Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (HP #3) – J.K. Rowling [Opinião]

13417381Título Original: Harry Potter and the Prisoner of Azkaban 
Publicação: 2002   
Editor: Editorial Presença 
ISBN: 9789722326018
PVP: 14,90€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Daquela vez Harry Potter não conseguira conter-se. Quebrara uma das regras principais de Hogwarts – não exercer técnicas de feitiçaria fora dos muros da escola. Mas aquela detestável Tia Marge merecia permanecer umas boas horas suspensa no tecto da sala dos Dursleys inchada como um balão. Além disso já faltavam poucos dias para recomeçar as aulas. Mas o seu terceiro ano não irá ser fácil. Da prisão de Azkaban fugira o feroz Sirus Black, um dos mais fieis seguidores do assustador Lord Voldemort para o qual Harry Potter continuava a ser o alvo favorito. O pior é que o herói de J. K. Rowling começa a suspeitar da existência de um traidor entre os seus próprios amigos… O regresso da personagem fantástica que está a conquistar leitores em todo o mundo numa aventura que te enfeitiçará até à última página.

Opinião: Como é que algo não perde a magia, mesmo após tantos anos, e tantas re-leituras? Este é o terceiro volume de Harry Potter que estou a reler, e sinto que cada livro é melhor que o anterior. Decidi reler a saga de novo não só pelas saudades que tinha deste mundo (não, os filmes não chegam), mas também por tê-los lido numa fase da minha vida em que não dei muita atenção, tanto a estes livros como outros (com o passar dos anos, temos tendência a esquecer-nos das histórias e só a recordamos num geral).
Ouvia imensas pessoas a dizer “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (Hp3, porque sou muito preguiçosa haha) é o meu favorito”, “Hp3 é o melhor da saga” e por ai a fora. Mas não tinha noção do porquê… Só porque tem o Sirius? Sempre tive a sensação que não tinha gostado muito deste terceiro livro, mas sabem que mais? Relê-lo foi a melhor coisa que fiz, pois finalmente entendi o porquê de tanto “hype” em volta deste livro. É mais mágico, perigoso e muito mais misterioso que os outros. Neste livro finalmente temos um de professor de Defesa contra as Artes Negras como deve ser… Um personagem que adorei, assim como o Sirius, e sinto mesmo pena pelo desenrolar da história, pois quem leu, sabe o que lhe espera nos próximos livros.

13417381

Em termos de saga, até agora, dos três que reli, Prisioneiro de Azkaban é sem dúvida o meu favorito, pelos motivos que já citei. Temos também o tão famoso Time-Turner e o Buckbeak. Achei curioso, que quando li o livro, temos a existência de mais hipogrifos, enquanto que no filme optaram apenas por manter o principal.
Nota-se o crescimento dos vários personagens desta saga, em termos de personalidade, para além das questões fisicas, como é óbvio. Hermione continua a ser uma personagem fantástica, que mesmo achando que não, consegue superar-se de livro para livro a nível de caráter. Adorei também a presença do Snape, que é o meu personagem favorito, além do Malfoy. Sim, sou da equipa dos mauzinhos hahahaha
Este livro consegue também ser bastante triste, principalmente quando o lemos a ouvir o soundtrack do filme, como eu hahahaha Não consegui não emocionar-me com os momentos finais e com alguns personagens, porque este livro é mesmo, de alguma forma mais negro, que os anteriores.

Foi um livro fantástico e uma das minhas leituras favoritas de 2017 e também de Dezembro, e mal posso esperar por pôr as mãos nos próximos livros! Apesar de Harry Potter e o Cálice de Fogo, intimidar-me um pouco, não pelo tamanho, mas por ter sido o livro que me fez dar uma pausa de anos na leitura da saga. Espero que desta vez não o ache um pouco cansativo, porque afinal esta é saga é uma das minhas prediletas.

Um livro13866769_821828817951392_862605751_n

Para mais informações do livro Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, clica aqui.

Anúncios

Cruel Beauty – Rosamund Hodge [Opinião]

13417381Publicação: Jan-2014 
Editor: HarperCollins Publishers Inc  
ISBN: 9780062224743
PVP: NA – variável de site para site – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 3,5/5 estrelas

Sinopse (versão Português-Brasil aqui): If you’re excited about the upcoming Disney film Beauty and the Beast, starring Emma Watson, don’t miss Cruel Beauty. The romance of Beauty and the Beast meets the adventure of Graceling in this dazzling fantasy novel about our deepest desires and their power to change our destiny. Perfect for fans of bestselling An Ember in the Ashes and A Court of Thorns and Roses, this gorgeously written debut infuses the classic fairy tale with glittering magic, a feisty heroine, and a romance sure to take your breath away. Betrothed to the evil ruler of her kingdom, Nyx has always known that her fate was to marry him, kill him, and free her people from his tyranny. But on her seventeenth birthday when she moves into his castle high on the kingdom’s mountaintop, nothing is what she expected-particularly her charming and beguiling new husband. Nyx knows she must save her homeland at all costs, yet she can’t resist the pull of her sworn enemy-who’s gotten in her way by stealing her heart.

Opinião: Já faz quase um mês desde que li este livro e a parte negativa de não ter escrito uma opinião, na altura, é que agora não me recordo a 100% da história, não só pelo tempo passado, mas também por ter lido muitos mais livros entretanto.

Como se diz em inglês “Mix feelings”. É isso que senti quando terminei de ler o livro. Gostei dele. Não o adorei, apenas gostei, mas não é um livro que tenha me marcado de todo, apesar de ser um re-telling de “A Bela e o Monstros” (deu-me de ler re-tellings deste meu filme favorito da Disney <3). A história em si não é nada por ai além, tal como a personagem feminina, Nyx. Acho o que me fez gostar deste livro foi, não só o facto de ser um re-telling, mas também o “vilão”, Ignifex, que acaba ser um pouco fraco a nível de vilão, mas que como personagem, até que me agradou.
A história como podem ler na sinopse, baseia-se numa rapariga que tem o dever de casar com um “monstro” e matá-lo, para salvar o seu povo, mas que acaba por ficar “encantada” por esse monstro. A sinopse acaba por ser como um trailer de um filme:
Parece fantástico, mas quando vamos ver o filme, não é nem de perto o que o trailer nos apresentava… neste caso, o livro. Achei que seria algo mais intenso, com uma personagem “badass”, um ambiente um tanto mágico, por ter um espaço físico mais “medieval”. É realmente esta parte que me deixou mais de pé atrás, pois esperava realmente algo mais. Talvez isto venha do facto de ter lido Sarah J. Maas e Brandon Sanderson antes, mas até a Jennifer L. Armentrout apresenta a ação da história de uma forma mais intensa, apesar de não existir tanta ação, o que podia não acontecer, sendo que ela escreve sobre alliens, e não sobre uma rapariga que, supostamente, vai matar o vilão (mas isto é uma conversa para outra altura).

Então, basicamente é isto. O desenrolar da história é interessante mas tem momentos um pouco chatos. A personagem feminina não é marcante, tal como a masculina, mas pelo menos esta última consegue salvar um pouco o livro. Teria gostado muito mais, se a autora se limitasse a entregar aos leitores o que é prometido na sinopse.

Leituras de Dezembro [2016] – Wrap-up

Último mês do ano e nada melhor do que ter terminado 2016 em grande certo? Li nada mais, nada menos, do que 12 livrinhos! Foi o melhor mês de 2016, sem dúvida, não só porque foi em Dezembro que li mais, mas também porque finalmente ultrapassei esta longa reading-slump.

Algumas destas leituras (a maioria) fazia parte da minha tbr (to be read) da Potter-a-thon e aproveito este post para divulgar-vos este grupo no facebook, criado pela Filipa e pela Elsa (dos canais de youtube FilipaBo0ks e Ordem d’Avis, respetivamente). O grupo chama-se “Tuga-a-thon”, porém já vai na segunda edição que foi chamada de “Potter-a-thon” por ser dedicado a Harry Potter, que nos faz lembrar sempre o Natal. Esta maratona já terminou, mas quem quiser, pode juntar-se à próxima maratona, que terá lugar em Fevereiro, cujo o nome será “Carnival-a-thon”. Para mais informações, contactem estas duas “meninas” pelos canais delas ou então falem comigo pelo facebook 😉

E por fim, aqui ficam as minhas últimas leituras de 2016:
1. Onyx – Jennifer L. Armentrout
2. Opal – Jennifer L. Armentrout
3. Origin – Jennifer L. Armentrout
4. An Illustrated History of Notable Shadowhunters and Denizens of Downworld – Cassandra Clare e Cassandra Jean
5. A Noiva do Marquês – Tessa Dare
6. Scarlet – Marissa Meyer
7. A Quimera de Praga – Laini Taylor
8. Adeus – Susana Almeida
9. Dias de Sangue e Glória – Laini Taylor
10. Cruel Beauty – Rosamund Hodge (opinião em breve)
11. O Código Da Vinci – Dan Brown
12. Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban – J.K. Rowling (opinião em breve)

Quero agradecer à Susana Almeida e à Bertrand Editora pelos exemplares que me enviaram e que juntaram-se às leituras deste mês 🙂

Como é óbvio, não podia deixar de mencionar quais as minhas leituras favoritas: Harry Potter, como não podia deixa de ser, mas os livros da Jennifer L. Armentrout foram outra coisa de outro mundo, um vicio absoluto!

O Código da Vinci, edição juvenil (Robert Langdon #2) – Dan Brown [Opinião]

b572ab5bde7d249d563c59fd2e403af2Título Original: Da Vinci’s Code
Publicação: 11-2016
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722533041
PVP: 16,60€ – Compra-o aqui 
A minha classificação: 2,5/5 estrelas

Sinopse: A maior conspiração dos últimos dois mil anos está prestes a ser revelada a uma nova geração. Robert Langdon, professor de simbologia da Universidade de Harvard, está em Paris para dar uma palestra. Na receção que se segue deve encontrar-se com um respeitado curador do mundialmente famoso Museu do Louvre.
Mas o curador nunca aparece e mais tarde, durante a noite, Langdon é acordado pelas autoridades é informado que o curador foi encontrado morto. De seguida, é conduzido ao Louvre, à cena do crime, e descobre pistas desconcertantes. Este é o ponto de partida para uma corrida contra o tempo, na decorrer da qual Robert Langdon, auxiliado pela criptologista francesa Sophie Neveu, procura decifrar um conjunto de pistas especificamente deixadas para sua interpretação. Se Robert e Sophie não conseguirem resolver o quebra-cabeças a tempo, serão confrontados com um trágico destino.

Opinião: Antes de mais, quero agradecer a gentileza da Bertrand Editora  em ter-me cedido um exemplar deste livro!

“O Código Da Vinci” é um bom livro. Talvez até um livro fantástico. Mas para quem realmente aprecia um bom thriller à mistura de temas religiosos, sem dúvida. O que não é o meu caso. Mas estava curiosa por saber o que tinha este livro de tão especial, então decidi lê-lo.

Relativamente à parte do thriller, gostei bastante, porém, para mim, as questões religiosas e longas explicações históricas de religião foram o que me impediram de apreciar realmente este livro. Mas numa coisa, muitas pessoas têm razão: Dan Brown escreve como se fosse um guião, no sentido, em que há muita descrição em termos da ação e isso permite-nos 13417381imaginar de facto todas as situações pelas quais Robert e Sophie passam ao longo do livro. Como disse, se não fosse a parte religiosa e histórica, acho que teria gostado do livro e não teria ficado ali às voltas sem muita vontade de o ler.

Confesso que esperava um pouco mais de Robert, que é o principal da história (e da trilogia de Dan Brown, acho). Esperei ver uma personalidade forte, mas encontrei um personagem um tanto… vazio. Sophie, pelo contrário, é uma personagem cativante, inteligente e que de alguma forma, torna toda a história mais interessante, também por estar diretamente ligada à vitima de assassinato. Teabing é intrigante, um pouco misterioso e gostei dele e da forma de ser e falar deste. Por momentos, fez lembrar um pouco do Padre Bartolemeu de “Memorial do Convento” (José Saramago), por serem ambos personagens cultas e que adoram um bom enigma.
Apenas uma coisa me agarrou totalmente, dentro da parte da religião-história: A teoria do quadro “A última ceia”. É realmente interessante ver as teorias que os personagens, de Dan Brown, criam à volta disto!

Novamente, digo: Não é por não ter gostado tanto como esperava, que não o recomendo, até porque tenho conversado com imensas pessoas que dizem ter adorado o livro. Portanto, se tu, que estás a ler esta opinião, és um fã de thriller ou adoras um bom mistério que envolva um pouco de história e muita religião, força, agarra neste livro e lê-o!

Uma leitura com o apoio de13417381.jpg

 

Dias de Sangue e Glória (Daughter of Smoke and Bone #2) – Laini Taylor

13417381Título Original: Days of Blood & Starlight 
Publicação: 04-2015
Editor: Porto Editora
ISBN: 9789720047373
PVP: 16,60€ – Compra-o aqui 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: Karou, antiga estudante de Arte, quimera revenante e aprendiz de ressurrecionista, tem finalmente as respostas que sempre procurou. Sabe quem é e o que é. Porém, com este conhecimento vem outra verdade que ela daria tudo para desfazer: amou o inimigo e foi traída, e um mundo inteiro sofreu por isso.
Agora, sacerdotisa de um castelo de areia numa terra de poeira e estrelas, profundamente só, Karou tenta recriar o universo do seu passado, contribuindo, com a sua dor e a sua mágoa, para a volta gloriosa das quimeras.
Porém, sem Akiva, e sem o seu sonho de amor partilhado, o caminho da esperança afigura-se impossível de trilhar.
Repleto de desgosto e beleza, segredos e escolhas impossíveis, Dias de Sangue e Glória encontra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra tão antiga como o tempo.

Opinião: Não sei qual é o meu problema com guerras em livros/histórias, sinceramente. Porque para mim este livro só não foi melhor que o primeiro, por ter-se focado imenso na parte da guerra entre as quimeras e os serafins, o que sinceramente tornou-se meio aborrecido aos poucos, principalmente no inicio. Mas as cenas de Karou, apesar de irritantes às vezes, foram interessantes, pois ficamos a conhecer melhor os meios de sobrevivência das quimeras e toda a magia por trás.
E assim se quebra a tradição de “O segundo livro é melhor que o primeiro” hahahaha Não ADOREI como o anterior, mas gostei e, embora não esteja em “pulgas” pelo próximo, estou curiosa o suficiente para o querer ler nas próximas semanas.

Neste livro conhecemos Akiva melhor, tal como Thiago, o Lobo Branco, e gostei mesmo muito de conhecer ambos, embora os meus pensamentos sobre cada um deles seja diferente. Porém, Karou tornou-se um pouco irritante neste livro, infelizmente, com o seu constante “Não o amava”, o que tornou-a numa personagem um tanto infantil às vezes, ao contrário da rapariga madura que conheci no outro livro. Outro ponto positivo são as personagens Zuzana e Mik que tornam tudo mais engraçado, principalmente no inicio do livro :p
Há coisas que acontecem que não esperava, principalmente a confiança que depositei num personagem e que veio a virar-se contra mim, porque esperava realmente mais desse personagem. No meio deste tema todo de guerra, em que vemos tudo pela perspectiva ou da Karou ou do Akiva, o ponto mais forte foram os seus personagens secundários, não só da parte da Karou, mas como os irmãos de Akiva, que me surpreenderam e muito, pois o primeiro livro foi apenas uma introdução para o enorme mundo que o segundo livro dá a conhecer.

O final é divertido, inesperado, embora chocante (de uma forma surpreendente até), e é talvez isto que me faz querer ler o próximo, pois não esperava de todo aquela pequena reviravolta de ambos os lados da guerra. Que venha o terceiro!

Um livrogrupo_porto_editora_novo

Adeus – Susana Almeida [Opinião]

bPublicação: 07-2016
Editor: Individual Editora
ISBN: 9789899955523
PVP: 15,90€ – Compra-o aqui 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: E se aqueles que partem nunca nos deixam sós? Quando os caminhos de Lucas e Carina se cruzam, ele está longe de imaginar a importância que ela terá na sua vida. Carina é diferente das outras raparigas, é leal, determinada, corajosa e altruísta, qualidades que rapidamente conquistam o seu coração. Mas depressa o sonho se transforma em pesadelo e é quando Lucas perde a vontade de viver que um pequeno pássaro branco mudará a sua vida.

Opinião: Adorei! Acima de tudo surpreendeu-me, não só pelas personagens que me marcaram, todas elas especiais, mas também pela narrativa e pelo seu tema. É uma história simples, no sentido, em que não é muito desenvolvida e, apesar de muitas vezes isto não me agradar, neste livro gostei disso. Lesley Pearse, por exemplo, desenvolve muito os vários momentos da vida das suas protagonistas, mas isso leva a que muitas vezes o livro perca-se nos detalhes e acaba por tornar-se cansativo. Porém, a Susana, a autora deste surpreendente livro, avançava no tempo, sem perder muito tempo em descrever esse caminho, e como disse é algo que não gosto muito, mas que no entanto, no seu livro adorei, sinceramente!

É uma história triste também e ainda agora sinto alguma tristeza quando penso em tudo o que aconteceu, porque dá mesmo um aperto ler as várias coisas que decorrem ao longo do livro.
Apesar de triste, esta história traz também muitas batalhas com piratas, que adorei. Esta é outra coisa que geralmente não gosto de ver muito em livro, batalhas/guerras descritas, mas ficaram mesmo engraçadas mas reais todas estas batalhas porque Lucas passa.
Sobre o título, este aparece incluido na história e adorei a forma como foi inserida! Adorei também o seu final, e posso dizer que Lucas e Sandro são os meus personagens favoritos desta história, mas gostei imenso de conhecer a mãe de Lucas, a Vânia, que é uma personagem querida e que adorava puder conhecer melhor. Talvez num futuro livro, não Susana? hahaha :p

O livro é mesmo muito bom e espero que muitas outras pessoas pelo país inteiro leiam o este livro e tenham a mesma opinião, para além de gostarem!
Como já lhe disse, a Susana é uma espécie de Colleen Hoover, que nos agarra com os seus personagens cativantes mas que de alguma forma, parece adorar partir os nossos corações hahahahaha

Obrigada mais uma vez à Susana e à Individual Editora por me terem enviado este exemplar, em troca de uma opinião honesta. Adorei mesmo e valeu muito a pena esta leitura 🙂

Um livro500_9789892336435_confia_em_mim

A Quimera de Praga (Trilogia Entre Mundos #1) – Laini Taylor [Opinião]

18811087tulo Original: Daughter of Smoke and Bone 
Publicação: 01-2015
Editor: Porto Editora 
ISBN: 9789720044273 
PVP: 16,60€ – Compra-o aqui 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Pelos quatro cantos do mundo, marcas de mãos negras começam a aparecer nas portas, gravadas a fogo por estranhos seres alados, saídos de uma fenda no céu.
Numa loja escura e empoeirada, o abastecimento de dentes humanos de um demónio começa a ficar perigosamente reduzido. E nas ruelas labirínticas de Praga, uma jovem está prestes a embarcar numa jornada sem retorno.
O seu nome é Karou. Karou não sabe quem é, nem porque vive dividida entre o mundo humano e a sua família de demónios, mas crê que as respostas podem estar para lá de uma porta nos recantos sombrios de uma loja, ou no confronto com um completo desconhecido, de olhar abrasador e aparência divina – o anjo que queimou as entradas para o seu mundo, deixando-a só.

Opinião: Há livros que começamos a ler e que simplesmente adoramos. Este não foi um deles. Não me cativou inicialmente. Não vi o que havia de especial nele. MAS como sempre, acho que qualquer livro tem direito a uma segunda oportunidade, e que segunda oportunidade mais bem dada que dei a este livro, porque valeu totalmente a pena insistir um pouco no inicio do livro. Por isso, quem for ler este livro e sentir-se aborrecido com as primeiras páginas, não desista!

“A Quimera de Praga”, com um título bastante diferente do original mas que continua a fazer sentido (e ainda mais do que o título original), é talvez dos poucos livros que, mesmo não tendo-me conquistado logo do inicio, foi algo de especial que fui descobrindo aos poucos. É diferente, viciante (sempre a usar a palavra viciante! haha), único, especial e, de uma forma extremamente estranha… apaixonante, com toda esta história de quimeras com cabelo feito de serpentes e pés de cabra.
Talvez porque não prestei muita atenção à sinopse, dei por mim a sentir-me mais encantada por este livro, por ir descobrindo aos poucos do que se tratava o livro, porque é essa a magia de não lermos as sinopses: Não esperamos nada do que acontece e conseguimos gostar ainda mais de um livro.
Não posso deixar de mencionar a longa lista de nome ESTRANHOS que a autora escolheu para as suas personagens, mas são nomes únicos, que destacam ainda mais este livro e esta história. Sei que um dia vou olhar para este livro e vou pensar “Olha o livro com nomes esquisitos” hahahaha Karou e Akiva são os personagens principais deste livro. Karou é uma simples rapariga, de cabelo azul. Akiva é um anjo. E isto soa extremamente familiar não? A mim fez-me lembrar de “Hush, Hush”. Mas tirando este ponto em18811087.jpg “comum”, nada tem a ver. Este livro é simplesmente fantástico e agarra qualquer um à sua história, com o seu leque de personagens memoráveis e impossíveis de não gostar, até mesmo do Kaz ou do Thiago.
Este livro tem tudo o que um livro pode ter: ação, romance, mistério, um mundo que nos faz tirar os pés da nossa realidade e querer fazer parte daquela comunidade de criaturas magnificas mas estranhas.
Algo que recomendo a fazerem, caso queiram ler este livro: Adquiram a trilogia toda, pois mal acabem de ler o primeiro livro, vão querer ler o segundo! Felizmente, eu já o comprei, mas infelizmente, não tenho o terceiro. Mas é já amanhã que o meu livrinho chega e adivinhem qual vai ser a leitura de fim-de-semana?! Pois é ❤ hahaha

Um livrogrupo_porto_editora_novo

Scarlet (Crónicas Lunares #2) – Marissa Meyer [Opinião]

14224929_860487624084528_1674112295506177009_nTítulo Original: Scarlet
Publicação: 2013
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896574123
PVP: 18,85€ – Compra-o aqui 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: Cinder elabora um plano para fugir da prisão e, se for bem-sucedida, irá tornar-se a fugitiva mais procurada da Comunidade. Do outro lado do mundo, a avó de Scarlet Benoit desapareceu. Scarlet entra em pânico e, na sua busca, acaba por descobrir que existem muitas coisas sobre a avó que desconhece, assim como ignorava o grave perigo que correu toda a vida. Quando Scarlet encontra Wolf, um lutador de rua que poderá ter informações sobre o paradeiro da avó, sente-se relutante em confiar nele, mas ao mesmo tempo sente-se inexplicavelmente atraída. Scarlet e Wolf tentam desvendar o mistério do desaparecimento da avó, mas deparam-se com outro quando encontram Cinder. Além de todos os problemas em que estão mergulhados, ainda terão de antecipar os passos da maléfica rainha Levana, que fará qualquer coisa para que o belo príncipe Kai se torne seu marido, seu rei, seu prisioneiro.

Opinião: Depois de alguma motivação da parte de outras pessoas, decidi dar uma segunda oportunidade a esta série, que certamente não me conquistou pelo primeiro livro, que gostei mas que não foi nada por ai além. Na altura, dei 5 estrelas a “Cinder“, mas decidi reclassificá-lo, pois sendo que sinto que este segundo livro é melhor do que o primeiro e que não ultrapassa as quatro estrelas, decidi reavaliar Cinder com um 3,5*.
Mas hoje vim falar de Scarlet, que foi mil vezes melhor que o primeiro livro. Estou numa fase de achar os segundos livros melhores hahahaha Para quem já leu Cinder, e com certeza só essas pessoas deverão estar a ler esta opinião, sabe que a autora decidiu dividir o livro em “livros”, ou seja em partes, então falando sobre este aspeto em geral: O primeiro livro e a metade do segundo foram lentos. Estiveram ao mesmo nível que o anterior13417381 volume da série. Mas subitamente as coisas melhoraram. Os personagens começaram a desenvolver-se ainda mais, tal como a sua história. Gostaria de ter visto um pouco mais da rainha Levana e do Kai.
Gostei de Cinder, da personagem mesmo, mas comparando Scarlet, a “segunda” protagonista da série, esta última é muito mais interessante e gostei realmente da história dela, de Wolf e todas as aventuras que acompanhei com ela ao longo do livro. As partes da Cinder foram um pouco mais paradas, mas tenho esperança que o terceiro livro “Cress” seja melhor neste aspeto, em que desenvolva tudo melhor.
Normalmente lobos, lobisomens e tudo o que está ligado a este tipo de assuntos, é algo que não me atrai, mas adorei este livro ainda mais que o primeiro, não só pela nova protagonista, como pelo envolvimento de hierarquias de alcateias e do desenvolvimento melhor do que podemos esperar da rainha Lunar.

Em geral, não acho que a série seja merecedora de todo o “hype” que tem. Aliás, não o entendo. Mas sim, a série é boa e acredito que possa vir a melhorar, mas não é daquelas séries UAU, do estilo “blowing my mind”, se é que me faço entender… haha :p

Um livro500_9789892336435_confia_em_mim

A Noiva do Marquês (Castles Ever After #2) – Tessa Dare [Opinião]

gTítulo Original: Say Yes to the Marquess 
Publicação: 10-2015 
Editor: Topseller (20|20 editora) 
ISBN: 9789898491336 
PVP: 15,98€ – Compra-o aqui
A minha classificação: 3,5/5 estrelas

Sinopse: Ela tinha tudo o que uma donzela da sua posição podia querer: era linda e estava noiva do solteiro mais cobiçado da cidade. Um longo e desesperante noivado, porém, levou-a a querer romper o compromisso e a tomar as rédeas da sua vida.
Clio Whitmore está noiva do Marquês de Granville há oito anos, mas ele está sempre ausente no estrangeiro, levando-a ao desespero por não se sentir desejada. Quando Clio herda um castelo que lhe proporciona independência financeira, decide romper o noivado e iniciar uma nova vida. Para tal, ela terá de convencer Rafe, irmão e procurador do Marquês, a aceitar o fim do noivado. Mas Rafe tem planos para a fazer mudar de ideias, organizando-lhe um casamento de sonho…
Ele começa com flores. Um casamento nunca tem flores suficientes… Ele diz-lhe que ela dará uma belíssima noiva… e tenta não imaginá-la como sua.
Como conseguirá Rafe convencer Clio a casar-se sem se deixar vencer pelos sentimentos que crescem dentro dele, e que são a cada dia mais fortes?
Ele não irá apaixonar-se pela única mulher que nunca poderá beijar nem dizer ser sua. Ou irá?

Opinião: Assim por alto, a sinopse não é a mais atrativa de entre os livros já publicados, em Portugal, da Tessa Dare. Mas a história surpreendeu-me até, pois não esperava muito dela, por essa mesma razão: a sinopse. Li “Romance com o duque” também este ano e adorei! Este também foi uma boa e divertida leitura. Dei por mim a gostar mais deste do que o anterior que li, porém o final deixou muito a desejar, com imensas pontas soltas (obrigada Patrícia pelas palavras. Provavelmente nem me lembraria deste ponto do livro, se não o tivéssemos discutido!) e por isso passou de favorito da autora para segundo lugar, só por causa deste pormenor. Mas excepto isto, o livro é divertido, refrescante. Um ótimo livro, principalmente para aquelas alturas em que não sabemos o que ler ou quando estamos exaustos de ler sempre a mesma linha de livros (no meu caso, era fantasia).

Em termos de personagens, gostei muito mais dos personagens e argumento apresentados neste livro. Não sei porquê mas com “Romance com o duque” senti que estava quase a ler um conto de fadas e imaginava a história a passar-se num mundo “imaginário”, que não tivesse cidades reais, e não sei explicar mesmo o porquê disto. Mas este segundo livro apresenta-nos nomes como Londres, Somerset, entre outros, e senti-me mais com “os pés assentes na terra”, por isso ao inicio gostei realmente mais deste livro da autora.
Rafe não é muito diferente do que estou habituada a encontrar em romances históricos, mas Clio é uma personagem engraçada, de quem gostei mesmo, assim como Phoebe, que lembrou-me a protagonista de “Um conde apaixonante” (um livro da Sarah MacLean que ainda tenho por ler), me cativou imenso pela sua personalidade um tanto peculiar mas divertida. Até mesmo o cão teve os seus momentos divertidos! Também gostei do treinador e dos seus momentos de entusiasmo ao longo do livro. Comparando este leque de personagens com os do outro livro da autora que li, gostei muito mais destes, por demonstrarem um pouco mais de personalidade, por serem mais “reais”.

Como disse, a história, o “plot” é bom, mas é o final que me deixa um pouco apreensiva. Mas quem sabe se a autora não pensar em pegar nessas pontas soltas para escrever outros livros? Eu adoraria ler uma história só sobre a Phoebe ou até mesmo sobre o Piers.
Recomendo altamente a que não leiam este livro de barriga vazia, porque aquela cena dos bolos… deu-me mesmo fome e vontade de comer um bolo fresco coberto de creme :p

Um livrologo_topseller_lema

Origin (Lux series #4) – Jennifer L. Armentrout [Opinião]

8883268Publicação: 08-2013 
Editor: Entangled Publishing 
ISBN: 9781622660759 
PVP: NA (varia de site para site) – Compra-o aqui  
A minha classificação: 5/5 estrelas

[Esta opinião pode conter spoilers para quem não leu os livros anteriores “Obsidian”, “Onyx” e “Opal”]

Sinopse: Daemon will do anything to get Katy back.
After the successful but disastrous raid on Mount Weather, he’s facing the impossible. Katy is gone. Taken. Everything becomes about finding her. Taking out anyone who stands in his way? Done. Burning down the whole world to save her? Gladly. Exposing his alien race to the world? With pleasure.
All Katy can do is survive.
Surrounded by enemies, the only way she can come out of this is to adapt. After all, there are sides of Daedalus that don’t seem entirely crazy, but the group’s goals are frightening and the truths they speak even more disturbing. Who are the real bad guys? Daedalus? Mankind? Or the Luxen?
Together, they can face anything.
But the most dangerous foe has been there all along, and when the truths are exposed and the lies come crumbling down, which side will Daemon and Katy be standing on?
And will they even be together?

Opinião: Como é que é possível ler três livros seguidos da mesma autora, e ainda por cima da mesma série, e no fim, sem enjoar por uma única vez, querer ler o último livro que me falta para completar Lux? A sério… só não o li ainda, porque ainda não recebi, se não, estaria agora a lê-lo!
E provavelmente, muitos de vocês já estão mais que fartos de me ver aqui a publicar opiniões só desta série, mas eu preciso de partilhar com o mundo o quanto fantásticos e viciantes (a quebra-corações) são estes livros! Terminei este quarto livro ontem (6-12), ou seja, nos seis primeiros dias do mês de Dezembro, dediquei-me apenas a esta série. Dois dias para cada livro, horas e horas agarrada. Só o sono é que me afastava deles, porque de resto…

Já não é a primeira, nem segunda, nem será a última vez que digo que um livro é fantástico. Muitos livros são fantásticos para mim, mas esta série destaca-se entre muitas outras, e porquê? Todos sabemos que é normal que uma série possa ir perdendo qualidade, mas tal não acontece com Lux! Os livros só se tornam melhores e melhores, de livro para livro. Embora “Opal” seja o meu favorito até agora, “Origin” esteve lá perto.
As primeiras páginas do livro (à volta das 50 mais ou menos) são um pouco mais lentas, mas o facto de o livro anterior terminar num cliffhanger ajuda de certa forma a tornar estas partes mais lentas melhores e mesmo assim viciantes. A cada capítulo fui agarrando-me cada vez mais, como aconteceu com os outros livros. E ADIVINHEM!!! Além da visão da Katy, temos a honra de ler o livro também pela visão do Daemon, o que para mim tornou este livro ótimo! Se não fosse por isso e por toda a ação e personagens no livro, acho que não teria gostado tanto dele como gostei, porque ambientes militares não é coisa que goste muito de ver num livro (por isto, não gostei mesmo NADA dos livros de Rick Yancey, mas isso é outro assunto).
É incrível a forma de escrita da autora, que me manteve agarrada. Não só durante o livro, mas durante a série. E sei que isto parece um pouco que uma opinião “de despedida”, mas meio que é, porque só mesmo para o final do mês é que devo publicar a minha última opinião desta série).

Este livro traz-nos algumas personagens, umas mais interessantes que outras, principalmente o misterioso Archer, que sem dúvida que me chamou à atenção desde o inicio. Também o título deixou-me curiosa desde o inicio, afinal… Se os outros três títulos anteriores correspondiam a pedras, o que significaria “Origin”? E o que está por de trás deste título é fantástico! Embora previsível (ou sou eu que sou demasiado esperta para meu mal hahaha), a história não deixou de ser menos fantástica do que foi. Há também algumas revelações e reviravoltas nas últimas páginas. Em termos de intensidade, este livro foi sem dúvida o mais intenso da série, por ter algumas mortes, revelações chocantes que nos fazem quase gritar “O QUÊ?!”. E agora, aqui ficarei a morrer de ansiedade pelo próximo livro, que felizmente já vem a caminho e que espero conseguir ler este mês!