Leituras de Fevereiro [2017] – Wrap-up

É oficial: estou numa ressaca literária, em que não sei o que ler. Mas pelo menos Janeiro e Fevereiro foram ambos meses bons em termos de leituras para compensar a desgraça que está a ser Março… 

Mas falando de Fevereiro. 10 livrinhos lidos! Adorei a maioria deles, apesar de uma ou outra desilusão:

“A Bela e o Monstro” foi o meu livro favorito, por motivos óbvios… *fangirling* hahahaha Mas adorei os últimos livros de Academia de Vampiros e o livro de Julie Buxbaum!

Já leram algum destes livros? E quais destes gostariam de ler? 😉

Anúncios

Na Sombra da Noite (A Irmandade da Adaga Negra #1) – J.R. Ward [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Dark lover
Publicação: 06-2009
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619088
PVP: 21,90€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 3/5 estrelas

Sinopse: Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual – seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.
Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado – deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino – Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.
Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.

Opinião: Finalmente estou a conseguir colocar as opiniões atrasadas em dia… E hoje venho falar do primeiro livro desta GIGANTE (um exagero, na minha opinião) série escrita por J.R. Ward, que envolve vampiros. Para ser sincera, decidi começar a lê-la (ou pelo menos os quatro primeiros livros, por agora) apenas porque uma das minhas escritoras favoritas, a Sarah J. Maas, diz adorar esta série tal como afirma que ACOMAF tem muitos pontos retirados/inspirados desta série… Por isso, lá decidi dar uma segunda oportunidade a esta autora, apesar de não ser muito fã da sua escrita (li anteriormente “Diz-me Quem és”, que tem opinião no blogue!). Depois de ler quase metade deste primeiro livro (que levei quase quatro dias para ler), decidi ler o resto em inglês e então percebi… Talvez a culpa não seja da autora e sim da tradução, pois a parte que li na língua original foi simplesmente fantástica. Acho que nisto, a Leya pecava até há uns anos: nas suas traduções. A história traduzida torna-se… cansativa, principalmente em cenas com sexo, palavrões ou outras cenas deste género. Não gosto das expressões que decidem usar, simplesmente. ISTO foi o principal factor que me fez dar 3 estrelas. Mas outro ponto, que é o ridículo do ridículo: Mr. X ou Senhor X. QUE HORROR de vilão… Se é que se pode chamar de vilão a este ser sem nexo e completamente aborrecido. Honestamente? Após metade do livro, decidi saltar todos os capítulos que seguiam só os acontecimentos com este “vilão”, porque tornavam a leitura mais lenta/cansativa.

Mas excepto estes dois pontos, que são “defeitos” graves, na minha opinião, gostei do livro. Sou sincera: Não esperei gostar. Comecei a ler o livro com algumas expectativas, mas mais para o lado negativo. Acabei por ser um pouco surpreendida, apesar deste enjoou de livros sobre o sobrenatural. Todo o tema de “parceiros” e o mundo acabou por revelar-se interessante. Senti alguma “vibe” de Sherrilyn Kenyon, quanto ao romance e à forma como se desenvolve e tudo mais. Se gostam do tipo de romance de Predador da Noite, então certamente que irão gostar do romance nesta série de J.R. Ward! Este é, sem dúvida, um livro que me deixou com muitos mix feelings. Mas sinto-me mais inclinada a considerar este um livro razoável do que “bom”, ao ponto de não saber se o recomendaria. Dizem que melhora de livro para livro e por isso vou dar uma oportunidade à série. Além disso, já tenho os próximos quatro livros (que é até onde pretendo ler. Depois decido se quero mesmo continuar), pois o 3º livro é inspirado em Beauty and The Beast e eu não consigo resistir a re-tellings e livros inspirados no meu filme favorito da Disney hahahahaha E obviamente que não posso ler o 3º sem ler o 2º!

Esta opinião acaba por não ser tão positiva e a favor do livro/inicio desta série, mas espero que isto mude com os próximos livros! Se recomendo? Não sei… Talvez. Depende muito de pessoa para pessoa. Mas fãs de Sherrilyn Kenyon, e até mesmo de outros livros de J.R. Ward, certamente que gostarão desta série. Recomendo que leiam, pelo menos este primeiro livro, em inglês (se de facto souberem inglês). Gosto de pôr as editoras nacionais em primeiro e de apoiá-las, mas de facto a tradução deste livro está… abaixo do razoável.

Jogador Irresistível (Beautiful Bastard #3) – Christina Lauren

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_Título Original: Beautiful Player 
Publicação: Fevereiro-2017 
Editor: Marcador 
ISBN: 9789897540479 
PVP: 17,50€ – Compra em www.levo.pt ou em www.wook.pt 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: Uma Leitora Compulsiva que é uma Bomba. Um casanova incorrigível. E uma Lição de química demasiado escandalosa para ser ensinada na escola.
Quando Hanna Bergstrom ouve um raspanete do irmão superprotector, por estar a negligenciar a sua vida social para se dedicar apenas aos estudos, decide aceitar o desafio implícito que ele lhe lança: sair, fazer novos amigos, namorar… E quem melhor para a transformar na mulher fatal, que todos os homens irão desejar, do que o melhor amigo do irmão, Will Sumner, investidor de risco, sedutor, bonito e playboy sem cura?
Will corre riscos na profissão, mas tem reservas quanto ao desafio de Hanna… Até que, numa noite louca, a sua inocente mas sedutora aluna o leva para a cama – e lhe ensina uma ou duas coisas sobre como estar como uma mulher que ele não conseguirá esquecer. Quando Hanna descobre o seu próprio poder de sedução, é a vez de Will provar que é o único homem que ela precisa.
No terceiro livro da série Irresistível, um acordo entre um investidor de risco e uma grande apreciadora de livros transforma-se rapidamente numa versão pouco recomendável de My Fair Lady.

Opinião: Li “Cretino Irresistível” há alguns meses e gostei. Apenas isso. Não foi um livro que me agradou a 100%. Confesso: Li-o pela capa e por todo o “hype” que havia no Brasil, porque sejamos sinceros/as: As capas são bastante bonitas! E dos três livros já traduzidos em Portugal, a capa deste terceiro livro é, sem dúvida, a minha preferida! Adoro o rosa a contrastar com o preto e branco do modelo da capa! Este foi, obviamente, um dos motivos que me levou a querer ler este livro, mesmo não tendo gostado assim tanto, quanto esperava, do primeiro. Para além disso, a sinopse e premissa cativaram-me logo à primeira vista (ou leitura, aliás).

O resultado? “Jogador Irresistível” ultrapassa o primeiro livro da série, não só na capa, como também na história e no seu desenvolvimento. Gostei muito mais da forma como tudo se desenvolveu, tanto a nível de romance como de evolução dos personagens.
Adorei conhecer o Will, que é um tipo de “playboy” mais honesto, que define as suas relações, sem deixar-se envolve emocionalmente. Mas então ele conhece a Hanna. Adorei ver a mudança e evolução deste personagem masculino, a forma como ele aje com a protagonista, sem deixar de ser ele mesmo. Muda a nível de “hábitos”, mas sem mudar quem ele é: Um homem cativante, divertido e honesto. Gostei realmente dele, mais do que o Bennet. Acho que faz sentido comparar, sendo que isto é uma série, certo?
Mas a minha personagem (do livro e da série, até agora) preferida é a Hanna, sem dúvida. É divertida pelo facto de ser demasiado direta e honesta, sem se conter. Fartei-me de rir com a forma de ser dela, que falava as coisas como elas são, sem rodeios. As trocas de mensagens foram uma das partes de que mais gostei neste livro, principalmente as piadas sem piada (mas mesmo assim ri-me, pelo absurdo de alguém as ter inventado) que Hanna contou a Will.

O romance não fica-se só pelo erótico e realmente adorei isto neste livro. Os personagens não se vêem e decidem logo saltar para cima um do outro, como acontece em muitos eróticos (e como aconteceu no primeiro livro desta série). Há um desenvolvimento razoável, afinal este livro é mesmo um romance-erótico, pelo que é compreensível que não tenha um desenvolvimento romântico durante a maior parte do livro, para só no final haver um beijo. Gostei mesmo assim.
Foi uma história muito divertida, com personagens igualmente divertidos e que recomendo, mesmo para aqueles que não ficaram tão convencidos com o primeiro livro.

Para mais informações do livro Jogador Irresistível, clica aqui.

Uma leitura com o apoio demarcador_logotipo

Conta-me Três Coisas – Julie Buxbaum [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Tell Me Three Things
Publicação: 20-Fevereiro-2017
Editor: Topseller
ISBN: 9789898855343
PVP: 17,69 – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: E se a pessoa de que mais precisas for alguém que não conheces?
Passaram apenas dois anos desde a morte da sua mãe e o seu pai volta a casar-se com uma mulher que conheceu online. Jessie é então forçada a mudar-se para a outra ponta do país, para morar com a madrasta e o seu pretensioso filho adolescente, aparentemente passado da cabeça.
Para Jessie tudo parece errado: sente-se uma estranha naquela casa enorme e fria, tem saudades da sua melhor (e única) amiga. A escola é uma selva autêntica, onde é vítima de bullying. Mas é então que recebe um e-mail de alguém que não conhece, nem se quer deixar conhecer, disponibilizando-lhe apenas a sua amizade virtual.
O que Jessie não espera é que será este e-mail a mudar a sua vida para sempre.
Esta é uma história memorável, que não deixa ninguém indiferente. Um misto de comédia e tragédia, amor e perda, dor e alegria.

Opinião: Que livro FANTÁSTICO. Este foi mesmo um livro que adorei, da primeira página à última. Senti-me agarrada a toda esta história, ao ponto de querer devorá-la num dia e ao mesmo tempo queria que ela durasse. É normal isto? Há imenso tempo que não me sentia tão “apaixonada” por uma história e pela escrita de uma autora, e talvez seja por isto que não queria que o livro acabasse. Seria tão bom se a autora decidisse escrever um segundo livro! Eu, de certeza, que o leria e iria adorar, como é óbvio!

Os personagens são logo a primeira coisa que me cativou mais neste livro. Ethan, Jessie, Dri, Liam, Theo, são os personagens que mais gostei. Achei-os bem construídos e desenvolvidos ao nível certo. Não posso propriamente falar melhor de um destes personagens masculinos ou de outros, pois isso seria revelar quem é a pessoa por de trás das mensagens, mas adorei-os todos e posso dizer que essa pessoa é o meu personagem favorito, para além do Theo (que é o “irmão” da Jessie – pelo que não é spoiler que ele não é a misteriosa pessoa).
Adorei o espaço em que a história se inseriu: Numa escola de LA, cheia de adolescentes ricos, onde Jessie não se encaixa. É uma ideia cliché: A Rapariga que chega à cidade nova, que tem dificuldade em integrar-se, tanto na escola nova como na casa nova, onde vive a sua madrastra e novo “irmão”. Mas foi uma ideia que calhou muito bem e foi bem desenvolvida, pois a escrita da autora e a forma como se desenrolou a história foi perfeita!
A ideia das mensagens também foi muito divertida, apesar de não ser difícil de adivinhar quem está por de trás delas. Mas o giro é isso, certo? Sabermos quem é enquanto que a protagonista não sabe, o que nos faz ter mil e uma emoções/reações, conforme ela vai tentando descobrir.

Foi um livro que adorei e que recomendo, sem dúvida, a quem leu e gostou de “Tudo, tudo e nós” (Editorial Presença), John Green e Rainbow Rowell, pelo seu estilo de história, claro.
A rezar para que um dia a autora tenha a ideia de escrever um segundo livro, seja uma continuação, ou até mesmo uma história sobre a Dri e um certo rapaz do livro, talvez! Era engraçado, sem dúvida! 😀

A Bela e o Monstro (Novelization) – Elizabeth Rudnick

16298789_1341243665898746_836799103374836157_nTítulo Original: Beauty and the Beast – Novelization 
Publicação: 14-Fevereiro-2017
Editor: Dom Quixote 
ISBN: 9789722061728 
PVP: 12,90€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Um conto tão antigo como o tempo…
Bela quer mais da vida do que a pequena aldeia de Villeneuve tem para oferecer. É uma rapariga diferente das outras pessoas, com as suas próprias ideias, muito independente e cheia de força de vontade, além de adorar livros. Anseia por viagens e aventuras, por uma vida tão emocionante como as histórias que lê.
No entanto, quando o seu querido pai é feito prisioneiro por um monstro, num castelo encantado, o caminho de Bela muda para sempre. Pondo em risco a sua liberdade e o seu futuro, toma o lugar do pai no seu sequestro, com a secreta promessa de fugir.
Mas, quanto mais vai sabendo sobre o monstro e o castelo misterioso, mais Bela se apercebe que talvez a história dele — tal como a sua — seja mais importante do que alguma vez poderia ter imaginado.

Opinião: Não poderia dar menos do que 5 estrelas, como é óbvio. Apesar de nunca ter lido o clássico original (algo que tenho que fazer este ano), adorei esta versão, que é a “novelization” do filme live-action, que chega aos cinemas a 16 de Março deste ano!
Notei que tem algumas diferenças e mudanças quando comparado com o filme animado da Disney, mas não consegui deixar de gostar deste livro, porque por mais mudanças que tenha, o livro continua a ser mágico, continua a ter a verdadeira essência e beleza da história que marcou várias gerações! Este livro alcançou as minhas expectativas. Não superou, pois considero impossível superar as expectativas de que isto seria algo 100% fantástico e lindo.
Considero a tradução bem concebida, apesar de ter achado estranho ver o Gaston e a Belle tratarem-se por “você”, mas isto vem do meu hábito de ver “familiaridade” entre personagens no filme animado. Não me arrependo nada de ter comprado a versão portuguesa, pois a Dom Quixote fez um trabalho excelente, tanto a nível de tradução como de design. Prefiro mil vezes os tamanhos dos nossos livros do que os do Reino Unido, que são praticamente do tamanho de um livro de bolso.

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3

Uma fan art de Beauty and the Beast que adorei e quis partilhar convosco ♥

Há certos pormenores da história, que apesar de serem diferentes da história original que todos conhecemos, encaixaram bem na mesma. Houve imensas coisas que foram explicadas, como por exemplo o porquê de ninguém conhecer o castelo e o que lá aconteceu, sendo que um príncipe é um príncipe e este não passa propriamente despercebido. Também temos acesso ao momento da transformação do monstro, algo que no filme animado é explicado em apenas algumas breves imagens. Uma coisa que me deixou triste foi não terem posto as letras das músicas nas respetivas cenas, porém torna-se compreensível ao mesmo tempo, pois trata-se de um livro afinal e música não é uma coisa que se imagine, em termos de som e instrumental. Porém, depois de ver o filme em Março, este pormenor tornar-se-ia giro.
Também a tensão entre os membros do castelo e o príncipe não passa despercebida e isto é algo que gostei, pois afinal eles estão presos como antiguidades, por culpa do egoísmo e vaidade do soberano deles, certo? O filme animado não mostra o “rancor” que eles sentem por terem sido levados com o monstro para aquela maldição. É verdade que é um filme para crianças, por isso não direi que prefiro uma coisa à outra. Gosto de ambas as versões, mas esta traz muitos pormenores que faltavam e que tornam de certa forma este filme mais indicado para aqueles que seguiram o filme durante a infância e adolescência.
Digo filme, pois se retirarmos a narração, este livro é exatamente o que acontecerá no filme (penso eu), e não podia estar mais entusiasmada! Que venha Março! Que venha toda a magia e música que fizeram do filme animado o meu favorito, tal como farão deste live-action o meu filme favorito de 2017, tenho a certeza!

Ninfas, Paixão Mortal (Nymfit #1) – Sari Luhtanen e Miikko Oikkone [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_Título Original: Nymfit: Montpellierin legenda
Publicação: Fevereiro-2017
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896578695
PVP: 17,76€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 2/5 estrelas

Sinopse: Romance feminino intenso com uma nova abordagem, onde combina vários elementos; amor e mistério. Uma nova temática que se destaca.
Uma história de amor emocionante, onde as escolhas determinam a forma de viver a realidade.
Com uma linguagem envolvente, o livro oferece-nos vários tipos de elementos – paixão, mistério, luta pela sobrevivência, crise de identidade e duelos entre os grupos de ninfas e sátiros.

Opinião: Fico realmente triste de não ter apreciado este livro como esperava. A premissa era realmente interessante, até boa, e o livro seria igualmente bom se fosse bem trabalhado. Talvez o problema esteja nas autoras que decidiram alongar mais o livro, ou talvez seja apenas o facto de que não souberam desenvolver a história de todo.
Comecei a ler, entusiasmada, pois a sinopse agradou-me. As primeiras 100 páginas agradaram-me, mas o resto do livro simplesmente foi ficando mais confuso. Mesmo as primeiras páginas do livro, apesar de agradarem-me, foram também cheias de acontecimentos e falas confusos. Muita coisa neste livro acontecia simplesmente do nada ou para nada. Um personagem dizia algo e o outro respondia vagamente ou de forma confusa. Parece que as autoras decidiram apenas escrever as primeiras palavras que lhes vinham à cabeça. O que me agradou ao inicio foram alguns momentos que decorreram, que foram minimamente claros e com nexo, porém como já disse, este livro foi, num geral, confuso. Ou apressavam as coisas ou deixavam o tempo da história passar lentamente, com acontecimentos que não acrescentam nada.
Uma coisa que não encontrava há muito tempo num livro era uma protagonista irritante e desesperante. Foi “levada” por duas mulheres misteriosas e poucas horas depois está tudo ok? Este livro tem imensas falhas e coisas que não fazem mesmo sentido.
Porém gostei da ideia de ninfas e sátiros, embora mal desenvolvida. Eric, o vilão, chamou-me à atenção ao inicio, mas assim como as duas ninfas iniciais e outros personagens, acabou por ser também mal desenvolvido.

Foi um livro que me deixou com expectativas, pela sua premissa, porém acabou por desiludir bastante, apesar de não ser horrível, pois ainda tem uma cena ou outra que gostei de ler, pelo que decidi dar 2 estrelas, em vez uma.

Last Sacrifice (Vampire Academy #6) – Richelle Mead [Opinião]

8883268Publicação: Dezembro-2010 
Editor: Penguin LCC US
ISBN: 9781595144287
PVP: N/A – Variável de site para site – Compra-o em www.wook.pt
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Rose Hathaway has always played by her own rules. She broke the law when she ran away from St. Vladimir’s Academy with her best friend and last surviving Dragomir princess, Lissa. She broke the law when she fell in love with her gorgeous, off-limits instructor, Dimitri. And she dared to defy Queen Tatiana, leader of the Moroi world, risking her life and reputation to protect generations of dhampir guardians to come.
Now the law has finally caught up with Rose – for a crime she didn’t even commit. She’s in prison for the highest offense imaginable: the assassination of a monarch. She’ll need help from both Dimitri and Adrian to find the one living person who can stall her execution and force the Moroi elite to acknowledge a shocking new candidate for the royal throne: Vasilisa Dragomir.
But the clock on Rose’s life is running out. Rose knows in her heart the world of the dead wants her back…and this time she is truly out of second chances. The big question is, when your whole life is about saving others, who will save you?

Opinião: Que final FANTÁSTICO. Esta série não poderia deixar de ter um final melhor. Não é o melhor livro da série mas está definitivamente no meu top 3 dela! O terceiro é o meu favorito, já agora, por motivos de: Dimitri e Rose ❤

Comecei este livro, a esperar algo mais parado ao início, dado que a Rose estava presa. Ora bem, se a Rose está presa e se só conseguimos ver as coisas na visão da Lissa, dado que estas têm uma ligação e a narração é feita no pov da Rose… o que esperava? Não sei, sinceramente. Esperava tudo, menos isto! É verdade que houve algumas partes um pouco mais paradas, mas desconfio que essas partes serão importantes para a série que se seguirá (Bloodlines que é sobre dois personagens da série VA), então lá decidi não detestá-las e considerá-las desnecessárias.
MAS O DIMITRI… Acho que já disse isto na opinião de Spirit Bound, mas… que saudades que já tinha dele! É verdade que ele aparece em todos os livros, mas por ele ser um Strigoi durante o 5º livro, pouco tivemos dele na grande maioria da história. Mas neste livro, temo-lo humano de novo e melhor que nunca, fazendo-me suspirar e perguntar-me porque não encontro um Dimitri para mim também. hahahaha É mesmo um bom personagem, que gostava que tivesse uma série spin-off ou pelo menos uma prequela sobre ele.
E claro que não posso deixar o Adrian de parte, que é outro personagem que adorei e que tive pena que tivesse menos presente na história, em comparação ao anterior. Mas é um personagem que surgiu (acho que no segundo livro) e que tornou a série muito melhor, sem dúvida! Sem ele, a série seria apenas um 4,9 estrelas em 5 hahahaha Porque o Dimitri faz-me dar as 4,9 estrelas, óbvio. Chega de “fangirlear” (acabei de inventar)!
Relativamente à ação, foi basicamente o que disse já: não esperava muita coisa, mas gostei da forma como a autora desenvolveu tudo, inclusive a altura em que tudo aconteceu. Não sei dizer se era previsível ou não, pois li alguns spoilers durante o tempo em que tinha medo de ler em inglês… como não tinha estes 2 últimos livros traduzidos, quis saber o que acontecia mais para a frente, o que tirou alguma da surpresa mas isso não me fez adorar menos este livro!

Este final foi bastante bom e ao terminá-lo senti um enorme desgosto, pois não verei mais a maioria destes personagens com tanta frequência ou num plano de importância como surgiram nesta série… É pena que tenha terminado, apesar de achar que seis livros é mais que suficiente mas é difícil terminar uma série que tanto gostamos, certo? Terminei o livro e decidi que ainda este ano irei reler os quatro primeiros livros, pois já os li há pelo menos 4 ou 5 anos, além de que não consigo simplesmente largar a série. Fã que é fã, sente sempre um pequeno vazio quando uma série termina (ToG e ACOTAR vão deixar um vazio do tamanho do universo, #facto).

Spirit Bound (Vampire Academy #1) – Richelle Mead [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_5Publicação: Maio-2010
Editor: Penguin Razorbill
ISBN: 9781595142504
PVP: N/A – variável de site para site – compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse (versão pt-br aqui): Dimitri gave Rose the ultimate choice. And she made the wrong one…After a long and heartbreaking journey to Dimitri’s birthplace in Siberia, Rose Hathaway has finally returned to St. Vladimir’s Academy – and to her best friend, Lissa.
But Rose’s heart still aches for Dimitri, and she knows he’s out there, somewhere. She failed to kill him when she had the chance. And now her worst fears are about to come true – Dimitri has tasted her blood, and now he is hunting her.
Only this time, he won’t rest until Rose joins him…forever.

Opinião: Já fazem uns 4 anos ou mais desde que li o 4º volume de Vampire Academy, “Promessa de Sangue” ou “Blood Promise”, editado pela Contraponto. Continuo sem perceber o porquê de terem parado de traduzir estes livros, porque eles são mesmo muito bons e viciantes. “Spirit Bound” (Laços de Espírito – tradução no Brasil) não seria exceção. Porém, com o passar do tempo, fui me esquecendo de imensos pormenores e personagens, ao ponto de só me lembrar dos personagens principais — Rose, Dimitri, Lissa, Christian e Adrian. Foi por ter deixado passar tanto tempo, que me esqueci de muitas coisas, por isso conseguem imaginar a minha dificuldade em entrar na história, sem perceber de onde x ou y acontecimento/personagem veio. Mas apesar desta pequena dificuldade, o livro foi tão bom! Queria tê-lo adorado mais e isto seia possível se não tivesse deixado este intervalo, entre livros, alongar-se tanto. Mas o meu inglês nem sempre foi bom, então só agora tive a “coragem” e capacidade de voltar a pegar nesta série e conclui-la.

Ao lê-lo, percebi a falta que sentia desde mundo, dos seus personagens e do Dimitri… ah Dimitri ♥
Mesmo já não estando numa fase de vampiros, este livro foi absolutamente fantástico para mim, pois mesmo sendo a série intitulada de “Vampire Academy”/”Academia de Vampiros”, a história não é focada nestes seres míticos mas sim nos personagens. Uma pessoa chega a esquecer que isto é de vampiros, sinceramente, o que é um certo alívio porque histórias de vampiros e todo o drama em volta destes passou à história para mim. Vampire Academy é especial para mim pelos seus personagens e drama, não por ser de vampiros.
Foi tão bom voltar a rever vários dos personagens, principalmente o Dimitri, mesmo ele sendo um Strigoi… Vou admitir: as melhores partes do livro eram as que incluíam o Dimitri, apesar de também adorar os momentos com o Adrian! Estes dois tornam esta série ainda melhor, acreditem.

Ao terminar o livro, dei-lhe 4 estrelas, mas é injusto, afinal o livro não tem culpa que eu tenha demorado a assimilar e relembrar tudo de novo, certo? Por isso, acabei por decidir subir a classificação para 5 estrelas, porque não merece menos. Foi um pouco estranho ler certas coisas, pois já não me recordava de tanta coisa, mas foi sem dúvida um plot interessante. Não digo viciante, pois senti falta da Academia de St. Vladimir. Mas foi um livro que adorei e que despertou em mim a vontade de voltar a reler a série desde o início. Quem sabe se não o faço?
A moda de vampiros já passou, eu sei… Mas estes livros são tão, tão bons e recomendo-os totalmente, nem que seja pelo seu romance e pelo Dimitri Belikov (top 5 bookish boyfriend <3). É de “vampiros” mas quase não aborda isso. É um mundo fantástico, viciante, que melhora de livro para livro.

O Erro (Off-Campus #2) – Elle Kennedy [Opinião]

brfedsTítulo Original: The Mistake
Publicação: Junho-2016
Editor: Suma de Letras
ISBN: 9789896650971
PVP: 17,90€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: John Logan, universitário, pode ter as mulheres que quiser. Para esta estrela de hóquei a vida é um desfile de festas e engates. No entanto, por trás do seu sorriso matador e charme descontraído esconde-se um desespero crescente sobre o que terá de enfrentar após terminar o curso. Um encontro escaldante com a caloira Grace Ivers é, de facto, a distração de que ele precisa. Mas, quando um erro impensado a afasta, Logan resolve gastar o seu último ano a provar-lhe que vale a pena uma segunda oportunidade- Agora terá de apostar mais alto… Depois de um ano como caloira, Grace está de volta à Universidade de Briar, mais velha, mais madura. E já não é a borboleta tranquila que era quando se envolveu com John. Se Logan espera que ela implore e rasteje a seus pés como todas as suas outras conquistas, pode esperar sentado. Quere-a de volta? Vai ter que trabalhar por isso. Desta vez é Grace quem vai ao volante… E ela tenciona guiar de forma selvagem.

Opinião: Eu ADOREI “O Pacto“, que é o primeiro livro nesta série, mas “O Erro” é muito melhor sem dúvida, e o meu preferido, principalmente ser o livro “do Logan”, que é até agora o meu personagem masculino favorito deste grupo de jogadores de hóquei. Também Grace é uma personagem divertida e que adorei, apesar de também adorar a Hannah.

Este livro surpreendeu-me um pouco, de certa forma, pois esperei encontrar um padrão idêntico ao livro anterior, mas encontramos uma história “dividida” em duas partes, com um intervalo de tempo de algum tempo, o que torna tudo mais interessante e permite aos personagens evoluir.
Apesar das atitudes de “playboy” de Logan ao inicio, não conseguia não gostar dele. Garrett foi um bom personagem mas não tão bom quanto Logan. Estava tão ansiosa por meter as mãos neste livro, pois já tinha gostado dele em “O Pacto”, então estava mesmo curiosa por conhecer uma história só dele.
Grace é o típico cliché de personagem feminina: insegura, que não sabe como conversar com rapazes e um pouco sonsa ao início, mas gostei dela, principalmente porque ela, como eu, quando fica nervosa, tende a falar demasiado hahahaha Achei-a bastante divertida até.

A história por trás deste romance também é interessante, apesar de algumas decisões por parte de Logan serem… irrealistas. Também aquele típico motivo, que surge no final dos livros para separar temporariamente um casal, foi um pouco exagerado, pois todos temos direito a ter os nossos medos e achei simplesmente exagerada e irrealista a reação de Grace perante o comportamento, totalmente compreensível, de Logan. Excepto estes dois pequenos pormenores, achei o livro excelente. Uma ótima leitura, boa para nos tirar de qualquer ressaca literária. Desde “After – depois da promessa” que não lia algo do género e já sentia alguma falta de ler um bom romance passado durante a faculdade, isto é, do mesmo género, e “O Erro” foi uma excelente escolha, sem dúvida!
É um livro que recomendo, principalmente para fãs deste género, pois tem tudo o que um bom new adult deve ter: personagens cativantes e divertidos, uma história simples mas que nos agarra.

As Trevas de Baltar – Henrique Anders [Opinião]

rPublicação: 10-2016
Editor: Editora Épica
ISBN: 9789899952683
PVP: 14,00€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 2/5 estrelas

Sinopse: EMBARQUE NESTA AVENTURA E DESCUBRA UM MUNDO ONDE TER ESPERANÇA É O MAIOR PECADO E ESTAR VIVO A PIOR DAS MALDIÇÕES.
Os antigos doze Reinos há muito colapsaram e as terras eram agora regidas por um novo soberano que decidiu destruir tudo e todos. Movido por vingança e sede de sangue, Baltar rodeou-se de poderosas forças negras e construiu-se a si mesmo. Sem misericórdia, transformou a fé e a esperança em lamentos e descrença e mergulhou o mundo no mais opaco breu. Porém, os dias e as noites são cheios de segredos e até no meio da escuridão e da secura uma vida pode nascer. Os desígnios dos deuses são misteriosos e Dutsan nasceu com algo especial.

Para protegê-lo, a sua família foi obrigada a fugir e ele cresceu no meio dos Canimatas, uma raça conhecida por não gostar de humanos e a quem chamavam de os guardiões de dragões. O jovem Dutsan terá de enfrentar os seus medos e descobrir as suas próprias verdades. Na companhia dos seus amigos estranhos vai embarcar numa aventura que poderá mudar as suas vidas.

Opinião: Antes de mais, queria agradecer ao autor, Henrique Anders, por ter sido tão simpático em enviar-me este exemplar, em troca de uma opinião honesta.

Este é daqueles livros que tenho mesmo muita pena de não ter apreciado… Este livro é de fantasia épica e como tal esperava encontrar algo que me cativasse, pois não só o seu género como o tema interessaram-me desde o inicio. Porém senti que a história, pertencendo ao género que pertence, poderia ter sido melhor desenvolvida. Não acho que livros de fantasia sejam fáceis de desenvolver em apenas 200 páginas e talvez seja este o ponto que não me fez gostar tanto deste livro como esperava.
No entanto, todo o seu mundo e vilão chamaram-me à atenção, ao inicio, mesmo não sendo tão desenvolvidos. O ponto onde o autor pecou foi sem dúvida a escrita, que apesar de boa (a nível de português), não trouxe “aquela” magia à história como é suposto acontecer em livros de fantasia. Não foi uma escrita que me cativou, assim como os seus personagens, que para mim eram um pouco confusos às vezes. Por isto mesmo, digo que fantasia leva o seu tempo. Não me importaria de ler um livro de 500 ou mais páginas, se me fosse apresentado um mundo bem construído tal como desenvolvido. Haviam imensos pontos que se muito mais desenvolvidos, poderiam ter tornado este livro muito melhor, entre eles o vilão. Gostaria de ter conhecido melhor a história deste. Senti que muita coisa faltava. Mas isto é uma fã de fantasia a falar, que já leu dezenas de livros deste género, pelo que quando pego num livro deste género, espero encontrar algo a um nível bom ou fantástico, não apenas normal.

Mas claro, para quem não leu muitos livros deste género, talvez gostem deste livro, principalmente se gostam do género de Senhor dos Anéis e assim. Comigo não resultou, mas não quer dizer que o livro seja mau e que vocês não gostem. Só sabem, se tentarem 😉