Literatura | “Fahrenheit 451” de Ray Brandbury — Opinião

Título Original: Fahrenheit 451
Publicação: Maio de 2018
Editora: Saída de Emergência
ISBN: 9789897731068
Compra-o em: www.wook.pt | www.saidadeemergencia.com 
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Como uma mensagem mais relevante do que nunca, venha descobrir o clássico profético de Ray Bradbury sobre o poder da resistência à tirania política.

Guy Montag é um bombeiro. O seu emprego consiste em destruir livros proibidos e as casas onde esses livros estão escondidos. Ele nunca questiona a destruição causada, e no final do dia regressa para a sua vida apática com a esposa, Mildred, que passa o dia imersa na sua televisão.
Um dia, Montag conhece a sua excêntrica vizinha Clarisse e é como se um sopro de vida o despertasse para o mundo. Ela apresenta-o a um passado onde as pessoas viviam sem medo e dá-lhe a conhecer ideias expressas em livros. Quando conhece um professor que lhe fala de um futuro em que as pessoas podem pensar, Montag apercebe se subitamente do caminho de dissensão que tem de seguir.

Mais de sessenta anos após a sua publicação, o clássico de Ray Bradbury permanece como uma das contribuições mais brilhantes para a literatura distópica e ainda surpreende pela sua audácia e visão profética.

Opinião: Não é primeira nem última vez que leio um livro pela capa. “Fahrenheit 451” é um desses livros sobre os quais não sabia quase nada mas que com esta belíssima edição cativou-me para a sua leitura!

A sinopse, a mim, passou-me uma ideia diferente do que acaba por ser o livro, por isso foi-me um pouco confusa esta história inicialmente, sobretudo quando percebo que estamos num futuro posterior a 2018, inclusive. Mas gostei imenso da história, para minha surpresa, pois não esperava encontrar num livro de fição científica do século anterior uma mensagem tão forte e que, infelizmente, ainda se aplica à realidade de muitos países nos dias de hoje.

Apesar de sentir que alguns diálogos eram vazios e, por vezes, chatos, achei que houve uma boa construção quer a nível de personagens como de história, sobretudo nesta última que tem uma sucessão de acontecimentos que vão prendendo o leitor cada vez mais ao livro, levando-o a questionar como conseguirá Montag fugir ao perigo com que se depara.

Quanto ao filme, deixo-vos uma pequena opinião: não resisti a ver a adaptação mais recente do livro, produzida pela HBO, após terminar a sua leitura, e tenho que concordar com o que outras pessoas dizem: o filme é de facto uma desilusão quando comparado ao livro, pois alteraram demasiado a história. Como é habitual, o livro supera o filme!

“Fahrenheit 451” é definitivamente um livro incrível, inteligente, que inevitavelmente faz qualquer leitor imaginar como seria um mundo sem livros. Como é dito no prefácio: seria um verdadeiro apocalipse (haha)!

saida de emergencia

Anúncios

Cinema | “Com amor, Simon” (2018) — Opinião

Resultado de imagem para com amor simon portugalTítulo original: Love, Simon
Gênero: Drama, Comédia, Romance
Data de lançamento: 21 de Junho de 2018 (Portugal)
Elenco Principal: Nick Robinson, Katherine Langford, Jorge Lendeborg, Alexandra Shipp, Jennifer Garner, Josh Duhamel, Keiynan Londsdale
A minha classificação: 10 em 10 estrelas

Opinião: Ter a oportunidade de ver este filme nos cinemas muito antes deste estrear em Portugal foi uma enorme alegria para mim. “O Coração de Simon contra o Mundo” foi um dos meus livros favoritos de 2017, marcando-me pela história mas, sobretudo, pelo protagonista, Simon, que é um personagem doce, engraçado e apaixonante. Por isso mesmo, estava bastante entusiasmada para ver a adaptação cinematográfica!

Posso dizer-vos desde já que as emoções que se sente ao ler o livro são idênticas às que sentimos a ver o filme. Foi com um sorriso no rosto e bastantes lágrimas que vi o filme “Com amor, Simon” (uma alteração de título também coerente com a história). Tal como se sucedeu com livro, também aqui acompanhei a história, acabando a desejar que houvesse mais no fim, pois Becky Albertalli apresenta-nos uma história magnífica, que nos aquece o coração por completo, deixando-nos a querer mais destes personagens, mais deste mundo, mais deste romance.

Imagem relacionada
Adorei a escolha do elenco, sobretudo dos atores que fazem de Simon, Leah e Abby, mas, acima de tudo, um ator que me conquistou imenso foi Josh Duhamel (o pai de Simon). Quem vir o filme perceberá-me quando digo que a atuação deste ator envolve totalmente o espectador, deixando-o emocionado (isto numa cena mais final).
A escolha do ator que faz de Blue foi, no entanto, aquela que me desagradou um pouco, talvez por ser um ator que não gosto tanto ou talvez porque senti que este não interpretou o seu papel de um modo convincente como o restante elenco. Mais não direi, pois afinal a identidade do Blue é um dos temas do filme e não quero de todo dar spoilers 😉

Quem gostou do livro, irá certamente gostar da sua adaptação pois, ao meu ver, esta está bastante fiel, embora tenham alterado um pouco o final. Apenas neste ponto prefiro o livro a 100% pois o filme termina de uma forma que nos deixa, a nós espectadores, a desejar saber mais sobre o “depois”.
Em suma, é um filme tão apaixonante quanto o livro, que sei que voltarei a ver vezes sem conta, já que, com a pilha de livros que tenho para ler, não sei quando conseguirei reler o livro (haha)!

Sinopse e trailer 
Todos merecem uma grande história de amor. Mas para Simon Spier, com dezassete anos de idade, é um pouco mais complicado: ele ainda não contou à família ou amigos que é gay e não sabe quem é o colega anónimo por quem se está a apaixonar na internet. Tentar resolver as duas questões irá tornar-se divertido e aterrorizante, levando a uma mudança na sua vida. Realizado por Greg Berlanti (Dawson’s Creek, Irmãos e Irmãs), escrito por Isaac Aptaker & Elizabeth Berger (This is Us), e baseado no aclamado romance de Becky Albertalli, eis uma história apaixonante e sincera sobre a vida de um jovem adolescente na descoberta da verdade sobre si próprio e o seu primeiro amor.

Literatura | “Potter’s Field — O Cemitério dos Esquecidos” de Mark Waid e Paula Azaceta — Opinião

Resultado de imagem para potter's field o cemiterio dos esquecidos capaTítulo Original: Potter’s Field 
Publicação: Fevereiro de 2018
Editora: G. Floy Portugal
ISBN: 9788416510528
Compra-o em: www.wook.pt | Editora (gfloy.portugal@gmail.com) 
A minha classificação: 3 em 5 estrelas

Sinopse: John Doe. Um homem que não tem identidade. Que não tem história. Que não deixa impressões digitais. Fazendo apelo a uma rede de agentes que agem fora dos circuitos tradicionais e que não se conhecem uns aos outros, deu a si próprio a missão de descobrir o passado e o nome de todos aqueles que foram assassinados injustamente e enterrados neste cemitério.
Mas que passado é que John Doe está a tentar esconder? E como é que ele conseguirá encontrar as chaves desse passado neste cemitério dos esquecidos? Investigações, ruas e vielas escuras, perigos, conspirações… POTTER’S FIELD é um thriller negro raramente visto nos comics.

Opinião: De um modo geral, o tema é bastante diferente e intrigante, sobretudo para um thriller, que é um género que habitualmente não gosto muito. A ideia é peculiar e deixa um leitor curioso em explorá-la melhor.

Resultado de imagem para potter's field o cemiterio dos esquecidos

Senti que houve pouco desenvolvimento ao longo desta, mesmo tratando-se de uma banda desenhada. Talvez fosse esse o objetivo… Talvez o autor quisesse deixar várias questões em aberto de modo a que o seu personagem permanecesse misterioso. Porém, no que concerne à ação, esta é mais arrastada, excepto em alguns momentos como a história do polícia corrupto, que facilmente prendeu a minha atenção.

Quanto à ilustração, gostei, mesmo preferindo Paul Azaceta em Outcast. Tanto os traços e detalhes como as cores e sombras estão em sintonia com a história!

Adoraria que houvesse continuação, pois John Doe é um personagem que nos deixa curiosos para conhecer mais de si, uma vez que mesmo no final ficamos a conhecer pouco do mesmo.

GFloy

Literatura | “Os Malditos, livro um: Antes do Dilúvio” (Os Malditos #1) de Jason Aaron e R.M. Guerra — Opinião

39338122Publicação: Março de 2018
Editora: G. Floy Portugal
ISBN: 9788416510597
Compra-o em: www.wook.pt | Editora (gfloy.portugal@gmail.com)
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Caim, filho de Adão. Inventor do homicídio. Amaldiçoado por deus. O mais próximo de um salvador que este mundo condenado tem…
1600 anos depois do Éden, e a vida na terra já se transformou num verdadeiro inferno.
O mundo do homem é um lugar de crueldade e maldade desenfreadas.
Monstros pré-históricos e salteadores da Idade da Pedra percorrem as terras, e a destruição e o assassínio reinam sobre elas.

Esta é a história do homem à beira do seu primeiro Apocalipse. Da vida antes do Dilúvio. Bem-vindos ao mundo dos Malditos.

Opinião: Fora da história da bíblia, conheci Caim pela primeira vez, com mais foco, na série “Lucifer”, personagem esse que adorei conhecer. Foi com bastante entusiasmo que percebi que este livro falava dessa mesma figura bíblica, abordando o mesmo tema que surge na série: um Caim imortal, condenado por matar o irmão, que muito tempo depois continua a procurar a formar de acabar com a sua maldição.

Tenho vindo a perceber que ler um livro sem saber do que se trata pode muitas vezes tornar a sua leitura mil vezes melhor, pois somos surpreendidos pelos vários acontecimentos que vão surgindo. “Os malditos” foi uma surpresa total, sem dúvida. Mesmo as ilustrações tendo traços mais “rudes”, um estilo que não vai tão de encontro ao que gosto, a história é excelente, com um desenvolvimento que foi-me deixando curiosa sobre uma das principais questões: conseguirá Caim obter a morte porque tanto espera?

O final choca, mesmo conhecendo já a violência desta história, e isto foi outro aspeto que me levou a adorar este livro e a querer continuar a conhecer a história de Caim, pois o que é diferente conquista-me sempre.

Uma leitura com o apoio deGFloy

Literatura | “Desejo e Inocência” (Stark World #1) de J. Kenner — Opinião

Título Original: Wicked Grind
Publicação: Abril de 2018
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869951
Compra-o em: www.wook.pt
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: A rapariga que ele procurava teria de ser uma virgem em frente à sua lente. E ele seria o primeiro a capturar essa inocência.

A carreira do fotógrafo Wyatt Royce está prestes a descolar. No entanto, falta-lhe a musa, a modelo que se tornará a joia principal da sua controversa exposição de fotografias eróticas. Até que Kelsey Draper aparece – a combinação perfeita entre pureza e voluptuosidade.
Wyatt acha-a demasiado frágil – ela provou-lho quando a relação entre eles acabou, doze anos antes – e tem consciência de que ela nunca se atreveria a expor-se, embora ambos saibam que Kelsey é perfeita para o projeto.
Mas Kelsey precisa desesperadamente de dinheiro e está determinada a libertar-se da imagem de menina boazinha para o conseguir. E reencontrar Wyatt pode bem ter sido a sua sorte… ou perdição.
Ainda magoado pela história atribulada entre eles, Wyatt aceita dar-lhe o trabalho, mas apenas se ela lhe der todo o controlo, tanto por detrás da lente como na cama.

Será que uma rapariga inocente como Kelsey resistirá aos desejos obscuros de um homem como Wyatt?

Opinião: Como fã dos livros de Vi Keeland, procuro encontrar novas autoras com o mesmo género de história: um bom romance, com algum conteúdo erótico à mistura mas sem que seja muito exagerado. J. Kenner é uma ótima equivalente, sem dúvida. “Inocência e desejo”, que é o primeiro livro da autora que leio, conquistou-me por completo. Devorei-o em horas!

Adorei que a autora trouxesse o tema de fotografia para a história. Este é sempre algo que adoro encontrar em livros pois acabo sempre por sentir que traz mais qualquer coisa de magnífico e artístico à ação. Relembra-me um pouco de “Confesso” de Colleen Hoover (este último envolve pintura, no entanto) e por ser um livro que adoro, este factor influência a minha opinião deste primeiro livro da série Stark World, obviamente. O detalhe e modo como a escritora descreveu as fotografias de Wyatt permitiu-me imaginar facilmente cada uma das fotografias descritas, o que é fantástico!

Outro aspeto que me agrada bastante é o quão refrescante este romance erótico foi. Normalmente, em livros deste género, acabo por encontrar mais descrição erótica em vários momentos do que realmente esperava, porém J. Kenner, ao contrário do que esperava, abordou pouco as cenas de sexo, focando-se sobretudo no tema do livro e no desenvolvimento dos personagens, dando-nos, inclusive, a conhecer as suas histórias passadas e o que os levou a separarem-se durante anos.

É de facto refrescante ler um livro de romance erótico tão diferente do comum, em que o foco não está no erotismo mas na construção da história! Fica uma recomendação de leitura para vos acompanhar nestas férias 😉

Literatura | “O Projeto Acidente” de Julie Buxbaum — Opinião

Título Original: What to say next
Publicação: Abril de 2018
Editora: Topseller
ISBN: 9789898869906
Compra-o em: http://www.wook.pt
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: A amizade consegue superar todas as diferenças…

Kit é a rapariga mais gira da escola. David é um rapaz solitário, incapaz de interagir com os colegas. Ele sabe que é pouco provável que Kit alguma vez repare nele.
Até ao dia em que Kit, cansada das conversas fúteis das amigas, decide almoçar na mesa de David. A química é imediata e os

dois passam a partilhar o tempo das refeições. Fruto desta nova e inesperada amizade, David começa a aprender a relacionar-se com os outros, e Kit, ainda a recuperar da trágica e recente morte do pai, encontra o ombro de que precisava.
Kit só conseguirá reaprender a viver se descobrir a causa do acidente do pai e, sabendo disso, David decide ajudá-la. Mas nenhum dos dois está preparado para o mistério que estão prestes a desvendar, e é aí que a sua amizade é posta à prova.

Será ela capaz de sobreviver à verdade?

Opinião: Este novo romance de Julie Buxbaum é de alguma forma mais leve, mais inocente que o livro anterior da autora “Conta-me três coisas”, ao meu ver, mesmo tendo ambos os protagonistas um problema a ultrapassar.

Adorei a relação que se foi construindo entre David e Kit, mas é, sobretudo, o desenvolvimento de David no que toca à sua personalidade e à sua vida social que me deixou mais envolvida nesta história.

Senti que o desvendar do mistério, que une estes dois personagens ainda mais, acabou por ser deixado em segundo plano, sendo brevemente abordado, mas o que se encontra por de trás desse mistério surpreende-me imenso. Não imaginava que a autora nos levasse a tal revelação. O modo como os protagonistas reagem a esta é o ponto alto e emocionante do livro.

É mais um livro intrigante e incrível desta autora, que gostei imenso, principalmente por abordar um tema tão atual como o autismo da forma como foi abordado.

Literatura | “Sorrisos Quebrados” de Sofia Silva — Opinião

01040690_Sorrisos_Quebrados.jpgPublicação: Maio de 2018
Editora: Editorial Presença
ISBN: 9789722362306 
Compra-o em: www.wook.pt | www.presenca.pt
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Mais de 1 milhão de leituras na plataforma online Wattpad em apenas 1 ano Paola está num momento chave da sua vida. Vai ter de decidir se quer continuar a viver ou se vai deixar-se morrer às mãos do homem por quem um dia se apaixonou e com quem veio a casar. Como foi possível que aquele homem bem parecido, poderoso e deslumbrante se tornasse no monstro que a está a destruir? Mas Paola decide viver.

E, no mais improvável dos lugares, vai encontrar de novo a luz e descobrir que, afinal, é possível amar outra vez. Sorrisos Quebrados marca a estreia de Sofia Silva na escrita de ficção. Um romance sobre violência doméstica, abuso sexual e as segundas oportunidades que a vida por vezes reserva.

Opinião: Com tanto sucesso que Sofia Silva fez no Brasil, não pude deixar de ficar curiosa sobre a história que tantos leitores gostaram.

De todas as capas de livros de autores nacionais que vi até hoje a capa “Sorrisos Quebrados” é uma das mais lindas que já vi. Digo isto, pois sinto que muitas vezes existe um maior tratamento e empenho em capas de livros internacionais. Esta capa é lindíssima, desde das cores utilizadas no cabelo da modelo aos detalhes transparentes que a cobrem. Também o interior do livro contém uma estética mágica e bela. Só por este aspeto sinto que vale a pena ter este livro na estante.

O tema de violência doméstica era algo que me deixava um pouco receosa com este livro, pois é um tema complexo, pesado para um livro, mas a autora conseguiu abordá-lo de uma forma surpreendente.
A relação que se vai desenvolvendo entre Paola e Sol é incrível, emocionante e foi, sem dúvida, a parte de que mais gostei neste livro. Duas pessoas ‘quebradas’ mas que juntas ajudam-se uma à outra. Poderia ter sido André no lugar de Sol, pois muitos livros deste género baseiam-se num par romântico, em que um ajuda o outro a recuperar do passado. O facto da autora ter escolhido fazer algo diferente do costume é refrescante e foi uma das razões porque adorei este livro mais do que esperava!
Gostei também do romance que se desenvolve entre André e Paola, apesar de sentir que algumas das falas destes eram pouco naturais (ou reais).

“Sorrisos Quebrados” é um livro que vos irá envolver desde o início, que vos lembrará um pouco de Colleen Hoover pelo tipo de história e que espero que vos conquiste como conquistou a mim!

Para mais informações do livro “Sorrisos Quebrados”, clica aqui!

presença

Literatura | “Como Falar com Raparigas em Festas” de Neil Gaiman, ilustrado por Fábio Moon e Gabriel Bá — Opinião

Título Original: How to talk to girls at parties
Publicação: Abril de 2017
Editora: Bertrand Editora
ISBN: 9789722533133
Compra-o em: www.wook.pt | www.bertrand.pt 
A minha classificação: 4 em 5 estrelas

Sinopse: Enn tem 16 anos e não compreende as raparigas, ao passo que o seu amigo Vic parece já ter tudo na ponta da língua. Mas ambos apanham o choque da sua vida ao depararem com uma festa em que as raparigas são muito mais do que aquilo que aparentam ser…

Opinião: Conheci Neil Gaiman através do seu mais recente livro lançado em Portugal, “Mitologia Nórdica“, e tendo adorado a sua escrita, foi com imenso entusiasmo que aceitei esta proposta de leitura, de um outro livro seu!

Gaiman é um autor que nos conta histórias estranhas, diferentes do que se espera, mas esse “estranho” torna-se sempre divertido e intrigante de alguma forma. Nesta novela gráfica, tal aspeto não é diferente. Se pensam que esta é apenas uma história de rapazes que vão a uma festa e falam com raparigas, estão enganados. É muito mais. O autor surpreende-nos quando menos esperamos. Tudo aparenta ser normal e, num abrir e fechar de olhos, deixa de o ser. Adorei este elemento surpresa e o que ocorre nas páginas finais.
No entanto, senti que ficou a faltar algo no final, como se tivessem sido cortadas as verdadeiras páginas finais que viriam explicar melhor o que realmente aconteceu na festa a que Enn e Vic vão. Adoraria que houvesse um segundo livro para explicar este mundo, por isso mesmo.

O que para mim compensa imenso esse elemento explicativo em falta é a arte de Fábio Moon e Gabriel Bá. Recordou-me um pouco de “Harrow County“, pelas cores e técnica utilizada na pintura das páginas. Ambos estes ilustradores conseguiram trazer vida e magia a esta história, sobretudo nas páginas em que são feitas revelações sobre as raparigas com que os dois rapazes conversam.

“Como Falar com Raparigas em Festas” apresenta-nos uma história original, cujas ilustrações são o destaque deste livro, que tenho a certeza que conquistarão quem ler esta novela gráfica.
Em breve, trarei-vos a minha opinião do filme, que tenho a certeza que será um ótimo complemento a este livro. Fiquem atentos!

Bertrand

 

Passatempo | Recebe um exemplar de “Como Falar com Raparigas em Festas” de Neil Gaiman, Fábio Moon e Gabriel Bá — Bertrand Editora

 

Chega hoje aos cinemas “Como Falar com Raparigas em Festas” e para comemorar esta estreia trago um passatempo, em parceria com a Bertrand Editora, através do qual podes te habilitar a ganhar um exemplar do livro de Neil Gaiman, Fábio Moon e Gabriel Bá!

Bertrand

Para participar, tens apenas
— Fazer gosto na página de facebook da editora
— Fazer gosto na página de facebook do blogue
— Identificar, no post de divulgação do facebook, dois ou mais amigos.
— Partilhar o passatempo no facebook (modo público, para que seja possível ver a partilha).
— Responder a uma pequena questão presente no formulário. Poderão encontrar a resposta no trailer da adaptação cinematográfica do filme.

Regras:
— É obrigatório o preenchimento do formulário abaixo disponibilizado.
— Seguir todos os passos acima indicados.

— Apenas é permitida uma participação por pessoa.

Passatempo válido até dia 27 às 21h. O vencedor será anunciado no dia seguinte. Este será selecionado via random.org.

Literatura | “Um de Nós Mente” de Karen M. McManus — Opinião

Título Original: One Of Us Is Lying
Publicação: 15 de Maio de 2018
Editora: Gailivro
ISBN: 9789892341989
Compra-o em: www.wook.pt | www.leyaonline.pt 
A minha classificação: 5 em 5 estrelas

Sinopse: Simon Kelleher é o criador do Má-Língua, uma nova aplicação que está a encurralar a elite de Bayview High, revelando pormenores da vida privada dos alunos da escola.
Mas o caso torna-se mais grave quando Simon e quatro colegas ficam fechados de castigo numa sala, e ele morre diante das suas vítimas.

Os quatro que se tornam suspeitos imediatos do homicídio, são:
A melhor aluna da escola, Bronwyn que nunca viola uma regra e quer entrar em Yale.
A estrela da equipa de basebol de Bayview, Cooper.
Nate, o criminoso, que está em liberdade condicional por vender droga.
A menina bonita, Addy, que parece ter a vida perfeita ao lado do namorado perfeito.

Que segredos queriam esconder para eliminar Simon?
Quem será o culpado?

Opinião: De leitura fluente e viciante, este primeiro livro de Karen M. McManus promete mostrar-nos uma história repleta de mistérios e, consequentemente, revelações. Foi esta premissa que me chamou à atenção para este livro: Um rapaz morto e quatro testemunhas que acabam por tornar-se em suspeitos. Quem matou Simon, afinal?

Com quatro pontos de vista (dos suspeitos), vamos tendo acesso a várias peças, à medida que os conhecemos individualmente, que nos permitem montar aos poucos o puzzle que é este mistério.
Passaram-me pela cabeça todas as teorias e mais algumas, desde as mais básicas às mais peculiares, porém existia uma que me deixou mais atenta aos pormenores que iam sendo dados ao longo dos capítulos. Esta acabou por ser confirmada nas páginas finais, para minha surpresa (e choque). Não acho que seja uma ideia que passe pela cabeça de todos os que lerem este livro, logo à primeira, pois a autora conseguiu construir a história de uma forma extraordinária, levando o leitor a suspeitar de tudo e todos, sobretudo dos nossos quatro protagonistas.

Adorei tudo neste livro: a escrita, a desenvolvimento de personagens e de história, o modo como tudo foi sendo revelado nos momentos certos. Para mim, o que faz de um livro de mistério um livro sensacional é a capacidade do autor em criar uma história surpreendente, com plot-twist atrás de plot-twist (reviravoltas, para quem não conhece a expressão). Karen conseguiu-o, sem dúvida!

Estava bastante curiosa para ler este livro desde que o vi ser divulgado pelos youtubers estrangeiros e todas as expectativas que podia ter para “Um de Nós Mente” foram ultrapassadas. É para mim um dos melhores livros que li este ano e recomendo-o, claro!

Uma leitura com o apoio degailivro