Empurrado para o Pecado (Hard Love Romance #2) – Monica James [Opinião]

16387257_1341197885903324_3588150522708509238_nTítulo Original: Wicked Dix
Publicação: 03-2017 
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896579050
PVP: 17,95€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 3/5 estrelas

[Esta opinião contém spoiler, que estará assinalado a vermelho e negrito!]

Sinopse: O livro começa onde o anterior nos deixou, com Dixon a tentar fugir das garras de Juliet, e a manter o relacionamento crescente com a inocente Maddy. Mas o que não esperava era ter de percorrer um caminho tortuoso para afastar a vil Juliet da sua vida. Um homem entre duas mulheres opostas.

O final da arrepiante história erótica e de suspense e uma grande história de amor e redenção.

Opinião: Depois do primeiro livro, que acaba com Juliet a fazer chantagem com Dixon, enquanto que este tenta conseguir o seu “final feliz” que tanto quer com Maddy, chega então o segundo e último livro desta série! Não sei de onde tirei a ideia de que este seria mais um na série, mas acabei por perceber que este era mesmo o final, o que me agradou, porque sinceramente acho que mais do que dois livros tornar-se-ia um pouco enjoativo… Digamos que a autora escolheu bem ao decidir escrever só uma duologia, pois é mais do que suficiente para contar a história deste psiquiatra viciado no pecado.

Não notei muita evolução em termos de personagens, para além de Juliet, que apesar de tudo, me fez sentir alguma pena dela. O primeiro livro foi sem dúvida melhor e este segundo veio servir de epílogo (um longo epílogo) ao livro anterior, na minha opinião. Não achei que fosse necessário, mas mesmo assim gostei do livro. Foi uma história divertida, principalmente mais para o final. Sinto que a questão, sobre a qual o livro ronda, “Contar à Maddy a verdade ou ceder à chantagem da Juliet?” poderia ter sido melhor desenvolvida, em termos de ação e dramatização. A forma como a autora decidiu desenvolvê-la faz com que o leitor sinta que afinal não é nada demais e que esta poderia ser facilmente resolvida, sendo que o passado é o passado, considerando a atitude de Madison que não demonstra fazer um enorme escândalo face ao facto de Dixon ter um historial não muito positivo em termos de vida sexual/amorosa. Porém um livro é um livro, então há que pôr os personagens a dificultar um pouco as coisas, não é? haha

O que me fez gostar deste livro foram, sem dúvida, os jogos que Dixon fazia com a Juliet e o final da história em si. Quanto a esta primeira parte… SPOILER Confesso que certa parte de mim quis que houvesse uma reviravolta e que Dixon acabasse com a vilã e não com a doce e inocente Maddy. Quanto ao final: Foi bastante previsível, mas não deixou de ser engraçado e um clichê que me fez gostar um pouco mais deste livro.

Em suma, não é das melhores séries eróticas que já li (não que tenha lido muitas, na verdade), mas é uma boa duologia, com uma leitura fácil e divertida, que entreterá qualquer um, principalmente fãs deste género! 🙂

Uma leitura com o apoio de500_9789892336435_confia_em_mim

A Bela e o Monstro – Jeanne-Marie Leprince de Beaumont [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Beauty and the Beast
Publicação: Março-2017
Editor: Porto Editora
ISBN: 9789720717795
PVP: 13,30€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5

Sinopse: “Quem feio ama, bonito lhe parece” poderia ser o título desta história de amores, medos e maravilhosas transformações, à qual é impossível ficar indiferente.

No início, Bela vê o Monstro apenas como uma criatura disforme e teimosa. Mas, com o decorrer do tempo, ambos irão descobrir que, por vezes, as aparências iludem…

A Coleção Reino das Letras nasce da vontade de aliar a magia das melhores histórias de todos os tempos à leitura sempre renovada que delas podemos fazer. No Reino das Letras, o rei chama-se Sonho e a rainha Imaginação!

Opinião: Não é surpresa nenhuma que dê classificação máxima a este livrinho, certo? Afinal é “Bela e o Monstro”, a minha história infantil favorita de sempre. Pelo menos a versão da Disney. Não me lembro de alguma vez ter lido a versão original, publicada desde sempre, cá em Portugal, pela Porto Editora. Tinha certo receio de não gostar, por ser um conto breve, com algumas diferenças em relação ao filme adaptado da Disney. Mas acabei por adorar!
É verdade que esta história está escrita para crianças, mas porque não pode um adulto ler? E esta coleção, do Reino de Letras, está lindíssima! Quanto a este livro em particular, adorei as suas ilustrações e esta nova edição maior, de capa dura e almofadada que a Porto Editora lançou este ano. É simplesmente tão bom ler esta história tão bela e apaixonante enquanto se é acompanhado por todas as ilustrações ao longo das páginas.
Quanto às diferenças: foi estranho ao inicio, pois estou habituada à versão da Disney, mas também esta história, que é a original, é linda, apesar de um pouco mais curta e infantil, o que é normal, pois é mesmo um livro escrito e publicado para os mais novos. Mas quantos não são os adultos que ainda hoje gostam, de de vez em quando, ler um livro assim curto mas sem drama, com aquela magia que nos faz reviver a infância?
Nesta versão original, Bela tem duas irmãs, não sendo filha única como acontece na história da Disney. Também outros pormenores são diferentes mas a história não deixa de me encantar e de ser bela, mesmo assim.

É um livrinho de poucas páginas, mas encantará pessoas de todas as idades, quer seja para ler aos seus filhos/sobrinhos/netos ou para si mesmos, como é o meu caso. Adorei este livrinho, principalmente nesta edição que está fantástica e muito bem produzida! E olhem-me para esta capa lindíssima! Não dá vontade de o ter na estante só pelo seu design?

Uma leitura com o apoio degrupo_porto_editora_novo

Antes de Vos Deixar – Lauren Oliver [Opinião]

16298785_1341243275898785_7987910559609867914_nTítulo Original: Before I Fall 
Publicação: 03-2017 (reedição) 
Editor: Editorial Presença 
ISBN: 9789722360074 
PVP: 18,60€ – Compra-o em www.levo.pt ou www.wook.pt
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Samantha Kingston tem tudo: o namorado com quem sonhava há anos, três grandes amigas e todos os privilégios que a sua simpatia lhe pode oferecer. Sexta-feira, 12 de Fevereiro, devia ter sido um dia igual a tantos outros. Nada faria suspeitar que seria o último… Inesperadamente, é-lhe concedida uma segunda oportunidade. Ou melhor, são-lhe concedidas sete oportunidades. Durante uma semana, Samantha revive o último dia da sua vida, tentando perceber os mistérios que envolvem a sua morte – o que pode ou não mudar e até onde seria capaz de ir para se salvar -, descobrindo o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

Um romance intenso e cativante com adaptação cinematográfica de Ry Russo-Young e com Zoye Deutch, Elena Kampouris e Jennifer Beals nos principais papéis.

Opinião: Sempre quis ler este livro, pois a premissa chamava-me imenso à atenção, e o filme veio incentivar-me, sem dúvida. Mas comparada à história e tudo o que encontrei neste livro, a premissa está longe de revelar o quão fantástico é este livro. É um ótimo tema, que nos cativa, mas foi quando comecei a ler que comecei realmente a sentir-me agarrada a este livro e à vida de Samantha Kingston.
Um ponto que adorei neste livro foi sem dúvida a decisão da autora em pôr a protagonista nesta situação de reviver o mesmo dia repetidas vezes. De inicio, achei que poderia tornar-se aborrecido, mas acabou por revelar-se bastante divertido e viciante. Mal estava a meio de um dia e já sentia a curiosidade de saber o que mudaria no dia seguinte. Desde sempre que me interesso sobre esta questão: “Como pode uma simples ou pequena ação da nossa parte vir a alterar o futuro, meu ou de outros?”. Cada dia acabou por ser divertido e viciante, como já disse. Houve sempre momentos repetitivos, porque era mesmo esse o objetivo: A protagonista manter ou alterar algo no dia seguinte, até conseguir alcançar o dia ideal para pôr fim aquele ciclo repetitivo. O meu dia favorito foi sem dúvida o 4º por vários motivos. Foi neste que a protagonista começou a perceber que poderia jogar com aquele dia da forma como quisesse, já que acabaria por morrer à 00h39 e viria a viver de novo o dia dos namorados.
Todos os personagens tiveram algum papel a desempenhar nesta história e adorei-os a todos. Adorei conhecer Kent e Lindsay, que foram para mim personagens muito bem desenvolvidos e aos quais me senti ligada.

Este livro é mais do que a sinopse transmite ser. É um livro com uma pequena lição, com personagens divertidos e marcantes. Com dias divertidos, que nos agarram ao ponto de não conseguirmos largar o livro. Cada dia é único e nada aborrecido, ao contrário do que pode-se pensar inicialmente.
Como já vi o filme, posso afirmar que gosto muito mais do livro, claro, pois existem imensas coisas que são melhores explicadas nele, inclusive os dias acabam por ser melhores e viciantes.
É um dos meus livros favoritos do ano, até agora, e uma história que recomendo ser lida por pessoas de todas as idades, pois apesar de ser uma história de uma adolescente, é um romance extremamente interessante e cativante. É um livro que vale a pena ser lido e que não pode faltar na vossa lista de livros lidos!

Para mais informações sobre o livro Antes de Vos Deixar, clica aqui!

Uma leitura com o apoio de13866769_821828817951392_862605751_n

A Minha História com o Bob – James Bowen [Opinião]

30843039Título Original: A Street Cat Named Bob
Publicação: 05-2016 (reimpressão) 
Editor: Porto Editora  
ISBN: 9789720045829 
PVP: 16,60€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 4/5

Sinopse: Quando James Bowen encontra um gato alaranjado no prédio onde vive, não faz ideia do quanto a sua vida irá mudar. Lutando por sobreviver como músico de rua na cidade de Londres, a última coisa de que precisa é um animal de estimação. No entanto, incapaz de resistir ao animal doente, acolhe-o em sua casa. Quando Bob recupera a saúde, James deixa-o à porta do prédio, imaginando que nunca mais o voltará a ver. Todavia, Bob tinha outros planos. Dentro de pouco tempo, os dois tornam-se inseparáveis e as muitas aventuras que irão viver transformarão para sempre as suas vidas, curando lentamente as cicatrizes do passado atribulado de ambos.
Esta é a história de uma amizade improvável e de como um gato vadio irá ajudar um homem a recuperar a sua autoestima e dar-lhe uma nova esperança quando o resto do mundo lhe parecia ter fechado as portas.

Opinião: Há anos que não lia um livro deste género e como foi ótima esta leitura… É uma história leve mas bonita, sem dúvida. O facto de saber que tudo o que aconteceu é real e não é apenas fição, dá um toque triste mas ainda assim lindo ao que este homem e o seu gato viveram.
Não é dos meus géneros literários favoritos, por isso comecei o livro em Novembro do ano passado mas só voltei a pegar nele este mês. É daqueles livros que ou pegamos e o lemos de uma só vez ou então vamos demorar imenso a ler porque nem todos os capítulos são cativantes, nem tudo é perfeito. Mas lá está, não é o meu género favorito, mas eu achei o gatinho tão fofo e fiquei tão curiosa com a sua história, que decidi que seria este mês que iria terminá-lo!

Como disse, a história é bonita mas triste ao mesmo tempo. Esta acaba por não ser apenas a história de um gato mas também do seu dono, neste caso do autor do livro. É a história de como um pequeno animal veio revolucionar e mudar a vida de um homem que parecia estar perdido. É uma história bonita exatamente por isso. Mas é triste também porque sabemos que tudo aquilo aconteceu, desde cantar na rua, viver sem quase nada, não ter nada nem ninguém. É extremamente interessante ver como um bichinho conseguiu mudar a vida de uma pessoa, tal como é engraçado que um gato torne-se tão domesticado após viver nas ruas.
Achei piada a episódios como o gato a fazer necessidades na sanita (hahaha) ou das várias partes em que James contava momentos entre o Bob e pessoas que passavam na rua e que ajudavam. Uma das minhas partes favoritas é sem dúvida a de quando o Bob foge, pelo James não pensa duas vezes em largar a guitarra e socorrer o seu fiel amigo. É bonito ver como uma pessoa, que quase nada tem na vida, excepto a sua guitarra (antes do gato aparecer) e mesmo assim saber valorizar e perceber o que é mais importante para ele.

Não há muito a falar, pois é um livro pequenino, mas é um livro que gostei. Não dou as 5 estrelas porque sinto que não foi tão bom como outros livros que já li deste género, mas é sem dúvida um livro bom, que todos deveriam ler, pelo gato, pela história em si. A escrita em si é simples e não tem nada de mais. É apenas uma história escrita como se fosse um diário mas que não deixa de ser menos interessante e bonita por isso.

Espero por ti (Wait for you #1) – Jennifer Armintrout [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Wait for you 
Publicação: Janeiro-2013 
Editor: 5 sentidos 
ISBN: 9789720046277 
PVP: 16,60€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: Candidatar-se a uma faculdade a centenas de quilómetros de casa foi a única forma que Avery Morgansten, de dezanove anos, encontrou para fugir ao acontecimento fatídico que, cinco anos antes, mudara a sua vida para sempre. No entanto, quando se cruza com Cameron Hamilton, um colega mais velho, com um metro e oitenta de altura e uns olhos capazes de derreter qualquer uma, o seu mundo estilhaça-se por completo. Envolver-se com ele é perigoso, mas ignorar a tensão entre os dois parece impossível.
Até onde estará Avery disposta a ir e o que fará para esquecer o passado e viver aquela relação intensa e apaixonada, que ameaça ruir todas as suas certezas e dar-lhe a conhecer um mundo de sensações que julgava estarem-lhe negadas para sempre?

Opinião: Às vezes quando se está numa ressaca literária ou a entrar nesta, o melhor é ler um YA ou New-Adult (não sou a melhor pessoa para perceber de quais estes géneros é este livro). São histórias simples, bonitas e que me prendem ao livro facilmente, na sua maioria, e este livro não foi exceção.
Não é o primeiro livro que leio da autora (li anteriormente os 4 primeiros livros da série Lux: Obsidian, Onyx, Opal, Origin – Já com opinião no blogue), pelo que não me surpreende que tenha adorado este livro. Foi estranha a sensação, ao início, ao perceber que este livro nada teria de fantasia ou sobrenatural, mas logo habituei-me e dei por mim sem conseguir parar de ler.
Cam e Avery são ambos personagens com personalidades já encontradas em outros livros. Ele é engraçado, muda por a protagonista e acaba por se apaixonar por esta. Ela passou por algo negativo no passado, apaixona-se pelo “mulherengo” da escola/universidade mas é forte e consegue afetar o protagonista. É cliché, nada de novo. Mas esta autora tem algo de especial na forma como cria a história ao ponto de tornar este cliché em algo bom, único e marcante. Estranha esta minha explicação, eu sei.
Podemos ter um livro cheio de clichés… Afinal, quem não gosta de um bom e velho cliché? O que torna aquele livro bom e especial de alguma forma é a escrita da autora e a forma como ela decide inserir esses clichés na história de forma a que esta não fique tão aborrecida ao ponto de nos fazer revirar os olhos vezes sem conta.

Por isso sim, Jennifer Armintrout conseguiu mais uma vez transformar o que podia ser “mais um livro” em algo mais. Adorei os seus personagens, a sua história e todo o drama por trás. Não dou 5 estrelas porque senti falta de algo… talvez tenha sido a presença do “vilão” ou outra coisa. Mas foi um livro que gostei mesmo muito e que recomendo, para fãs da autora, de um bom cliché ou deste género literário. Os fãs de Colleen Hoover, como eu, vão adorar este livro, sem dúvida!

Leituras de Fevereiro [2017] – Wrap-up

É oficial: estou numa ressaca literária, em que não sei o que ler. Mas pelo menos Janeiro e Fevereiro foram ambos meses bons em termos de leituras para compensar a desgraça que está a ser Março… 

Mas falando de Fevereiro. 10 livrinhos lidos! Adorei a maioria deles, apesar de uma ou outra desilusão:

“A Bela e o Monstro” foi o meu livro favorito, por motivos óbvios… *fangirling* hahahaha Mas adorei os últimos livros de Academia de Vampiros e o livro de Julie Buxbaum!

Já leram algum destes livros? E quais destes gostariam de ler? 😉

Na Sombra da Noite (A Irmandade da Adaga Negra #1) – J.R. Ward [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Dark lover
Publicação: 06-2009
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724619088
PVP: 21,90€ – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 3/5 estrelas

Sinopse: Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual – seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra.
Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado – deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino – Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos.
Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.

Opinião: Finalmente estou a conseguir colocar as opiniões atrasadas em dia… E hoje venho falar do primeiro livro desta GIGANTE (um exagero, na minha opinião) série escrita por J.R. Ward, que envolve vampiros. Para ser sincera, decidi começar a lê-la (ou pelo menos os quatro primeiros livros, por agora) apenas porque uma das minhas escritoras favoritas, a Sarah J. Maas, diz adorar esta série tal como afirma que ACOMAF tem muitos pontos retirados/inspirados desta série… Por isso, lá decidi dar uma segunda oportunidade a esta autora, apesar de não ser muito fã da sua escrita (li anteriormente “Diz-me Quem és”, que tem opinião no blogue!). Depois de ler quase metade deste primeiro livro (que levei quase quatro dias para ler), decidi ler o resto em inglês e então percebi… Talvez a culpa não seja da autora e sim da tradução, pois a parte que li na língua original foi simplesmente fantástica. Acho que nisto, a Leya pecava até há uns anos: nas suas traduções. A história traduzida torna-se… cansativa, principalmente em cenas com sexo, palavrões ou outras cenas deste género. Não gosto das expressões que decidem usar, simplesmente. ISTO foi o principal factor que me fez dar 3 estrelas. Mas outro ponto, que é o ridículo do ridículo: Mr. X ou Senhor X. QUE HORROR de vilão… Se é que se pode chamar de vilão a este ser sem nexo e completamente aborrecido. Honestamente? Após metade do livro, decidi saltar todos os capítulos que seguiam só os acontecimentos com este “vilão”, porque tornavam a leitura mais lenta/cansativa.

Mas excepto estes dois pontos, que são “defeitos” graves, na minha opinião, gostei do livro. Sou sincera: Não esperei gostar. Comecei a ler o livro com algumas expectativas, mas mais para o lado negativo. Acabei por ser um pouco surpreendida, apesar deste enjoou de livros sobre o sobrenatural. Todo o tema de “parceiros” e o mundo acabou por revelar-se interessante. Senti alguma “vibe” de Sherrilyn Kenyon, quanto ao romance e à forma como se desenvolve e tudo mais. Se gostam do tipo de romance de Predador da Noite, então certamente que irão gostar do romance nesta série de J.R. Ward! Este é, sem dúvida, um livro que me deixou com muitos mix feelings. Mas sinto-me mais inclinada a considerar este um livro razoável do que “bom”, ao ponto de não saber se o recomendaria. Dizem que melhora de livro para livro e por isso vou dar uma oportunidade à série. Além disso, já tenho os próximos quatro livros (que é até onde pretendo ler. Depois decido se quero mesmo continuar), pois o 3º livro é inspirado em Beauty and The Beast e eu não consigo resistir a re-tellings e livros inspirados no meu filme favorito da Disney hahahahaha E obviamente que não posso ler o 3º sem ler o 2º!

Esta opinião acaba por não ser tão positiva e a favor do livro/inicio desta série, mas espero que isto mude com os próximos livros! Se recomendo? Não sei… Talvez. Depende muito de pessoa para pessoa. Mas fãs de Sherrilyn Kenyon, e até mesmo de outros livros de J.R. Ward, certamente que gostarão desta série. Recomendo que leiam, pelo menos este primeiro livro, em inglês (se de facto souberem inglês). Gosto de pôr as editoras nacionais em primeiro e de apoiá-las, mas de facto a tradução deste livro está… abaixo do razoável.

O Universo nos Teus Olhos – Jennifer Niven [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Holding Up the Universe
Publicação: 01-Março-2016
Editor: Nuvem de Tinta (Penguin Random House)
ISBN: 9789896652005
PVP: 16,50€ – Compra em www.wook.pt
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: Libby, outrora a rapariga mais gorda da América, conseguiu finalmente ultrapassar o desgosto causado pela morte da mãe e está pronta para voltar a viver.
Jack é o típico rapaz popular do liceu, no entanto tem prosopagnosia e não consegue reconhecer caras.
Quando o destino os une a solidão que cada um sente dá lugar a sentimentos muito diferentes… Uma história de superação e de um amor verdadeiro e invulgar que nos devolve a esperança no mundo, em nós e no outro.

Opinião: Tinha dado como garantido que nunca mais leria nenhum livro desta autora, por não ter gostado de “Fala-me de um dia perfeito”, mas este novo livro cativou-me tanto pela sua premissa (e capa, claro), que não resisti. Lá peguei nele e o resultado? Adorei! E agora sinto que devo dar uma segunda oportunidade ao outro livro da autora, pois ler um livro durante uma reading slump (demorei um mês a lê-lo para terem noção), dá nisto de “ler mal” um livro. Talvez o livro não seja mesmo bom, mas sinto que merece uma segunda oportunidade e quem sabe acabe por gostar dele.

Mas hoje estou aqui para falar de “O Universo nos Teus Olhos”. Este livro agarrou-me de uma forma inexplicável. É uma história simples, mas bonita, cheia de personagens únicos e cheios de carácter. Jack foi, obviamente, o meu preferido. Tenho qualquer coisa com personagens masculinos pois sempre que há uma versão destes, geralmente acabo sempre por preferi-los às protagonistas. Jack sofre de um problema chamado “prosopagnosia”, problema este que achei interessante ver explorado nesta história. Primeiro, porque não o conhecia e sou sempre curiosa por conhecer mais do “mundo”. Segundo, porque é interessante (e triste) ver o modo como a pessoa, que sofre de prosopagnosia, leva a vida.
Libby, por outro lado, sofre de obesidade, embora já tenha perdido peso, mas isso não evita que seja vitima de bullying ao regressar às escola. E é isto que gosto na escrita da autora: a forma como ela decide que os seus personagens vão lidar com estes dois problemas. Esta história pode ser, acima de tudo, uma mensagem e exemplo, pois quantas pessoas, pelo mundo fora, não sofrem de bullying, seja qual for o problema que tenham? Libby é uma personagem forte, corajosa, destemida (é praticamente tudo a mesma coisa), e acho que pode ser um modelo, um “role model” para todas as raparigas, mesmo para quem não é obeso e é vitima de bullying por outra razão.

O final não era algo que esperava, sinceramente, depois de ler o outro livro da autora. A história desenvolve-se bem, sem quaisquer momentos aborrecidos. Gostei mesmo muito deste livro e dos seus personagens. Gostei principalmente da forma como a autora põe numa história problemas tão complexos e como consegue criar personagens tão bons. Como disse, é uma história simples, mas ao mesmo tempo linda, pela mensagem e por tudo o que acontece.

Uma leitura com o apoio de16388163_1258117797607780_4753655202667416021_n

Jogador Irresistível (Beautiful Bastard #3) – Christina Lauren

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_Título Original: Beautiful Player 
Publicação: Fevereiro-2017 
Editor: Marcador 
ISBN: 9789897540479 
PVP: 17,50€ – Compra em www.levo.pt ou em www.wook.pt 
A minha classificação: 4/5 estrelas

Sinopse: Uma Leitora Compulsiva que é uma Bomba. Um casanova incorrigível. E uma Lição de química demasiado escandalosa para ser ensinada na escola.
Quando Hanna Bergstrom ouve um raspanete do irmão superprotector, por estar a negligenciar a sua vida social para se dedicar apenas aos estudos, decide aceitar o desafio implícito que ele lhe lança: sair, fazer novos amigos, namorar… E quem melhor para a transformar na mulher fatal, que todos os homens irão desejar, do que o melhor amigo do irmão, Will Sumner, investidor de risco, sedutor, bonito e playboy sem cura?
Will corre riscos na profissão, mas tem reservas quanto ao desafio de Hanna… Até que, numa noite louca, a sua inocente mas sedutora aluna o leva para a cama – e lhe ensina uma ou duas coisas sobre como estar como uma mulher que ele não conseguirá esquecer. Quando Hanna descobre o seu próprio poder de sedução, é a vez de Will provar que é o único homem que ela precisa.
No terceiro livro da série Irresistível, um acordo entre um investidor de risco e uma grande apreciadora de livros transforma-se rapidamente numa versão pouco recomendável de My Fair Lady.

Opinião: Li “Cretino Irresistível” há alguns meses e gostei. Apenas isso. Não foi um livro que me agradou a 100%. Confesso: Li-o pela capa e por todo o “hype” que havia no Brasil, porque sejamos sinceros/as: As capas são bastante bonitas! E dos três livros já traduzidos em Portugal, a capa deste terceiro livro é, sem dúvida, a minha preferida! Adoro o rosa a contrastar com o preto e branco do modelo da capa! Este foi, obviamente, um dos motivos que me levou a querer ler este livro, mesmo não tendo gostado assim tanto, quanto esperava, do primeiro. Para além disso, a sinopse e premissa cativaram-me logo à primeira vista (ou leitura, aliás).

O resultado? “Jogador Irresistível” ultrapassa o primeiro livro da série, não só na capa, como também na história e no seu desenvolvimento. Gostei muito mais da forma como tudo se desenvolveu, tanto a nível de romance como de evolução dos personagens.
Adorei conhecer o Will, que é um tipo de “playboy” mais honesto, que define as suas relações, sem deixar-se envolve emocionalmente. Mas então ele conhece a Hanna. Adorei ver a mudança e evolução deste personagem masculino, a forma como ele aje com a protagonista, sem deixar de ser ele mesmo. Muda a nível de “hábitos”, mas sem mudar quem ele é: Um homem cativante, divertido e honesto. Gostei realmente dele, mais do que o Bennet. Acho que faz sentido comparar, sendo que isto é uma série, certo?
Mas a minha personagem (do livro e da série, até agora) preferida é a Hanna, sem dúvida. É divertida pelo facto de ser demasiado direta e honesta, sem se conter. Fartei-me de rir com a forma de ser dela, que falava as coisas como elas são, sem rodeios. As trocas de mensagens foram uma das partes de que mais gostei neste livro, principalmente as piadas sem piada (mas mesmo assim ri-me, pelo absurdo de alguém as ter inventado) que Hanna contou a Will.

O romance não fica-se só pelo erótico e realmente adorei isto neste livro. Os personagens não se vêem e decidem logo saltar para cima um do outro, como acontece em muitos eróticos (e como aconteceu no primeiro livro desta série). Há um desenvolvimento razoável, afinal este livro é mesmo um romance-erótico, pelo que é compreensível que não tenha um desenvolvimento romântico durante a maior parte do livro, para só no final haver um beijo. Gostei mesmo assim.
Foi uma história muito divertida, com personagens igualmente divertidos e que recomendo, mesmo para aqueles que não ficaram tão convencidos com o primeiro livro.

Para mais informações do livro Jogador Irresistível, clica aqui.

Uma leitura com o apoio demarcador_logotipo

Conta-me Três Coisas – Julie Buxbaum [Opinião]

51qiucgl8hl-_sy344_bo1204203200_3Título Original: Tell Me Three Things
Publicação: 20-Fevereiro-2017
Editor: Topseller
ISBN: 9789898855343
PVP: 17,69 – Compra-o em www.wook.pt 
A minha classificação: 5/5 estrelas

Sinopse: E se a pessoa de que mais precisas for alguém que não conheces?
Passaram apenas dois anos desde a morte da sua mãe e o seu pai volta a casar-se com uma mulher que conheceu online. Jessie é então forçada a mudar-se para a outra ponta do país, para morar com a madrasta e o seu pretensioso filho adolescente, aparentemente passado da cabeça.
Para Jessie tudo parece errado: sente-se uma estranha naquela casa enorme e fria, tem saudades da sua melhor (e única) amiga. A escola é uma selva autêntica, onde é vítima de bullying. Mas é então que recebe um e-mail de alguém que não conhece, nem se quer deixar conhecer, disponibilizando-lhe apenas a sua amizade virtual.
O que Jessie não espera é que será este e-mail a mudar a sua vida para sempre.
Esta é uma história memorável, que não deixa ninguém indiferente. Um misto de comédia e tragédia, amor e perda, dor e alegria.

Opinião: Que livro FANTÁSTICO. Este foi mesmo um livro que adorei, da primeira página à última. Senti-me agarrada a toda esta história, ao ponto de querer devorá-la num dia e ao mesmo tempo queria que ela durasse. É normal isto? Há imenso tempo que não me sentia tão “apaixonada” por uma história e pela escrita de uma autora, e talvez seja por isto que não queria que o livro acabasse. Seria tão bom se a autora decidisse escrever um segundo livro! Eu, de certeza, que o leria e iria adorar, como é óbvio!

Os personagens são logo a primeira coisa que me cativou mais neste livro. Ethan, Jessie, Dri, Liam, Theo, são os personagens que mais gostei. Achei-os bem construídos e desenvolvidos ao nível certo. Não posso propriamente falar melhor de um destes personagens masculinos ou de outros, pois isso seria revelar quem é a pessoa por de trás das mensagens, mas adorei-os todos e posso dizer que essa pessoa é o meu personagem favorito, para além do Theo (que é o “irmão” da Jessie – pelo que não é spoiler que ele não é a misteriosa pessoa).
Adorei o espaço em que a história se inseriu: Numa escola de LA, cheia de adolescentes ricos, onde Jessie não se encaixa. É uma ideia cliché: A Rapariga que chega à cidade nova, que tem dificuldade em integrar-se, tanto na escola nova como na casa nova, onde vive a sua madrastra e novo “irmão”. Mas foi uma ideia que calhou muito bem e foi bem desenvolvida, pois a escrita da autora e a forma como se desenrolou a história foi perfeita!
A ideia das mensagens também foi muito divertida, apesar de não ser difícil de adivinhar quem está por de trás delas. Mas o giro é isso, certo? Sabermos quem é enquanto que a protagonista não sabe, o que nos faz ter mil e uma emoções/reações, conforme ela vai tentando descobrir.

Foi um livro que adorei e que recomendo, sem dúvida, a quem leu e gostou de “Tudo, tudo e nós” (Editorial Presença), John Green e Rainbow Rowell, pelo seu estilo de história, claro.
A rezar para que um dia a autora tenha a ideia de escrever um segundo livro, seja uma continuação, ou até mesmo uma história sobre a Dri e um certo rapaz do livro, talvez! Era engraçado, sem dúvida! 😀