Dança com o Diabo – Sherrilyn Kenyon, Predador da Noite #4 [Opinião]

9789898032782

Título Original: Dance With the Devil 
Publicação: 2010
Editor: Chá das Cinco
ISBN: 9789898032782
PVP: 19,03€
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Zarek é o mais perigoso de todos os Predadores da Noite. Exilado no Alasca durante séculos, desprezado pela deusa que o criou e temido pela sua própria espécie, foi condenado à morte por Ártemis na sua última missão. A sua única hipótese de salvação vem do líder dos Predadores da Noite, Acheron, que convoca a justiça da ninfa Astrid; mas, em toda a história do mundo, Astrid nunca considerou ninguém inocente… Dizem que mesmo o homem mais amaldiçoado pode ser perdoado, mas conseguirá Zarek convencer Astrid de que, por trás de uma besta feroz, se esconde um ser humano que deseja amar e ser amado?

Opinião: Dos quatro primeiros livros (“Amante de Sonho”, “Prazer na noite”, “O Abraço da Noite” e este), talvez seja este o livro de que mais gostei até à data em que o li (em Dezembro de 2015). Mas mesmo depois de ler os dois seguintes, posso talvez dizer que este é mesmo o meu favorito. Um indecisão, eu sei!

A Forma como Sherrilyn descreve o Predador da Noite deste livro, Zarek, é o que mais gosto em “Dança com o Diabo”. Zarek é talvez o mais perigoso dos predadores da noite, e como tal, é exilado durante séculos. Após ajudar um outro Predador da Noite (Kyrian ou Talon, não me recordo), este é condenado à morte pela deusa Ártemis, mas antes de tal sentença ser aplicada, Acheron interfere, pedindo que a ninfa da justiça, Astrid, o julgue: Se ela considerá-lo inocente, assim o será. Se considerá-lo culpado, então morrerá definitivamente. No fim, é Zarek quem tem que provar que consegue ser mais, do que um monstro.
Por isso, no meio de uma grande tempestada, este é levado por Astrid, para uma casa que afirma ser dela, em que ela, cega, para não o julgar ao mesmo tempo que possa se apaixonar por ele (é muito difícil de explicar esta parte) terá que permanecer com ele, até obter uma decisão final.

E tal como disse, o que mais gosto de ver neste livro é a forma como Zarek é descrito. Quem disse que os monstros não podem ter alma? Zarek acaba por “amolecer”, no bom sentido, claro, ao mesmo tempo que vai se afeiçoando à desconhecida que diz-se cega.
Astrid é também outra personagem incrível. Talvez a melhor protagonista feminina dos quatro livros até agora.

Algo que não posso deixar de referir é a forte presença de Acheron neste livro! Como vão puder perceber ao longo das minhas opiniões sobre os livros desta série, Acheron é desde o primeiro momento, em que surgiu nos livros, o meu personagem favorito. É um personagem forte, que faz qualquer um se apaixonar por ele. É marcante, e sem dúvida, que neste livro, ele destaca-se ainda mais, e dá-me mais razões para ser o meu personagem favorito.

Porém o livro não é sobre Acheron, por isso não posso dizer que o livro é bom por causa dele. Ok, sim, o livro é bom porque também o inclui, em grande destaque, mas também porque me relembra um pouco “Bela e o Monstro”, o meu filme de infância favorito, em que Zarek pode muito bem ser comparado ao “Monstro”, pois no fundo é um personagem incrível, que cuida de Astrid, em vez de matá-la ou feri-la, como muitos personagens vão demonstrando pensar ao longo da história.

Sem dúvida, um livro fantástico, e com muito destaque nesta série!

A Rapariga no Comboio – Paula Hawkins (Opinião)

25459160Publicação: 2015
Editor: Topseller
ISBN: 9789898800541
Preço Editor: 17,69€
Minha classificação: 4,5 em 5 estrelas

Opinião: Certamente que todos, pelo menos, já ouviram falar deste livro, conhecido também como um sucesso no estrangeiro. E é verdade, que o livro é realmente muito bom!

“A Rapariga no Comboio”, escrito por Paula Hawkins, é um policial/thriller, que conta o desenrolar do desaparecimento de uma mulher. Contado no ponto de vista de três mulheres, iremos principalmente seguir a história vista através de Rachel, que todos os dias viaja de comboio, sem razão alguma, vendo todos os dias o mesmo casal, na mesma casa, junto ao caminho de ferro. Até que um dia, é dada como desaparecida uma mulher, que aparentemente é a mesma mulher desse casal. E é aqui que Rachel se envolve, tentando descobrir o que aconteceu com a mulher, cujo o nome desconhece.
Além de Rachel, temos também o ponto de vista de Anna, a mulher do ex-marido de Rachel, e o de Megan, uma das vizinhas de Anna, ex-ama do filho da mesma. Continuar a ler

As Crónicas de Bane – Cassandra Clare (Opinião)

27266582Publicação: Novembro 2015
Editora: Editorial Planeta
ISBN: 9789896577148
Preço Editor: 19,95€
Minha classificação: 4,5 em 5 estrelas.
Goodreads Review

Opinião: Pode-se afirmar que este é um “spin-off” da saga Instrumentos Mortais (Cidades do Ossos, etc, etc), ou seja, este livro conta as aventuras de Magnus Bane, ao longo da sua vida. Magnus Bane, como todos sabem, é o “supremo feiticeiro de Brooklyn” em Cidade dos Ossos (o primeiro livro da escritora Cassandra Clare), e sendo uma personagem imortal, neste livro “As Crónicas de Bane” vemos ele em várias épocas e países: No Peru, durante a revolução francesa, após esta, etc.

Continuar a ler

Wayward Pines, Paraíso – Blake Crouch [Opinião]

imagePublicação: 2015
Editor: Suma de Letras
ISBN: 9789898775368
Preço editor: 16,90€
Minha classificação: 4/5 estrelas

Opinião: Wayward Pines, com o subtítulo de “O Paraíso”, é o primeiro livro da trilogia escrita por Blake Crouch. Neste primeiro livro, que equivale mais ou menos aos cinco ou seis episódios da série, fala-nos de um pequeno lugar, Wayward Pines. A história acompanha Ethan, um agente dos serviços secretos, que após um acidente de carro, do qual ele é o único sobrevivente, acorda num hospital, numa cidade desconhecida. Inicialmente, o seu objectivo era descobrir onde se encontravam dois agentes, colegas seus, que estavam desaparecidos, mas aos poucos, Ethan Burke começa a colocar questões mas sobre a cidade onde está, que apesar de parecer o lugar perfeito para se viver, o “paraíso”, omite segredos obscuros.

Antes de ler o livro, já tinha visto a 1ª temporada baseada no livro, mas isso não influenciou em nada a minha visão do livro. Pelo contrário. Gostei tanto dele como gostei da série, ou até mesmo mais, pois há certas partes que são diferentes e bastante melhores do que na adaptação televisiva (não mencionarei, porque isso seria “spoiler” certo?).
Porém não sei se continuarei com a leitura desta trilogia, por agora, por já saber o que irá acontecer nos próximos livros. Talvez no futuro, quem sabe. Mas por agora, não é uma trilogia que tenha na minha lista de “próximas leituras”. Dei 4, e não 5 estrelas, pela escrita, a forma como Blake Crouch descreve os acontecimentos é até simples demais, pouco cativante, além de que estende demasiado um acontecimento que caberia em metade das páginas de forma mais interessante.

Sinopse: “As crianças brincam na rua e os pássaros cantam nas árvores quando o agente dos serviços secretos Ethan Burke chega a Wayward Pines, uma terra idílica nas paisagens de Idaho.
A sua missão é clara: encontrar dois agentes federais que desapareceram há dois meses na bucólica localidade. Apenas minutos depois de chegar, Ethan sofre um violento acidente e acorda no hospital: sem documentação, sem telemóvel, sem a sua pasta. À medida que a investigação avança, as dúvidas são cada vez mais numerosas e inquietantes do que as respostas. Porque não consegue Ethan comunicar, de nenhuma forma, com a mulher e o filho? Por que razão todos duvidam da sua identidade? Qual é o propósito do muro electrificado que circunda a cidade? Impedir os habitantes de sair… Ou impedir alguma coisa de entrar?
A cada passo que dá na procura da verdade, Burke afasta-se cada vez mais do mundo que pensava conhecer e do homem que pensava ser. Até que esbarra numa dúvida aterradora: será ele capaz de sair de Wayward Pines?”

Trailer da série televisiva:

Anjo Caído – Lauren Kate [Opinião]

9609780Publicação: 10/2010
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896571252
Preço editor: 17,75€
Minha classificação: 4/5 estrelas

Opinião: Este livro conta a história de uma rapariga, Luce Price, cujos os país colocam-na numa instuição, uma espécie de “prisão” para adolescentes. É neste lugar que ela conhecerá Daniel, um rapaz misterioso, que Luce sente conhecer de um passado, mesmo não sabendo de quando. Além de Daniel, conhece também Cam, outro rapaz que ao contrário de Daniel, aproxima-se de Luce.
Nos primeiros capítulos, o livro não me agradou muito, isto é, não me cativou ao ponto de eu ficar “viciada” nesta leitura, não só por não entender qual o assunto principal da história, como pelo enrolar e descrição de acontecimentos que considero irrelevantes/desnecessários para a história. Mas ao fim de mais ou menos 100 páginas, comecei a gostar um pouco mais, e ao virar de cada página, a adorar o livro, principalmente a química entre Daniel e Luce. E quanto ao final, foi bom, imprevísivel em algumas partes.
Fiquei bastante contente ao saber que existem mais três livros pertencentes a esta saga, e mesmo já tendo ouvido várias pessoas dizerem que os próximos livros não serão bons como o primeiro, o meu entusiasmo mantém-se, porque esta história lembra-me um pouco de Hush Hush, da autora Becca Fitzpatrick (da porto editora), uma saga que adorei ler sem dúvida!

Sinopse: “Existe qualquer coisa de dolorosamente familiar em Daniel Grigori. Misterioso e distante, prende a atenção de Luce Price logo que o vê no primeiro dia de aulas no internato Sword & Cross, em Savannah. É a única coisa boa num lugar onde os telemóveis são proibidos, os outros estudantes são tramados e as câmaras de segurança vigiam todos os movimentos. Excepto uma coisa: Daniel não quer ter nada a ver com Luce e faz o possível para tornar isso muito claro. Mas ela não consegue desistir. Atraída para ele como uma borboleta para uma chama, Luce tem de descobrir o que Daniel, desesperado, tenta manter em segredo… mesmo que a mate. Perigoso, excitante e sombriamente romântico, Anjo Caído é uma apaixonante e perfeita história de amor.”

Entre o agora e o nunca – J.A. Redmerski [Opinião]

20319296Publicação: 12/2013
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722351829
Preço editor: 18,80€
Minha classificação: 5 estrelas em 5 estrelas

Opinião: Terminei o livro à alguns minutos já, e tenho que confessar: EU CHOREI!!! Acho que é normal para nós, leitores, chorarmos com alguns finais, mas nunca chorei tanto com nenhum livro, como chorei com este (e não tenho vergonha de admiti-lo, porque é perfeitamente normal, não acham? haha).

“Entre o agora e o nunca” conta-nos a história de uma rapariga, Camryn, que está a passar por alguns problemas, e para se afastar deles, ela decide fazer uma viagem de autocarro, onde ela irá conhecer Andrew, um rapaz que está constantemente a provocá-la (de forma engraçada, claro!). Durante o livro, eles irão se conhecer melhor um ao outro, até que ele convida-a a viajar com ele, no seu carro, sem destino.
Apesar de ter levado algum tempo a ler o livro (estive com ele parado uns 3 meses), ele tornou-se um dos meus favoritos até hoje, não apenas pela amizade que se desenvolve entre a Cam e o Andrew, mas também porque senti-me envolvida na história, com os personagens, que no fim, como já disse antes, chorei e sorri ao mesmo tempo, infinitas vezes.
Este é um livro que irá sempre ficar comigo, nos meus pensamentos, no meu coração, principalmente as personagens. E se ainda não leram o livro, deviam fazê-lo muito em breve! Não sabem o que estão a perder. 😉

Sinopse: “Camryn Bennett decide, com a impetuosidade dos seus 20 anos, abandonar um quotidiano previsível e aventurar-se numa viagem sem destino em busca de si própria. Entra num autocarro de longo curso e deixa-se ir ao sabor do momento. É então que conhece a pessoa que irá mudar para sempre a sua vida – Andrew Parish, um jovem que vive a vida intensamente. O espírito livre e aventuroso de Andrew exerce sobre Camryn um poderoso fascínio e, pouco a pouco, vai quebrando as suas defesas, libertando-a das convenções que a impedem de viver plenamente o presente e expondo os seus desejos mais secretos. Sensual e inspirador, este romance fala-nos do amor, da paixão, do erotismo… e da coragem de vivermos até ao limite sem nos trairmos a nós próprios.”

Anjo Mecânico – Cassandra Clare [Opinião]

12064176Publicação: 2010
Editor:  Editorial Planeta
ISBN: 9789896571399
Preço editor: 19,95€
Minha classificação: 5 estrelas em 5 estrelas

Opinião: Quando comecei a ler este livro, pensei: “Talvez isto seja idêntico aos Instrumentos Mortais.”, mas estava errada. Anjo Mecânico é bastante diferente de Instrumentos Mortais. O mundo, as criaturas e muitas outras coisas são iguais em ambas as sagas, mas os personagens são diferentes, únicos.
Neste primeiro livro, a personagem principal é a Tessa Gray, uma “bruxa”, que tem o poder de mudar de forma, para parecer-se com alguém. Lembram-se quando numa cena de Harry Potter e a Câmara dos Segredos, o Harry, o Ron e a Hermion bebem uma poção para “transfigurarem-se” e parecerem iguais a alguns rapazes da casa de Slytherin? Continuar a ler