucas horas que vi este filme e a vontade de o ver de novo é enorme e tentadora. Posso também dizer que este é o meu filme favorito da DC, para além do segundo de Batman (o motivo: Joker).
Acho que por os filmes anteriores terem me desiludido em certos pontos, como Batman vs Superman e Wonder Woman, não criei muitas expectativas para este, com medo que essa desilusão me apanhasse mais uma vez ao ver “Liga da Justiça”, cheio de heróis que adoro. Porém, o filme surpreendeu-me imenso, o que não é difícil, pois esta reunião de atores incríveis tornou esta história completamente viciante e única.

Ben Affleck e Gal Gadot (como Batman/Bruce Wayne e Mulher-Maravilha/Diana, respetivamente) estiveram incríveis nesta “sequela” dos capítulos anteriormente mencionados. Não sei se fui só eu… mas é impossível não shippar estes dois personagens como casal. Houve algo que me fez sentir isso e passar a ver algo mais neste par. Sou totalmente a favor de haver romance nos futuros filmes! (haha).
Mas falando das adições ao elenco, que foram Ezra Miller, Jason Momoa e Amber Heard (mesmo que esta última tenha aparecido apenas durante 5 minutos). Adorei-os, sinceramente. Quanto aos dois primeiros, não acho que possa existir melhor escolha de atores para estes papéis. Ezra Miller (como Flash/Barry Allen, mas mais conhecido pelo seu papel em Fantastic Beasts) trouxe um lado cómico para um filme que sendo da DC, como tem vindo a ser normal, é negro. Mas este ator conquistou-me uma vez mais com a sua atuação impecável e divertida. Não me lembro de alguma vez ter rido tanto num filme da DC. Jason Momoa (como Aquaman/Arthur Curry) teve também uma excelente performance, não só por ser engraçado, mas também por trazer ainda mais ação (e umas imagens interessantes… haha). São ambos atores que adoro e que vieram trazer uma melhoria enorme ao que podia ser mais um filme da DC, destacando-o assim dos outros recentes da produtora.

6c8bac09d1009f63e3bdc530290b0c5818ec06a2.jpg

Falemos do vilão, que para mim, tem sido o maior problema dos filmes da DC, ultimamente. “Justice League” teve um vilão melhor e mais cativante em relação aos seus antecedentes. Gostei imenso da linha de história em que este se enquadra e do facto de consigo ter trazido mais das Amazonas e uma nova “tribo”, os Atlantes. Esta foi, sem dúvida, a melhor parte de todo o drama em torno do vilão, para além de toda a “mitologia”.

Para além da ameaça que junta esta equipa de heróis, temos outras surpresas que tornaram este filme ainda melhor, repletas de ação e emoção. Gal Gadot e Ezra Miller foram os meus atores favoritos (e assim, os seus personagens foram os meus favoritos), principalmente esta primeira quanto à ação: excelente como sempre! Um filme com a Mulher-Maravilha nunca é bom sem as suas lutas fantásticas, que a mim me prendem totalmente ao filme e me deixam ainda mais entusiasmada!

Não deixem de ver este filme! Eu vi-o em 2D mas este existir em 3D e tiverem oportunidade de ir a essa sessão, vão, pois os efeitos deste filme são ótimos e tenho a certeza que vale muito a pena vê-los em três dimensões!

Trailer

Anúncios

Cinema | “Os Passageiros” (2016) — Opinião

Resultado de imagem para os passageirosTítulo original: Passengers 
Gênero: Aventura, Ficção Científica
Data de lançamento: 22 de Dezembro de 2016 (em Portugal)
Elenco Principal: Christ Pratt, Jennifer Lawrence, Laurence Fishburne
A minha classificação: 9 em 10 estrelas

Opinião: Vi este filme no final de 2016, mas deixei o tempo passar e só agora “lembrei-me” de fazer uma opinião a este filme.
“Os Passageiros” passa-se num futuro em que várias pessoas, adormecidas em cápsulas, viajam numa nave até outro planeta, para lá viverem e construírem um novo mundo. Uma dessas pessoas é Jim Preston (Chris Pratt) que acorda antes do tempo, por falha do sistema da nave. Passam-se várias semanas e este começa a sentir-se solitário, até que após ponderar, decidi acordar Aurora (Jennifer Lawrence), uma jornalista. A história gira em torno deste par, que são os únicos seres humanos acordados na nave e que enfrentarão vários perigos, para garantir a sobrevivência da nave e dos que ainda nela hibernam.

Jennifer Lawrence (The Hunger Games) e Chris Patt (Guardiões da Galáxia) não desiludiram, assim como Laurence Fishburne (Underworld), que faz o papel de barman-robô, Arthur. São três atores que adoro e que estiveram fantásticos neste filme. Jennifer é para mim o destaque, o que não é de surpreender, tendo em conta o seu talento, afinal não é à toa que se recebe um Óscar de Melhor Atriz com o tempo de carreira que esta tem.

Mas falando sobre o principal: o filme. Adorei-o imenso, mesmo sendo de fição cientifica, que é um género a que torço um pouco o nariz. Os efeitos são simplesmente espetaculares, assim como todas as tecnologias inventadas/criadas para esta história. O design de tudo é lindíssimo e deu-me imensa vontade de um dia puder viajar numa nave assim. Mas só se fosse VIP, porque não aguentava beber café e comer cereais todos os dias como Jim (hahahahaha)

Imagem relacionada
A história é genial. Não é demasiado fantasiosa. Tem o equilíbrio ideal para o tipo de ficção que é. Gostei sobretudo do romance que se desenvolve, claro. A parte final do filme e o perigo que ambos enfrentam é de fazer qualquer prender a respiração, porque a conclusão não é previsível à primeira.
Gostaria de ver o mundo a que no final a nave chega, mas entendo que não o tenham feito, pois afinal o filme é sobre aquele par e a forma como ambos lidam com o facto de serem os únicos acordados 80 anos antes do previsto.

Tenho pena de não ter visto o filme em 3D no cinema, pois sei que os efeitos vistos desta forma teriam tornado o filme ainda melhor. Este é daqueles filmes que ficam na cabeça sobretudo pelos efeitos especiais e pela tecnologia existente na nave que é de fazer-nos sonhar com um futuro assim. Recomendo imenso este filme a todas as pessoas que gostem de um drama bem construído e com efeitos que nos prendem ao filme desde o inicio!

Trailer

[FILME] The Boss Baby (2017) – Opinião

large_IMG_5157Título original: The Boss Baby 
Gênero: Animação, Comédia 
Data de lançamento: Março de 2017 
Elenco Principal (vozes originais): Miles Christopher Bakski, Alec Baldwin, Eric Bell Jr., Steve Buscemi, Tobey Maquire 
A minha classificação: 9/10 estrelas

Opinião: Não importa a idade que tenhamos. Crianças, adolescentes, adultos, idosos. Por mais que cresçamos, é impossível não adorar filmes animados, principalmente os da Disney e da DreamWorks. São filmes para qualquer pessoa de qualquer idade. São filmes que vão sempre entreter e fazer-nos rir. “The Boss Baby” (aleluia, não traduziram o título, ufa!) não é excepção. Apesar de não ter visto todos os filmes de animação que têm saído nos últimos anos, tenho visto um ou outro, de entre os mais falados.

Sendo a DreamWorks a produtora que é, não esperava menos de um filme deles. Adorei por completo esta história de um bebé que na verdade é uma espécie de “espião” que trabalha na empresa responsável por criar os bebés. Esta é uma ideia simplesmente divertida, que fez-me rir imenso. No inicio, “The Boss Baby” tem um pouco do conceito de “Phineas and Ferb”: o irmão mais velho que tenta apanhar o irmão mais novo em flagrante e denunciá-lo aos pais. Foram hilariantes todas essas tentativas, entre as quais a cena em que Tim provoca o bebé ao vesti-lo de marinheiro, assim como cenas como a reunião de bebés e a fuga à ama.

BossBaby1

Este filme não é violento em momento algum, o que me agradou. O vilão tem apenas como plano maléfico lançar cãezinhos pelo mundo, de forma a substituir os bebés, o que é mais um plano fofo do que maléfico hahahaha É o típico filme da DreamWorks: com uma história engraçada e única, com personagens marcantes.
Não me lembro de gostar tanto de um filme desta produtora desde Shrek.

O final é simplesmente lindo, lindo, e tal como disse, não importa a idade que tenhamos, vamos adorar este filme, principalmente este boss baby! Mas sendo um filme de animação, o final feliz é algo garantido!
Recomendo bastante este filme, pois não darão pelo passar do tempo e as gargalhadas serão garantidas.

Trailer (VP)

Cinema | Mulher Maravilha (2017) – Opinião

Mulher_maravilha_01.jpgTítulo original: Wonder Woman 
Género: Ação, Aventura, Fantasia
Data de lançamento: 1 de Junho de 2017
Elenco Principal: Gal Gadot, Chris Pine, Connie Nielsen, Danny Huston, David Thewlis, Elena Anaya, Robin Wright
A minha classificação: 7/10 estrelas

[Esta opinião contém spoilers que estarão marcados a laranja]

Opinião:O melhor filme da DC“, “A DC conseguiu!“, foram algumas das opiniões que ouvi por parte de críticos ou apenas de fãs e é normal que o meu entusiasmo para ver este filme só tenha aumentado, porém quando cheguei à sala de cinema… Vi o filme e sai de lá a perguntar-me o porquê de tanto “hype” em torno deste filme. Sim, é melhor que “Batman vs Superman” mas acho que em termos de história iguala-se a “Suicide Squad”. Porquê? Lá chegaremos.

Gal Gadot surpreendeu-me imenso e não consigo pensar numa atriz melhor para representar a Wonder Woman (a.k.a. Mulher-Maravilha). A sua atuação foi excelente. Também Chris Pine foi um ator que adorei ver neste filme e que teve um desempenho bom. Foram estes atores os destaques do filme, na minha opinião. Foi por eles, principalmente por Gadot, que estou a dar uma classificação um pouco acima da média.
A ação foi fantásticas, MAS apenas nas cenas em que aparecia Gal Gadot. “Mas a ação do filme inclui-a sempre” contra-argumentam vocês. Refiro-me em específico aos momentos em que a câmara focava-se na atriz, e não às cenas de um modo geral, pois Gadot esteve fantástica e tornou todo o filme e as lutas acima do razoável.

jn.jpg

Os aspetos negativos? Dois vilões (humanos) mal aproveitados. Um vilão (deus) ridículo. Se achavam que a Enchantress, de Suicide Squad, era ridícula, ainda não conheceram Ares, ou Sir Patrick (David Thewlis, o Remus de Harry Potter). Até ao momento em que se revela como sendo o Deus Ares, estava tudo a ir bem. Mas quando este se revela… O guião, os efeitos, a ação… Tudo neste vilão foi ridículo ao meu ver. Foi algo que me decepcionou imenso. Danny Huston (Ludendorff) teve um excelente desempenho e realmente adorei o vilão, mas do nada este morre, e é a partir dai, que o filme começa a cair como uma bola de neve: o desastre vai tornando-se maior e maior, com o aparecimento de um segundo vilão (ou terceiro, dependendo do ponto de vista) e com o desenrolar do drama que este traz consigo. Temos também a Dr. Manu (Elena Anaya) que era para mim a “segunda” vilã, mesmo não sendo a principal, e que foi também mal aproveitada, tal como Ludendorff. Ambos começaram por trazer ao filme um drama excelente mas do nada isso é posto de lado, de uma forma ridícula.

ht4gefdw

Outro ponto negativo: aborrecimento. Grande parte deste filme pareceu-me simplesmente… aborrecido. Esperava ver mais das Amazonas, mais da Diana na sociedade. O trailer dava a sensação que teríamos imensos momentos cómicos dos comportamentos fora do comum entre outras mulheres da sociedade e isso foi algo que poderia muito ter melhorado este filme. Depois de ouvir tantas críticas positivas relativas a este filme, as minhas expectativas eram altíssimas e este filme quase que foi uma desilusão. Novamente, relembro que Gal Gadot e o pouco das amazonas que nos foi mostrado, foram as únicas razões para acabar por gostar deste filme, mesmo com as cenas finais que só vieram desiludir. O filme começou bem, com a ação no ponto, com o drama no ponto, com excelentes atuações e uma história com “os pés assentes na terra”. Mas do nada, isto torna-se num Poseidon, e fica tudo de “pernas para o ar” e o quase nexo nenhum.

Talvez volte a ver este filme de novo, pois da primeira vez, tinha realmente expectativas altas e agora que não tenho nenhumas, obviamente, quem sabe não dê por mim a gostar mais dele.

Trailer

[FILME] Piratas das Caraíbas – Homens Mortos não Contam Histórias (2017) – Opinião

transferir.jpgTítulo original: Pirates of the Caribbean – Dead Men Tell No Tales 
Género: Comédia, Ação, Aventura 
Data de lançamento: 25 de Maio de 2017 (Portugal) 
Elenco Principal: Johnny Depp, Geoffrey Rush, Javier Bardem, Kaya Scodelario, Brenton Thwaites, Orlando Bloom
A minha classificação: 8/10 estrelas

[Esta opinião contém spoilers que estarão marcados a laranja]

Opinião: Depois de “Piratas das Caraíbas – Por Estranhas Marés”, não sabia realmente o que esperar deste novo filme, pois apesar de ter gostado do anterior, não sinto que foi tão bom quanto os três primeiros filmes. Por isto mesmo, decidi que veria apenas o trailer uma vez e nada mais. Nada de fotos, nada de sinopses, nada de clips. Quis ir ao cinema, sem quaisquer expectativas, com a intenção de ser surpreendida e tentar evitar uma desilusão. Posso dizer que foi talvez a melhor decisão, pois adorei o filme, principalmente o novo vilão e o regresso de Will Turner e Elizabeth Swan. Houve imensas melhorias do 4º filme para este, mas mesmo assim continuo com a sensação de que falta algo para o deixar ao mesmo nível da trilogia.

Porém sinto-me um pouco dividida. Há vários pontos que me agradaram e desagradaram ao mesmo tempo. O vilão Salazar é, sem dúvida, melhor que o do anterior filme, mas gostaria que este fosse mais temível, como David Jones foi. Que trouxesse mais obscuridade e perigo consigo. Senti falta de toda a ação que a trilogia inicial tinha. Este filme tem ação claro, mas não senti que fosse na dose certa, embora tivesse tido outros aspetos que compensaram como os piratas e o seu lado cómico ao qual estamos já habituados.

pirates-of-the-caribbean-dead-men-tell-no-tales (1)
Também os novos personagens, Carina e Henry, deixam um pouco a desejar mas gostei deles de qualquer forma, sobretudo de Carina que é uma personagem inteligente e moderna para a época. No entanto, é como se não fizessem realmente parte deste mundo, como se não encaixassem na perfeição, o que não foi o caso de Salazar que combinou imenso com o conceito desta franquia.
O argumento em torno de toda esta história do tridente que contém o poder de quebrar todas as maldições é algo que deixou-me entusiasmada mas ao mesmo tempo… Se todas as maldições forem quebradas, o que resta para contar? Até agora, todos os filmes envolveram maldições, mas afinal o que é um bom filme de piratas, sem uma maldição? É verdade que a cena final do filme (após os créditos deste) deixou em aberto um ponto da história e que este ponto poderia facilmente ser explorado num (possível) sexto filme, mas não consigo imaginar Piratas das Caraíbas sem maldições.

Quanto ao elenco…. Personagens à parte, este elenco esteve fantástico, principalmente Kaya Scodelario (Carina), Javier Bardem (Salazar) e Geoffrey Rush (Barbossa) que tiveram atuações impecáveis. Johnny Depp é obviamente o destaque. Não só por ser o rosto principal do filme mas também pelo seu talento único. Momentos cómicos, que fizeram rir à gargalhada, é óbvio que não faltaram e muito disso é graças a esse mesmo talento de Depp em interpretar Jack Sparrow de forma tão brilhante. Johnny Depp nasceu para este papel e mesmo que este tenha sido o último filme com ele, sei que Depp ficará para sempre marcado como o famoso Capitão Jack Sparrow, assim como esta saga ficará para sempre conhecida pela atuação fantástica.

636185724682796825-040-BC0190-comp-v10650.1078-R2

Os efeitos especiais, maquilhagem e figurinos foram ótimos, como já seria de esperar. A nível de maquilhagem, Salazar foi o destaque, na minha opinião. A nível de efeitos e figurinos, os piratas e vilões são os vencedores. Nesta categoria, Piratas das Caraíbas não desilude.

“Piratas das Caraíbas – Homens Mortos não Contam Histórias” é repleto de surpresas, aventuras e comédia. Em suma, os pontos altos do filme foram sem dúvida Jack Sparrow e as suas piadas, assim como os efeitos que são extraordinários. É especialmente por isto que adoro esta saga e espero que produzam pelo menos mais um filme. Sei que se tal acontecer não teremos mais o nosso pirata favorito e embora não seja a mesma coisa, poderemos ter o regresso de outros personagens que adoramos como Will Turner e David Jones (aka “cara de peixe” como eu gosto de chamar hahaha) pois a cena final deixa em aberta tal possibilidade.

Trailer

[FILME] Velocidade Furiosa 8 (2017) – Opinião

Título original: The Fate of the Furious  
Gênero: Ação, Suspense
Data de lançamento: 13-Abril-2017
Elenco Principal: Vin Diesel, Dwayne Johnson, Jason Statham, Michelle Rodriguez, Tyrese Gibson, Charlize Theron, Ludacris, Nathalie Emmanuel.
A minha classificação: 8/10 estrelas

Opinião: Apesar dos filmes não estarem já tão centrados nas corridas como antes, sinto que esta mudança que veio acontecendo ao longo de Velocidade Furiosa foi algo de positivo, pois como se costuma dizer “O que é demais, enjoa”. O facto de agora os filmes terem mais ação, principalmente neste novo filme, trouxe algo de novo e uma mudança que impede que a série de filmes perca a sua qualidade, apesar de muitos fãs sentirem falta das corridas de carros. Por cá, prefiro muito mais a ação que tem vindo a aumentar de filme para filme.
No entanto, não sabia o que esperar de uma continuação sem Paul Walker, porque ele era um dos principais. Senti realmente a falta dele neste filme. Porém adorei o argumento e toda a ação presente no oitavo filme da saga Fast and Furious. Gostei ainda mais do que do filme anterior. Este teve algo mais: mais ação, mais momentos cheios de humor com Roman e também com Shaw, mais personagens fantásticos e bem criados assim como drama do filme.

tumblr_ohxp7iyLKr1qjj2qyo2_500.gif

Quando soube que Charlize Theron seria a nova vilã, fiquei bastante entusiasmada e não posso dizer que me desiludi! Ela é uma excelente atriz e como sempre fez um bom trabalho como Cipher. Também Jason Statham esteve fantástico, assim como Tyrese Gibson, que foram para mim grandes destaques neste filme, não só pela excelente atuação a nível de ação (relativamente a Jason), mas também pelas imensas gargalhadas que ambos me proporcionaram, o que melhorou em muito a qualidade deste filme. Houve também o regresso de um ator de filmes anteriores (fica aqui a surpresa hehe), que adoro, porém tenho pena que não tenham desenvolvido muito mais o seu regresso, dai ter dado menos pontuação ao filme.
Sobre todo o “plot” do filme: gostei! Surpreendi-me imenso com tudo o que foi acontecendo, desde as cenas que envolviam carros fantasmas ao mistério por detrás da traição de Dominic Toretto e a sua lealdade à vilã. Li há umas horas que do orçamento de 250 milhões de euros, dado aos produtores deste filme, duas centenas de carros foram usados, acabando danificados ou mesmo destruídos, incluindo a destruição total de um lamborghini. Fiquei surpresa com isto, pois pensei que muitas das cenas de ação não passavam de efeitos de computador e assim. Talvez esta exorbitância foi o que permitiu que este filme se tornasse ainda melhor do que esperado e seja talvez o que distingue “Fast and Furious” de qualquer outro tipo de filme com ação e carros.

fate-of-the-furious-the-rock-jason-statham.gif

No entanto, não posso deixar mencionar uma falha enorme na história: Ian Shaw (Jason Statham), como se calhar se lembram, no filme anterior quase matou a família de Dominic, e inclusive matou um membro da equipa dele (RIP Han Lue 😦 ), por vingança ao que fizeram ao seu irmão Owen Shaw (Luke Evans). Porém neste 8º filme, este é solto para ajudar a equipa de Dominic a caçar este e Cipher. Até aqui tudo bem. Porém mais para o final, vemos este a sorrir e a apertar a mão a Dominic, como se de repente fossem cúmplices ou amigos. Independentemente da “boa” ação dele neste filme, fico sem perceber qual o sentido da mudança de “humor” entre ambos, pois Ian matou pessoas importantes para Dominic, assim como este último foi o que fez com que o irmão de Shaw fosse parar a um hospital e acabasse preso. Então de facto, isto é uma enorme falha, digam-me o que quiserem: uma rivalidade com histórico que é terminada de um momento para o outro, com sorrisos. De repente, foi esquecida a morte de Han Lue e a quase morte da irmã e cunhado de Dominic?

Um filme não seria um filme sem falhas, claro. Mas realmente gostei deste filme. Talvez seja um dos meus favoritos até agora, desta série de filmes. Achei bastante bonita a homenagem feita, mesmo que indiretamente, a Paul Walker. Foi um filme cheio de ação, velocidade, mas sem deixar de ter o seu toque de humor, principalmente numa das cenas finais de Shaw no avião! Fãs dos filmes não podem perder este, sem dúvida.

Trailer: 

A Bela e o Monstro (2017) – Live-Action – Opinião

Título original: Beauty and the Beast 
Gênero: Fantasia, Romance 
Data de lançamento: 16 de Março de 2017 (em Portugal) 
Elenco Principal: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans, Ewan McGrego, Josh Gad
A minha classificação: 9/10 estrelas

Opinião: E finalmente trago-vos a minha opinião sobre um dos filmes que mais aguardava desde sempre! Sim, eu sei, já passou quase um mês desde a sua estreia mas as emoções eram tanta, que quis primeiro refletir durante um tempo antes de vir dizer o que realmente achei e senti em relação a este filme…

Começo pelos pontos positivos ou negativos? É o meu filme favorito da Disney, de sempre, e como é óbvio, não podia deixar de AMAR este live-action, tendo ainda por cima atores que gosto: Emma Watson (Harry Potter), Dan Stevens (Downton Abbey) e Luke Evans (Dracula) *suspiros* hahahaha
Mas decidi começar pelo ponto negativo. Exatamente, leram bem “PONTO”. Eu adorei este filme. Adorei, amei. Enfim, tenho um ataque de “fangirl” sempre que entro numa loja que tenha algo alusivo a esta história tão linda e única. Porém, este live-action falhou num ponto, que o impediu, na minha opinião, de chegar às 10 estrelas: o exagero em termos de pormenores, mais propriamente na cena da música “Be our Guest”. Eu ADOREI os pormenores, desde os vestidos de Belle a outros aspetos, neste filme, porém houve momentos em que estes eram em excesso e tornaram a imagem do filme confusa, como na música do jantar apresentada pelo Lumière. Acabava por confundir e não dava para acompanhar tudo por conta desse excesso. Mas excepto isto, adorei o filme, sem dúvida!

tumblr_static_tumblr_static__640.gif

Posso afirmar que o filme não desiludiu nada. Acho que alcançou ou superou ligeiramente as minhas expectativas. O elenco estava fantástico. Adorei todas as escolhas, embora a mulher em mim preferisse ver o Luke Evans como Monstro, porque eu adoro-o e não imagino como pode alguém recusar o Luke Evans!! hahahahahaha Brincadeiras à parte. Emma Watson e Dan Stevens foram quem mais me surpreenderam, pois de Luke Evans sabia o que esperar. Mas quanto a estes dois primeiros: Emma Watson conseguiu ultrapassar aquela fase de Harry Potter. Nem por um momento senti que estava a ver a Hermione, como acontece quando vejo outros membros do elenco de Harry Potter. Já Dan Stevens surpreendeu-me pois realmente não me agradava vê-lo como monstro mas a sua atuação foi ótima!
Em termos de trazer os objetivos à vida e de toda a imagem do filme e efeitos, adorei tudo, excepto aquele excesso de pormenores, como já disse. Gostei realmente que situassem a história no tempo e espaço! Uma das partes que mais adorei foi a inicial, em que vemos o principe a ser transformado. Enquanto que no filme da Disney, vemos a história contada por vitrais, no live-action vemos tudo contado com imagens reais. Houve muitas mais alterações, claro, mas todas essas alterações deixaram este filme igualmente ótimo!
Um ponto que gostei também foi terem abordado a “orientação” de LeFou. Acho que está mais que na hora de pararmos de ignorar que a nossa sociedade tem pessoas de diferentes orientações! Achei uma completa “estupidez” terem proibido este filme, inclusive, em vários paises… Além do mais, não chega a ver um único beijo ou algo assim mais “especifico”. O filme dá apenas a entender e isso não tem mal nenhum, mas enfim! Mentalidades fechadas.

live-action-beauty-and-the-beast-gaston-hair

É Beauty and the Beast e gostava de continuar a falar mais sobre isto, mas o mais importante está dito e não vos quero contar tudo, porque ninguém pode deixar de ver este filme! Só tenho pena que não tenham posto a música “Human Again”, mas adorei a banda sonora num todo e não consigo parar de a ouvir!

Trailer

[FILME] Fallen (2016) – Opinião

 Título português (do livro): Anjo Caído (opinião aqui)
Gênero: Drama, Fantasia, Romance
Data de lançamento: Dezembro de 2016
Elenco Principal: Addison Timlin, Jeremy Irvine, Harrison Gilbertson
A minha classificação: 5/10 estrelas

Opinião: Continuo sem perceber porque é que não houve um único cinema em Portugal a ter este filme… Aliás, pouco ouvi falar do filme, excepto da parte dos fãs brasileiros da autora do livro. Mas depois de ver o filme, talvez perceba o porquê de não terem arriscado e apostado num filme destes. Não é que seja mau mas por cá não teria enchido as salas de cinema num único dia que fosse, principalmente por ser um filme com pouca divulgação e que poucos conhecem (de fora do círculo de leitores).

1.gif

Não consigo dar menos de 5 estrelas, porque admito que gostei do filme, apesar de tudo. Tem uma fraca adaptação… ok, é fiel ao livro em muita coisa e é por isto que é fraco. Se tivessem alterado (pela primeira vez sou a favor disto) uma boa parte da história, isto é, do seu desenvolver, talvez o filme tivesse ficado bom. Mas foi apenas ok. No entanto, gostei mesmo assim. Gostei dos atores escolhidos para interpretar o Cam, a Penn e (um pouco) a Luce. Quanto a esta última, achei que podia parecer menos “morta”. Senti-me como se estivesse a ver uma Bella Swan, por vezes: chata, demasiado calma, alguém que aceita tudo sem quaisquer problemas. No livro não é muito melhor, mas podiam ter melhorado muitas gafes deste, é verdade. O ator escolhido para Daniel foi simplesmente… hum, em termos de físico, é bonito, mas em termos de atuação… não sei, falhou um pouco, acho.
Uma das coisas que me fez gostar deste filme, de realmente sentir-me agarrada a vê-lo até ao fim sem total desespero, foi sem dúvida a atuação de Harrison. Se no livro já gostava de Cam, no filme dei por mim a gostar ainda mais dele. E quanto ao romance? No livro era mais “Team” Daniel que Cam, mas no filme… 100% Cam! Adorei-o, o que posso dizer? Além de saber mostrar aquele charme sexy como imaginava o que Cam tinha no livro, soube interpretar e melhorar o seu personagem, ao contrário de Jeremy Irvine (Daniel).

2
Quanto ao resto da história, gostaria de ter visto mais da luta entre ambos os anjos e gostaria que tivessem usado melhores efeitos, porque vejamos, isto é um filme certo? Logo o orçamento é “mil vezes” maior que o de uma série. Vejamos The Flash (CW). Uma série, que embora tenha 23 episódios por temporada, e considerando o seu orçamento, acaba por ter efeitos bem melhores dos que vi em Fallen. Gostaria de ter visto asas mais reais e fascinantes, uma luta mais desenvolvida e real. Gostava também de ter visto mais do que rápidos flashbacks da vida passada do casal da história.

1.gif
Terminei o filme com um “mix feelings”. Gostei. Não foi um filme no qual considere ter perdido tempo, mas ao mesmo tempo… queria mais, não sei. Esperava algo melhor que o livro. Confesso que uma grande parte de mim torce para que haja uma continuação do filme, porque quanto aos livros… Bom, dizem que são bons mas pelo meio, temos “Tormento”, o segundo livro, que pelas palavras de muitas pessoas é realmente um tormento, então adoraria saltá-lo, para poder continuar com a saga. Mas como não posso… Que venha o segundo livro (estou realmente a torcer haha)!

UMA EXPLICAÇÃO: Quando gosto nem que seja muito pouco de um filme, geralmente dou 5 estrelas de minímo, pois a baixo disto, de 1 a 4 estrelas, trata-se apenas de filmes que não gosto, então fica aqui a explicação de como classifico os filmes. Gostei? 5 a 10. Não gostei? 1 a 4, como se fosse notas de “escola” hahahaha

E vocês? Já viram o filme ou gostariam de ver? Se viram, o que acharam? 😉

Trailer

[FILME] Antes de Vos Deixar (2017) – Opinião

Título original: Before I fall 
Gênero: Drama, Mistério 
Data de lançamento: 9 de Março de 2017 (em Portugal) 
Elenco Principal: Zoey Deutch, Halston Sage, Jennifer Beals
A minha classificação: 8/10 estrelas

Opinião: Apesar de ansiosa por ver este filme, quis ler primeiro o livro, se não seria o costume: Não sentiria tanto entusiasmo ao lê-lo, se visse primeiro o filme, porque gosto sempre de imaginar tudo pela minha cabeça pela primeira vez. Então lá fiz isso e uns dias depois fui ao cinema ver este filme que apesar de não ser uma excelente adaptação, mas sim apenas “boa”, agradou-me e fez-me suspirar de “raiva” no final. Mas quem já viu o filme ou leu o livro, sabe o porquê desta reação hahahaha
Isto não quer dizer obviamente que não gostei do filme, pois adorei-o!

k.gif
Zoey Deutch surpreendeu-me mais uma vez, por conseguir interpretar a sua personagem como se esperava. Não consigo imaginar outra atriz melhor para este papel, sem dúvida. Também o elenco em geral agradou-me. Apenas um dos atores (o que faz de Kent) não correspondia propriamente à forma como imaginava o personagem, mas a nível de interpretação, este agradou-me. Em suma, não sinto que hajam pontos negativos a nível do elenco. Zoey e Halston, principalmente esta última, foram as que melhor interpretaram os seus papéis, tendo assim destacado-se mais de entre todos os outros atores do filme.

A nível de adaptação: Está bom. Não excelente, apenas porque houve algumas cenas que sinto que poderiam fazer parte do filme, como um determinado beijo escandaloso que deveria acontecer no dia em que Sam se veste de forma mais ousada (isto sou eu a tentar evitar não dar spoilers hahahaha enrolo-me toda) assim como um momento mais romântico que acontece mais para a frente no livro. Talvez venhamos a ver estas cenas como cenas cortadas, isto é, extra mas que decidiram não colocar no filme… Ou talvez não. Mas para mim, que li o livro, acho que eram cenas que poderiam muito bem estar incluídas no filme e que adorei no livro. Talvez para aqueles que ficam-se apenas pelo filme, não seja assim tão importante… De resto, acho que o filme está bem adaptado, sendo que não alteraram muita coisa nem cortaram o essencial do livro. Só não é excelente, para mim repito, pelas tais razões que mencionei no inicio.

tumblr_ogt40hJup51rtqhlbo2_500.gif

Num todo, foi um filme que adorei e que valeu muito a pena! Quando digo “valeu a pena” relativamente a um filme, quero dizer que o dinheiro que gastei a ir ver o filme valeu a pena, basicamente. Não é daqueles filmes que desilude ou que é apenas razoável e que se pode rejeitar a ideia de ver no cinema em vez de ver em casa. É um filme que recomendo, assim como o livro (que já tem a opinião aqui no blogue – clica aqui para lê-la). Acaba por tornar-se ainda mais divertido e triste, ao mesmo tempo, que o livro, porque é isso que uma boa adaptação cinematográfica consegue fazer: transmitir, através das representação principalmente, o que acontece na história e o que a protagonista vai sentindo. Sem a boa interpretação de Zoey Deutch, acho que não teria sentido tanta emoção com este filme!

Trailer

[Filme] 50 Sombras Mais Negras (2017) – Opinião

Título original: Fifty Shades Darker
Gênero: Romance, Drama, Erótico.
Data de lançamento: 09-Fevereiro-2017
Elenco Principal: Jamie Dornan, Dakota Johnson, Kim Basinger, Bella Heathcote, etc.
A minha classificação: 7/10

Opinião: São raras, mesmo muito raras, as vezes que admito que um filme é melhor do que o livro. Apesar de não serem maus os livros de E.L. James, eu considero a narração irritante, principalmente de cada vez que a protagonista se lembra de trazer a “deusa interior” para o meio da história. Sempre tive a sensação de que estava a seguir o romance entre um milionário e uma criança de 13 ou 14 anos, para ser sincera. Mas os filmes são uma história TOTALMENTE DIFERENTE. São bastante fiéis aos livros e, apesar de não serem os meus atores de eleição em termos físicos, Dakota e Jamie conseguiram melhorar os personagens que conhecemos nos livros, por isso é um ponto positivo para os filmes, quando comparados aos livros.

Resultado de imagem para fifty shades darker gif
O primeiro filme foi bom, gostei. Sim, gostei. Não vou dizer que não gostei, por vergonha ou de ser este tipo de filme ou por ser talvez uma das poucas pessoas que consegue assumir que gosta de toda esta história. Mas este segundo filme está muito, muito melhor. Talvez o facto do marido da autora ter dirigido (ou escrito o roteiro, não me lembro) este filme, tenha ajudado… Senti que este filme foi ainda mais fiel ao seu livro, do que o filme anterior. Também a história é muito melhor, o que ajuda. Anastasia já não é apenas uma rapariga sonsa. Ok, continua a ser um pouco sonsa e a cometer alguns erros, mas é essa a piada da história também, certo? Christian está melhor e tenho que admitir que Jamie sabe interpretá-lo bem. Sinto que os personagens, assim como a história, nos livros têm algumas falhas, mas nos filmes tanto os atores como os produtores têm melhorado esses pontos, dai acabar por considerar os filmes melhores que os livros. É uma boa adaptação, bastante fiel, e com um elenco bom. Não fantástico, pois acho que falharam imenso em termos físicos, como já disse, principalmente Mrs. Robinson, que para ser sincera… É uma mulher um pouco “masculina”, não a “mulherão” que imaginei que seria como nos livros. Este foi um ponto que me desagradou bastante.

Resultado de imagem para fifty shades darker gif
Outro ponto que gostei e não gostei… Dois “plots” num só livro/filme. Neste caso, filme. Como trata-se de uma adaptação, poderiam ter adotado uma estratégia diferente e re-construído a história em certos pontos. Temos a parte do Jack, o patrão da Ana, que é compreensível ser posto aqui, porém num só filme colocam duas “tragédias”, o que para mim não funciona muito bem, pois o ponto da Leila, uma das antigas submissas do Christian, seria excelente, se fosse mais explorado, mais desenvolvido. Não houve tempo, por termos também a parte do Jack. Mas poderiam, mesmo assim, ter desenvolvido melhor esta parte, alterando um pouco este ponto da história. Poderiam ter tornado a Leila alguém mais instável, mais maluca, mais… obscura, e dramatizar mesmo a sério o filme. Acho que é nisto que pecam os filmes e também livros: Desenvolvem mais cenas de sexo, do que do drama em si. Sexo no primeiro filme era um “ok”. Mas o segundo torna-se mais romântico, o conceito de BDSM é posto um pouco de parte, então poderiam ter desenvolvido melhor a parte dramática, fazendo assim jus ao título.

Resultado de imagem para fifty shades darker gif

Retirando estes pontos dos plots e da Mrs. Robinson, gostei bastante mais deste segundo filme, apesar de continuar a detestar que tenham escolhido o Jamie em vez do Matt Bowman… Desde ontem que tenho visto muitos críticos falarem mal deste filme, tudo críticos do sexo masculino e porque será? 50 Sombras de Grey (Mais Escuras, agora) é um filme de SEXO, ROMANCE, algum drama também. Mas é uma adaptação de um livro ERÓTICO. Ou se gosta ou não se gosta. Não há meio termo, quanto a filmes/livros deste género. É isto que me irrita profundamente: Criticarem este filme, chamarem a isto de “shitty filme”, etc. Este tipo de filme serve para entreter. É apenas um filme. Não é um filme produzido com a intenção de ganhar prémios ou de passar uma mensagem. Este é um tipo de filme que não vejo nexo em ser visto por críticos de cinema, porque é mesmo daquele tipo de filmes simples, como disse… para entreter, não para marcar história mas para fugir à realidade, e só isso. É também um filme produzido mais para mulheres, na minha opinião, pelo que é normal que a maioria dos críticos seja tudo homens.

Não é um filme que me imagine a ver nos próximos meses, porque não é nada de fantástico, mas é sim um bom filme, cujo o dinheiro, gasto no cinema, posso dizer que valeu a pena. Caso tenham planos de o ir ver ao cinema, permaneçam no cinema durante os créditos finais, pois será passado um pequeno teaser do terceiro filme “Fifty Shades Freed“/”50 sombras livre”. 😉

Trailer