Literatura | “Acordo com o Marquês” (Scandal & Scoundrel #1) de Sarah MacLean — Opinião

9789898869913Título Original: The Rogue Not Taken
Publicação: 2 de Abril de 2018
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869913
Compra-o em: www.wook.pt 
A minha classificação: 4,5 em 5 estrelas

Sinopse: Sophie Talbot é uma jovem nobre que sempre abominou a vida aristocrática. Quando encontra o cunhado a trair a irmã, humilha-o perante toda a sociedade, tornando-se alvo de chacota. A sua única hipótese é fugir, para recomeçar a vida longe daquele mundo que sempre odiou.
Ao fugir, o seu destino cruza-se com o do Marquês de Eversley, mais conhecido por Rei, um homem que tem fama de dissolver noivados e arruinar as damas da sociedade. Apesar de não se suportarem, decidem fazer um acordo. Rei arruinará a imagem de Sophie para que ela se torne inadequada para casar e, dessa forma, possa viver a vida com que sempre sonhou. Já Sophie fingirá ser noiva de Rei, para o ajudar a vingar-se do pai, com quem ele se desentendeu.
Iniciam assim uma viagem até ao castelo do pai de Rei. Só que na carruagem onde seguem há recantos apertados e tentações incontroláveis. E uma viagem que se anunciava aborrecida torna-se tudo menos isso.

Opinião: Há mais de um ano que não lia um livro de Sarah MacLean e que saudades que tive desta autora! Senti falta das suas histórias completamente refrescantes, divertidas, cheias de romance, onde o vicio é garantido. “Acordo com o Marquês” é mais um livro com todas estas caraterísticas que adoro na escrita de Sarah, como seria de esperar. Esta é daquelas autoras cujos livros não preciso de ler para saber que vou adorá-los.

Achei bastante engraçada a ideia de uma personagem que quer fugir da sociedade e que se mete numa aventura, que a mim fez-me rir várias vezes ao longo da história. É normal termos personagens femininas um pouco diferentes das restantes da aristocracia, mas ao meu ver Sophie Talbot é de facto divergente no seu mundo em muitos aspetos. Gostei da história da sua família, de como este subiram de simples pessoas ‘do povo’ para alguém com um título, o que explica a personalidade da nossa protagonista, principalmente na coragem para fazer todas as ‘loucuras’ que vai fazendo ao longo da ação.

Rei, por outro lado, é um personagem em relação ao qual tenho alguns mix-feelings. Se inicialmente adorava-o e via nele uma faceta divertida e descontraída, contrária à típica de protagonistas masculinos deste género literário (não posso-não vou-tenho que ser teimoso), foi a partir de uma certa parte do livro que comecei a ver traços dele que menos me agradaram, sobretudo mais no final. Adorei o Marquês de Eversley, obviamente, mas ao mesmo tempo… houve determinadas atitudes que este teve para com Sophie, no final, das quais não gostei. Mas isto é algo curiosamente positivo, no sentido da escrita: Sarah MacLean consegue sempre envolver-me nas suas histórias e neste livro, tal não foi diferente, pelo que criei facilmente ligações com os seus personagens, ao ponto de ‘franzir o nariz’ a algumas coisas (num modo protetor para com a protagonista haha), como a que mencionei.

Uma autora excelente, como muitos de nós já sabemos, que nos traz mais um ótimo livro, cuja série quero imenso continuar a seguir!

Anúncios

Literatura | “Rapto Escaldante” de Sandra Brown — Opinião

350eTítulo Original: Sting
Publicação: 20 de Fevereiro de 2018
Editora: Quinta Essência
ISBN: 9789897418822
Compra-o em: www.wook.pt  ou em www.leya.pt 
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Num bar fumarento e sombrio do Louisiana, o olhar de Shaw Kinnard cruza-se com o da elegante Jordie Bennet. Mas não se trata de amor à primeira vista. Ele está lá para a matar.
Jordie sente que chegou a sua hora. Mas Shaw tem outros planos, pois sabe que o irmão dela, Josh, deitou indevidamente a mão a 30 milhões de dólares. No último minuto, Shaw poupa a vida de Jordie mas rapta-a. Agora, estão ambos em perigo, pois não são os únicos que procuram Josh e a fortuna roubada.
Jordie e Shaw precisam um do outro para se manterem vivos – mas confiar é baixar as defesas. E se Shaw emana uma aura de perigo que é quase irresistível, Jordie não lhe fica atrás; é misteriosa e impenetrável, e incapaz de revelar o que sente. À medida que o desejo e a tensão entre ambos aumentam, torna-se evidente que terão de fazer o impensável: confiar um no outro.
RAPTADA é uma história de encontros, desencontros e enganos… mas quem está a enganar quem?

Opinião: “Rapto Escaldante” é, como seria de esperar, outro livro ótimo e viciante de Sandra Brown.
Apesar de ter lido poucos livros da autora, adora a sua escrita e as suas histórias. “Sting”, título original, não desiludiu nem um pouco, mesmo sendo um dos livros com pontuação mais baixa no goodreads (esta acaba sempre por ser uma referência importante para mim na escolha de uma leitura), quando comparado com as outras obras já publicadas em Portugal.

Shaw é alguém que surpreende, quando é relevada a sua história. Para mim, foi um tanto previsível, no entanto, mas vão por mim: não sou a regra. Para minha ‘infelicidade’, parece que prevejo muitas vezes estas revelações (haha).
Jordie é que acabou por ser o maior mistério, uma vez que não conseguia perceber se de facto ela era apenas a pessoa que mostrava ser ou se era mais do que mostrava.

O tema da história é cativante, prendendo-nos desde as primeiras páginas. A minha principal curiosidade foi, sem dúvida, perceber como é seria possível desenvolver-se um romance entre um raptor e a sua refém, até certo ponto. Gostei bastante de toda a ação que sucedeu em torno desta parte da história.
Apenas a questão do dinheiro é confusa, mais para o fim. Sem mencionar spoilers, o final é um pouco aberto, ao meu ver, e um pouco diferente do que esperava mas não deixa de ser um final satisfatório.

Em suma, é um thriller intrigante, com o típico romance que Sandra Brown desenvolve nos seus livros, algo que eu tanto adoro. É um livro que não pode faltar na estante de qualquer fã desta autora!

Uma leitura com o apoio deQuintaE

Literatura | “Ariadnis” (Erthe #1) de Josh Martin — Opinião

9789898869623Título Original: Ariadnis
Publicação: Novembro de 2017
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869623
PVP: 17,69€ — Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Nós viemos depois do cometa.
Nós sobrevivemos à grande onda.
Nós somos as escolhidas.
Depois de o mundo antigo ter desaparecido, restou apenas uma ilha. Os seus habitantes formaram duas cidades, separadas por Ariadnis, uma terra divina. Mas as diferenças entre os povos de Metis e Athenas rapidamente os conduziram à guerra.

Perturbado por este conflito, o ser divino de Ariadnis decreta que em cada uma das cidades nascerá um Escolhido. Dotados de poderes especiais, os dois Escolhidos irão confrontar-se no dia do seu décimo oitavo aniversário, num desafio mortal e misterioso que decidirá qual o povo mais digno de habitar a ilha.

Aula e Joomia são as Escolhidas e resta-lhes apenas um ano até ao dia do grande confronto. Ambas preferiam ter uma vida normal, mas os seus destinos estão traçados, e nesta jornada não há espaço para a amizade nem tempo para o amor.
Só uma reclamará o prémio final de Ariadnis.

Opinião: Começo por falar da capa, que é, indubitavelmente, uma das capas mais bonitas que já vi em toda a minha vida. Destaca-se facilmente nas estantes das livrarias e foi principalmente ela que despertou em mim esta enorme curiosidade que sentia em ler “Ariadnis”.
Neste caso, podem de facto julgar o livro pela capa, pois tal como a capa é lindíssima, também o que encontramos no interior é belo e distinto de muitos livros deste género que li, sobretudo pelo seu mundo e final da história!

Gostaria que tivesse existido um pouco mais de romance e tal ponto influencia-me imenso na classificação de um livro. Excepto este pormenor, não posso dizer outra coisa além de “Adorei!”. Página atrás de página, devorei este livro em horas, sem qualquer interrupção. Foram as várias revelações que são feitas ao longo da história, assim como os dois pontos de vista, de Aula e Joomia, que me prenderam por completo ao livro.
Inicialmente, não tinha uma escolhida preferida mas juntas formam uma dupla que nos conquista num abrir e fechar de olhos. Taurus foi outro personagem que adorei e cuja relação com Aula gostei imenso de seguir, mesmo que por pouco tempo.
Ao terminar esta leitura, dei por mim a querer mais deste mundo, mais destes personagens. O final é belo de alguma forma, diferente e elevou ao máximo o meu interesse em saber o que se segue no próximo livro, que será lançado, em inglês, em Fevereiro.

Josh Martin estreia-se com um livro original e primoroso, com um mundo e personagens memoráveis. Fãs de sagas como The Hunger Games e Divergente irão, de certeza, gostar desta história tão facilmente como eu gostei!

Literatura | Novidades de 11 a 17 de Outubro — 2017

Dia 11

22046098_1624478194241957_2471165114858968800_n

Dia 12

Dia 16

Dia 17